Seja bem vindo ao Blog da Saúde LGBT

Neste espaço o Dr. Paulo Branco ira continuamente publicar matérias além de responder duvidas
relacionadas a Medicina e Qualidade de Vida voltadas a população LGBT. Este espaço no entanto,
não substitui a consulta médica, que deverá ser feita pelo médico, no consultório, de corpo presente.



Alguns amigos e pacientes do Dr. Paulo Branco que inspiraram ele a fazer esse Blog.

Youtube - Dr. Paulo Branco

Youtube - Série especial de vídeos

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Perguntas e respostas dos internautas para o Dr. Paulo Branco: Envie a sua para: paulobranco@terra.com.br e-mail e MSN

1- Parabens pelo seus artigos muito educativos e sempre que tenho um tempo leio. Tenho Cisto pilonidal há oito meses e queria saber quais as vantagens do laser, pois não gostaria de ficar com a ferida aberta, pois segundo o que me informei leva muito tempo para fechar.
Um abraço; Carlos.

A cirurgia para tratamento do cisto pilonidal exige um diagnostico correto da exata extenção do cisto no pré-operatorio e se existe mais de um trajeto formando este cisto. O procedimento é realizado sob anestesia local e você terá alta logo após o procedimento. As vantagens do laser são:
- Primeiro: Eu sempre peço para os meus paciente fazerem uma depilação com o laser na volta do cisto.

-Eu sempre fecho a ferida cirúrgica enquanto na cirurgia convencional a mesma tem maior possibilidade de ficar aberta.

- A recidiva foi menor depois que eu comecei a fazer a cirurgia com o laser.

Dr. Paulo Branco

Cisto Pilonidal


Artigo educativo escrito pelo Dr. Paulo Branco para uma revista especializada sobre o cisto pilonidal.

Incidência:

É mais freqüente no homem, 3:1 e o numero de pacientes tratados anualmente foi estimado entre 40.000 a 70.0000. É rara em pessoas com idade superior aos 40 anos e têm maior incidência entre os 16 e 20 anos, permanecendo elevada até os 26 anos quando começa a declinar, sendo rara em crianças e mais freqüente em regiões com muitos pelos.

Definição:

- Pode ser definido como um trajeto fistuloso sob a pele de natureza crônica e presente no sulco entre os dois glúteos.

Constituição:

- Geralmente é formado por um trajeto que drena em dois orifícios, porém mais de um trajeto e orifícios poderão está presentes.

Causas:

Não têm uma causa exata e duas teorias tentam explicar a causa destes cistos:

- Congênita: Baseada em conceitos puramente teóricos.

- Adquirida: Têm sido mais aceita e explica que o cisto seria conseqüente a inflamação dos folículos pilosos (local onde os pelos nascem) ou os pelos nascem para dentro da pele, funcionando como um corpo estranho desencadeando uma resposta inflamatória do organismo na volta do pelo que chamamos de cisto pilonidal.

Risco de malignização

Matt em 1988 reportou um caso de transformação maligna. Pilipshen e colaboradores em 1981 encontraram mais oito casos em trinta e dois pacientes operados. Esses autores relataram que a transformação maligna foi mais freqüente quando os cistos se apresentavam na forma de uma úlcera grosseira com bordos irregulares. Geralmente o medico não solicita um exame histológico do cisto pelo seu aspecto macroscópico não ter características de malignidade, é uma conduta de risco porque somente pelas características teciduais não se poderá afastar totalmente a malignidade do cisto.

Manifestação clinica:

Geralmente o diagnostico não é difícil. Os pacientes referem o aparecimento de forma aguda de uma dor de moderada a intensa e saída de pelos e perda de secreção pelos orifícios do cisto. A dor muitas vezes piora com a postura, pratica de esporte como o ciclismo e traumatismos locais. Alguns pacientes referem que a primeira sintomatologia já foi com a dor associada a uma grande coleção de secreção purulenta dentro do cisto. Raramente o medico conseguirá detectar os orifícios deste cisto fora da fase aguda, isto é antes do paciente não está ciente da presença da afecção. Se não houver tratamento nesta fase aguda, estes cistos poderão evoluir para a cronicidade devido à ruptura e formação de novos trajetos fistulosos.

Exames:

Os exames radiológicos, ressonância magnética e Ultra-sonografia deveram ser pedidos somente para os casos em que o medico deseja estudar a extensão do cisto, numero de trajetos fistulosos e para os casos de reoperação. Estes exames facilitam para o cirurgião achar o plano tecidual certo para retirada total do cisto.

Tratamento:

O tratamento definitivo para a doença pilonidal é realizado por excisão da cavidade pilonidal estabelecida e dos trajetos fistulosos associados com a retirada de todos os orifícios ou aberturas externas dirigidas ou comunicadas com os trajetos fistulosos. A profundidade e a largura do local da excisão dependem do tamanho da cavidade do cisto e de quaisquer trajetos fistulosos associados. Todo tecido cronicamente infectado deverá ser removido, o qual é reconhecido facilmente como tecido de granulação durante a realização do procedimento. O cirurgião deverá ter o cuidado de estudar a extensão da afecção para não correr o risco de realizar uma cirurgia parcial, principalmente na profundidade destes cistos.

- Depilação a laser:

Durante os últimos anos eu tenho solicitado aos meus pacientes que realizem uma depilação com laser em uma área de segurança na volta do cisto, porque muitos cirurgiões realizam a retirada do cisto em meio aos pelos, facilitando a penetração destes na cirurgia e reaparecimento da doença.

- Fase de Abscesso:

Eu prefiro realizar a simples drenagem da coleção, porque os tecidos estão friáveis, edemaciados o que tornará os movimentos do cirurgião de risco para lesões de estruturas anatômicas que não poderá ser lesadas. Eu sempre gosto de deixar um pequeno dreno laminar dentro da cavidade drenada. O paciente deverá ser instruído que este procedimento não deverá ser entendido como um procedimento definitivo.

- Fase Crônica:

Eu prefiro a retirada de todo o cisto com o laser, sob anestesia local e fechamento primário da cavidade com fios especiais. As minhas taxas de recidiva ou retorno do cisto que foi de 2%. Gabriel (1987) com a mesma técnica realizada em 89 pacientes relatou 4% de recidiva. Notaras (1970) acompanhou durante 10 anos, 42 pacientes tratados por esta técnica e a recidiva foi observada em cinco destes pacientes no primeiro ano.

COMENTÁRIO: Dr. Paulo Branco

O que eu observei ao longo dos anos é que os pacientes demoram muito tempo para realizar a cirurgia, muitos pacientes relatam que o cisto era pequeno e aumentou muito ao longo dos meses, já tive um paciente que demorou seis meses para uma consulta medica. Geralmente são pacientes jovens referindo drenagem de secreção purulenta no inicio e posteriormente ficou um tecido endurecido e doloroso que algumas vezes drena uma secreção por um orifício localizado entre os glúteos. O medico nesta fase palpará uma área endurecida e irregular acima do osso sacro. Alguns pacientes referem já terem sido submetidos à drenagem cirúrgica do abscesso mais de uma vez. Se você operar o cisto em uma fase inicial será feita uma cirurgia menor, uma cicatrização mais rápida e o fechamento da ferida em um curto tempo. Nos casos por mim operados eu comprovei essas vantagens da cirurgia precoce com o laser. O fechamento da ferida cirúrgica dependerá destes fatores antes da cirurgia e da técnica usada pelo cirurgião. Eu uso o laser que é um fator fundamental para que eu sempre feche a ferida.

Dr. Paulo Branco.

WWW.medicinaintegrada.med.br

Interaja comigo no MSN e leia as matérias do meu blog.



2- Estive ontem com o senhor em consulta, mas esqueci de comentar um


sintoma que venho tendo, desde muito antes da cirurgia. Sinto uma forte

pressão no ânus, como fosse alguma coisa empurrando de dentro para fora,

muitas vezes ia ao banheiro tentar evacuar, mas não conseguia. Esta pressão

permanece durante horas, e some de repente. E isto acontece várias vezes

durante o dia. No início pensei que fosse por causa da hemorróida, mas como

fiz a cirurgia, gostaria de saber se pode ser algum outro problema, e o que posso

fazer para aliviar este incômodo. Desde já, agradeço a resposta.

Abraços...

Isaura G. Presse


Isaura você poderá ter:
1- Uma contratura dos musculos formadores do chamado assoalho pélvico, conhecida como contratura paradoxidal do reto.

2- Prolapso da parede retal.

Essas duas hipoteses diagnosticas requerem um exame chamado de Manometria Anorretal, este medirá as pressões nos músculos citados.

Dr. Paulo Branco.

www.medicinaintegrada.med.br

3- Pelo que li no seu site e diante de mais informações, me enquadro no caso de fissura anal. Sou GAY e tenho imensas dificuldades de ser penetrado devido a grande tensão que tenho no músculo anal e sempre após alguma relação sinto fortes dores e ocorre sangramento na cor vermelho bem intenso.. O que devo fazer para poder ter relações mais prazeirosas e solucionar esse problema que a quase dois anos me incomoda muito????

Moro na cidade de Belo Horizonte e gostaria, se o Sr. conhecer algum médico referência daqui, de uma indicação.
Obrigado,

Nilton Henrique


Obrigado pelo seu e-mail. Tenho tratado através da cirurgia com o laser que é mais segura na minha experiência que o metodo convencional, principalmente em relação a estética anal tão importante para a relação anal passiva. Desconheço medico na sua cidade ou região que tenha a experiencia com o laser no tratamento das afecções proctologicas.


Dr. Paulo Branco.

Segue uma matéria escrita por mim sobre fissura anal:

Fissura anal

Conceito:
A fissura anal é uma pequena feridinha, geralmente de forma triangula e localizada na parede posterior da abertura anal. O seu início é na parte interna do ânus e o seu fim na margem anal.

Nem todos os fatores envolvidos no aparecimento e manutenção da fissura estão esclarecidos, mas o fator inicial mais comum é o traumatismo causado pela passagem de um bolo fecal volumoso e endurecido por um músculo formador do esfíncter anal muito fechado, estreito ou com pressão muito elevada de modo que ocorrerá um esgarçamento no tecido de revestimento do reto e ânus. Estudos multicêntricos realizados na Europa demonstraram que havia uma diminuição na incidência de fissura quando se aumentava a concentração de fibras( Verduras e legumes) na dieta e, ao contrário, o risco do aparecimento de fissura aumentava significativamente quando ocorria aumento no consumo de pão branco, molhos engrossados com farinha, bacon, salsichas e baixa ingestão de água. O consumo de café, chá ou álcool não foi considerado como fator de risco. Nos gays outras causas comuns de fissura são o traumatismo decorrente da penetração anal ou o uso dos dedos (corte as unhas), brinquedos (sempre rombos e nunca cortante ou de ponta afilada) e vibradores associados a uma lubrificação inadequada e a um ativo apressadinho que não espera o relaxamento do músculo esfíncter anal. Essas fissuras decorrentes da relação anal poderão surgir em qualquer lugar da margem anal e se dispõe de forma radiada, geralmente mais de uma e localizadas em torno do ânus. Se você respeitar o tempo de relaxamento do esfíncter anal (60`) que se obtêm pela massagem feita de forma delicada associada a uma lubrificação adequada poderá ter uma relação anal sem riscos de fissura.



As fissuras têm como sintoma principal a dor que é intensa e referida pelos pacientes como em pontada, debilitante, cortante e acompanhada de um sangramento vermelho vivo. As hemorróidas sangram, porém o sangramento é geralmente indolor o que as diferencia das fissuras anais que são extremamente doloridas. Nenhuma DST determina a dor da fissura anal.



Eu não faço toque em pacientes que chegam no meu consultório com sangramento extremamente doloroso. Eu faço a inspeção anal e confirmo o diagnóstico, pois geralmente as fissuras estão na pele da parte posterior da abertura anal. Evite o toque, pois os pacientes já estão muito machucados pela ferida o que irá aumentar o seu sofrimento.



As fissuras são classificadas em agudas e crônicas e esta classificação é de grande importância para o tratamento. As fissuras agudas são geralmente de contornos bem visíveis, amolecidas ao toque e respondem bem ao tratamento com pomadas e botox ( veja abaixo), enquanto as fissuras crônicas são endurecidas, já infeccionadas e deveram ser tratadas pela retirada cirúrgica.



As fissuras com exceção das decorrentes da relação anal são causadas por um músculo anal com pressão elevada e qualquer forma de tratamento tem como objetivo diminuir esta pressão o que determinará a cicatrização da fissura. A diminuição da pressão poderá ser feita por:



- Medicamentos: São substâncias que usadas na forma de pomadas sobre a fissura determinam o relaxamento dos músculos.



- Botox: A toxina injetada em pontos estratégicos da abertura anal e em quantidade adequada causará o relaxamento do músculo.



-Cirurgia com Laser: Eu tenho feito uma técnica na qual eu baixo a pressão do esfíncter por fora da abertura anal o que determinará menos dor no pós-operatório. O procedimento é realizado sob anestesia local e você terá alta logo após o procedimento.

Perguntas e respostas sobre fissura anal: Dr. Paulo Branco.
1-A fissura anal sempre causa dor porque eu tinha fissura indolor?
A fissura anal indolor deverá ser retirada para uma investigação diagnostica através de um exame citológico para se afastar outras doenças como a doença de Crohn e até mesmo o Câncer de ânus.

2- Eu tinha fissura anal e hemorróidas internas de terceiro grau, neste caso qual a melhor forma de tratamento ?

Quando há a associação da fissura com a hemorróida eu geralmente realizo a ligadura elástica das hemorróidas, retiro a fissura e baixo a pressão do esfíncter com o laser.

3- A relação anal poderá causar a fissura anal?
As fissuras decorrentes da relação anal geralmente decorrem de um ativo apressadinho que não esperou o relaxamento do esfíncter anal que geralmente são 60 segundos ou de uma lubrificação inadequada. Essas fissuras muitas vezes são radiadas e mais de uma.
4- A cirurgia para tratamento da fissura poderá determinar incontinência anal.
 Eu nunca tive um caso de incontinência com o laser. O cirurgião deverá atuar sobre o músculo correto ( Músculo Esfíncter Interno) após visualização clara deste.
5- Tinha fissura crônica e fui tratado com o botox, mas não resolveu o que devo fazer?
O Botox é indicado para fissura aguda, pois na crônica o tecido que forma a fissura está fibrosado e endurecido e deverá ser retirado cirurgicamente.
6- Tenho fissura anal e algumas vezes consegui ter relação passiva, mesmo suportando a dor, devo continuar tentando?
O sexo anal não causa está fissura por você referida e na fase aguda você só aumentará a fissura, terá sangramento mais importante pelo traumatismo, sendo melhor realizar a melhor forma de tratamento para o seu caso.

Comentário: Dr. Paulo Branco.
Para a relação passiva eu tenho preferido a cirurgia com o laser, que tem melhores resultados a longo prazo.
Dr. Paulo Branco

Blog da saúde gay
Site: WWW.medicinaintegrada.med.br
MSN. paulobranco@terra.com.br
Youtube. Buscar proctologista


4-  Durante os últimos cinco dias senti a presença de um nódulo ao redor do ânus... De lá pra cá, ele cresceu bastante, até porq eu trabalho por mto tempo sentado... e pra complicar, tive que assistir palestras a noite na faculdade. Hoje, o nódulo parece medir mais d 1 cm.. Parece que são dois.. Ta mto grande, e não apresenta sangramento, nem no momento da evacuação, mas ta me incomodando muito.. principalmente pra sentar. Eu pesquisei na net e comprei uma pomada, Hemovirtus. Comecei a utilizar e observei que ela alivia os sintomas das dores, mas em nada diminuiu o tamanho do nódulo. A minha pergunta é que tipo de antiinflamatório o senhor recomendaria no meu caso, para diminuir o tamanho do nódulo? Comecei a tomar também castanha da índia em comprimido, dizem que é bom. Sem mais, agradeço a atenção .

 Obrigado pelo seu e-mail. O nódulo referido geralmente é uma hemorroida chamada de trombosada, isto é o sangue coagulou dentro do vaso. Os medicamentos depois de um tempo não resolvem, somente a retirada cirurgica.


Dr. Paulo Branco,

http://www.medicinaintegrada.med.br/

Segue um artigo para que os leitores tenham uma melhor compreenção sobre hemorroida:

Hemorróidas


Artigo escrito pelo Dr. Paulo Branco para uma revista especoalizada

Anatomia vascular anorretal:

Existem muitos vasos que arteriais e venosos na parede do Reto , ânus e períneo, portanto esta região é ricamente vascularizada. Entenda que estes vasos são divididos em artérias e veias. As primeiras levam os nutrientes e oxigênio para os tecidos e as veias captam os detritos resultante do metabolismo celular e levam para o fígado e rins para uma depuração .

Essas veias a semelhança das pernas dilatam e formam as varizes da região anal conhecidas como hemorróidas. Se essas hemorróidas estiverem localizadas dentro do reto são chamadas de internas e se fora externas. As internas são classificadas de acordo com o seu prolapso ou saída pelo ânus em :

- Primeiro e segundo grau:

Estão dentro do reto e tem o sangramento vermelho vivo INDOLOR que goteja no vaso sanitário ou mancha o papel higiênico como o principal sintoma.

Essa hemorróidas poderão ser diagnosticadas por um exame endoscópico da parte interna do ânus e tratadas por substâncias administradas por via oral que estimulam o esvaziamento das veias retais, associada a uma dieta rica em fibras, exercício físico regularmente e/ou ligadura elástica , que consiste em colocar um pequeno anel de borracha na base da hemorróida que seca e cai. Eu tenho associado ao laser na minha clinica a borrachinha.

Terceiro e quarto grau:

Essas hemorróidas poderão ser visualizadas no bordo anal como pequenas bolhinhas revestidas por pele. O sangramento indolor também está presente e poderá está associado ao prurido ( coceira). Pontadas dentro do reto e dor. A dor poderá ser por uma inflamação na parte interna do reto conhecida como proctite, fissura ou ao abscesso anal. Essas afecções estão no bordo anal e um medico experiente ao olhar o canal anal associada ao toque sem muita pressão confirmar o diagnostico. O tratamento de inicio é clinico já acima referido e se não resolver será cirúrgico. A cirurgia há alguns anos eu tenho feito com o laser sob anestesia local. O laser por ser programado determinará uma cicatrização mais uniforme, estética e mais rápida que a cirurgia tradicional. Você recebe uma apostila com todas as orientações sobre os cuidados com região anal e uma dieta rica em fibras.

Hemorróidas Externas:

Essas hemorróidas poderão ser visualizadas na parte externa da abertura anal. Muitos pacientes me procuram porque essas hemorróidas os incomodam do ponto de vista estético e as mulheres também reclamam da dor ou coceira resultante do atrito da pelhinha com a calcinha ou por esta impede uma higiene adequada após as evacuações ficando detritos fecais que irritam a pele determinando uma dermatite com intensa coceira em alguns casos.

Essa pelhinha é diagnosticada em medicina como PLICOMA , sendo formada pela pele isquemiada ( morta) e um vaso abaixo dela.

A cirurgia é a única forma de tratamento definitiva para uma correção estética que é muito pessoal e importante para o paciente e não muito compreendida pelos médicos. Eu realizo a retirada com o laser, alcançando o resultado estético e funcional desejado.

Trombose hemorroidária:

O sangue desta hemorróida externa poderá coagular dentro da hemorróida, levando ao aparecimento de uma bolhinha dura, fora da abertura anal e muitas vezes de aparecimento abrupto, deixando o paciente apreensivo. Esta trombose poderá se resolver espontaneamente, sendo o coagula expulso pelo organismo através da pele ou se isto não ocorrer deverá o coagulo ser retirado cirurgicamente.

Perguntas e respostas em proctologia:

Porque o Sangramento é vermelho Vivo se a hemorróida é uma veia?

O corre que o sangue que vem pela artéria passa para a veia antes de chegar nos tecidos o que em medicina se chama de fístula, determinando uma dilatação das veias e como essas têm orifícios na sua parede, o sangue vermelho proveniente da artéria sob pressão esguicha por estes orifícios.

Hemorróida é sempre uma doença benigna?

Sim, do principio ao fim independente do seu tipo se interna ou externa.

A ligadura elástica é segura e sem complicações?

É uma técnica segura e já consagrada no mundo inteiro. A borrachina deverá ser colocada no vaso na mucosa retal e nunca na abertura anal e para isso sempre antes de fazer a técnica o medico deverá visualizar esses vasos através de um anuscopio. A razão é que a inervação do reto é classificada como autônoma, isto é indolor enquanto que a inervação do ânus e sensitiva, isto é dolorosa. Se após a ligadura elástica o paciente referir um pequeno incomodo será normal, porém se a dor for intensa a borrachinha deverá ser retirada pois está posicionada no lugar errado.

Espero que você enriqueça os seus conhecimentos, tire as dúvidas e mantenha a sua saúde em dia?

Dr. Paulo Branco.

WWW.medicinaintegrada.med.br

MSN.paulobranco@terra.com.br


5- Sou de Santos, mas atualmente estou morando em Sp, e estive pesquisando sobre cirurgia a laser para fissurectomia/retirada de mamilos sentinela.Encontrei seu site e gostaria de saber como funciona essa cirurgia?
O plano de saude Unimed cobre essa cirurgia? Pois eu ia fazer uma convencional em Santos que estava cobrindo normalmente.
Aguardo seu retorno.

Mto obrigada
Mayra

Obrigado pelo seu e-mail. O mamilo sentinela classifica a fissura anal como cronica e portanto de tratamento cirurgico. Eu realizo a retirada da fissura com o laser há alguns anos, sob anestesia local e voce terá alta logo após o procedimento.

Dr. Paulo Branco
Consulta com Mônica: 011-86663281

Segue um artigo escrito por mim sobre fissura anal:

Fissura anal

Conceito:

A fissura anal é uma pequena feridinha, geralmente de forma triangula e localizada na parede posterior da abertura anal. O seu início é na parte interna do ânus e o seu fim na margem anal.

Nem todos os fatores envolvidos no aparecimento e manutenção da fissura estão esclarecidos, mas o fator inicial mais comum é o traumatismo causado pela passagem de um bolo fecal volumoso e endurecido por um músculo formador do esfíncter anal muito fechado, estreito ou com pressão muito elevada de modo que ocorrerá um esgarçamento no tecido de revestimento do reto e ânus. Estudos multicêntricos realizados na Europa demonstraram que havia uma diminuição na incidência de fissura quando se aumentava a concentração de fibras( Verduras e legumes) na dieta e, ao contrário, o risco do aparecimento de fissura aumentava significativamente quando ocorria aumento no consumo de pão branco, molhos engrossados com farinha, bacon, salsichas e baixa ingestão de água. O consumo de café, chá ou álcool não foi considerado como fator de risco. Nos gays outras causas comuns de fissura são o traumatismo decorrente da penetração anal ou o uso dos dedos (corte as unhas), brinquedos (sempre rombos e nunca cortante ou de ponta afilada) e vibradores associados a uma lubrificação inadequada e a um ativo apressadinho que não espera o relaxamento do músculo esfíncter anal. Essas fissuras decorrentes da relação anal poderão surgir em qualquer lugar da margem anal e se dispõe de forma radiada, geralmente mais de uma e localizadas em torno do ânus. Se você respeitar o tempo de relaxamento do esfíncter anal (60`) que se obtêm pela massagem feita de forma delicada associada a uma lubrificação adequada poderá ter uma relação anal sem riscos de fissura.

As fissuras têm como sintoma principal a dor que é intensa e referida pelos pacientes como em pontada, debilitante, cortante e acompanhada de um sangramento vermelho vivo. As hemorróidas sangram, porém o sangramento é geralmente indolor o que as diferencia das fissuras anais que são extremamente doloridas. Nenhuma DST determina a dor da fissura anal.

Eu não faço toque em pacientes que chegam no meu consultório com sangramento extremamente doloroso. Eu faço a inspeção anal e confirmo o diagnóstico, pois geralmente as fissuras estão na pele da parte posterior da abertura anal. Evite o toque, pois os pacientes já estão muito machucados pela ferida o que irá aumentar o seu sofrimento.

As fissuras são classificadas em agudas e crônicas e esta classificação é de grande importância para o tratamento. As fissuras agudas são geralmente de contornos bem visíveis, amolecidas ao toque e respondem bem ao tratamento com pomadas e botox ( veja abaixo), enquanto as fissuras crônicas são endurecidas, já infeccionadas e deveram ser tratadas pela retirada cirúrgica.

As fissuras com exceção das decorrentes da relação anal são causadas por um músculo anal com pressão elevada e qualquer forma de tratamento tem como objetivo diminuir esta pressão o que determinará a cicatrização da fissura. A diminuição da pressão poderá ser feita por:

- Medicamentos: São substâncias que usadas na forma de pomadas sobre a fissura determinam o relaxamento dos músculos.

- Botox: A toxina injetada em pontos estratégicos da abertura anal e em quantidade adequada causará o relaxamento do músculo.

-Cirurgia com Laser: Eu tenho feito uma técnica na qual eu baixo a pressão do esfíncter por fora da abertura anal o que determinará menos dor no pós-operatório. O procedimento é realizado sob anestesia local e você terá alta logo após o procedimento.

Dr. Paulo Branco

Blog da saúde gay

Site: WWW.medicinaintegrada.med.br

MSN. paulobranco@terra.com.br

6- Olá, Dr. Paulo
Há 4 dias percebi um carocinho na região do ãnus... até então pequeno... hoje já está grande..e doi bastante, é a primeira vez que tenho caroço assim. Será bom tomar antibiótico?
Obrigada!
Obrigado pelo seu e-mail. O que voce refere possivelmente é uma hemorroida externa trombosada, isto é o sangue coagulou dentro do vaso hemorroidário. Antibioticos não são indicados e sim medicamentos orais e locais na forma de pomadas. Se continuar o coagulo deverá ser retirado cirurgicamente. A técnica que tenho feito é a retirada do coagulo ou trombo com o laser sob anestesia local.

Dr. Paulo Branco.
http://www.medicinaintegrada.med.br/



7- Me chamo Ailton e moro no interior da Bahia, Feira de Santana. Senti

uma dor anal, com a formação de um trombo a alguns anos, procurei um

coloproctologista bem conhecido por aqui; ele me indicou uma

retossigmoidoscopia flexivel, fiz e foi detectado hemorroida grau 2.

ele me disse que não precisa operar, me receitou alguns remedios, e

emfim melhorei.

Agora apareceu o mesmo problema, o trombo sumiu,porque tomei os mesmos

remedios que ele me tinha indicado na outra vez ; fui a ele e me

indicou outro exame. Foi constatado o mesmo problema hemorroida grau2.

Ele insiste em dizer que não precisa operar porque não sangra, não

prolapsou, mais acontece que a queimação e o ardor continuam.

O que o Sr.me indica. Por favor me ajude.

Ailton obrigado pelo seu e-mail. O trombo é uma hemorroida externa crônica causada por um vaso doente que no selimentação com fibras assoce uma au caso precisará ser retirado. A hemorroida de 2º é de tratamento clinico com pomadas e medicamento oral adequados, associados a ingestão de liquidos. Cada médico têm uma conduta.

Dr. Paulo Branco.

www.medicinaintegrada.med.br


8- Olá Dr. Paulo. Me chamo Joice e a 4 mêses e meio atrás surgiu um abseço e logo após uma fistula. Na época os médicos me disseram que não seria necessário operar e que em pouco tempo eu estaria recuperada. Bom já se passaram alguns meses que venho me tratando com o medicamento receitado e nada. A fistula ainda vaza pus esporadicamente o problema é que tenho muito medo da operação, pois eu acho a achei muito evasiva. Será que ainda tenho que ser operada, ou só o tratamento a laser já resolve o meu caso? Gostaria de saber o valor do procedimento a laser e a da consulta. Atenciosamente Joice (11) 4457-7425

Joice obrigado pelo seu e-mail. A fístula por você referida é cirurgica. A cirurgia com o laser é realizada sob anestesia local, dura cerca de 20 minutos e você terá alta logo após o procedimento. Alguns pacientes eu faço uma sedação leve. A vantagem do laser é que o mesmo atuará de forma programada somente sobre a fístula o que torna a cicatrização mais rápida e menos dolorida.


8- Dr. Paulo, boa noite!
Meu nome é marcos e gostaria de saber se existe solução para eu sentir prazer sendo passivo, pois quando estou transando apenas sinto muita dor na parte superior da flora anal, por isso, preciso saber se existe algum tipo de cirurgia pára que jamais venho a sentir tanta dor e se eu tenho alguma condição de sentir prazer sendo passivo, sendo que não consegui sentir nenhum tipo de prazer, será que é porque eu so transei apenas três vezes? Grato!

Obrigado pelo seu e-mail. Alguns pacientes apresentaram uma pressão elevada do esfincter anal o que torna a abertura anal dolorosa na relação passsiva e alguns pacientes apresentaram uma fissura anal decorrente da relação. Eu precisaria examina-lo para uma confirmação diagnostica. Não se pode medicar desta maneira.


9- Bom dia, Dr. Paulo Branco, estou com nódulo e doi no ânus do tamanho feijão grande, pode ser pêlo encravado? ou pode ser pimenta que comi na minha alimentação ? , tenho uma ferida no pe parte cima coça esta aumentando, estou sem apetite sexual, a quantidade de esperma diminuiu será que falta de testosterona e um dos motivos da baixa do libido ?, vou completar 44 anos em 07/09/10, faz três anos que não vou no médico fazer exames devo fazer qual ? pai e mãe diabético tem a vê com tesão ? minha esposa esta com 48 anos, esta também sem apetite sexual , qual exame devemos fazer ?. obrigado
Atenciosamente
Raimundo Souto

Obrigado pelo e-mail. O nodulo por você referido possivelmente é uma hemorroida trombosada, isto é o sangue coagulou dentro do vaso hemorroidario. A diminuição do libido ou desejo poderá ter várias causas e a diminuição hormonal e as alterações dos neurotransmissores motivada por alterações emotivas representam causas importantes. Eu tenho tratado através da mediciana ortomolecular.

Dr. Paulo Branco.
http://www.medicinaintegrada.med.br/


10- Boa tarde doutor gostaria de tirar umas duvidas, meu esposo tinha uma verruga na regiao pubiana mas bem proximo ao penis, isso tem dois anos, sendo que agora esta aparecendo outras no seu penis e em mim saiu tb na vagina, gostaria de saber se o virus que causa as verrugas ele fica tanto tempo assim para se manisfestar ou não e ele se manifesta logo no organismo e essa verruga de dois anos que ele tinha, não tem nada haver com o virus, sendo que igual as que estão saindo agora nele e em mim??
 Estou com duvidas se ele adquiriu isso recentemente ou se realmente foi antes de eu estar com ele??? E se esse tratada o condiloma esse virus e curado ou não ele continua sempre no orgamismo???

Existem mais de 140 tipos de vírus que causam as verrugas e o tempo de incubação poderá variar de 2 meses a 10 meses até se manifestar na forma das verrugas. Eu tenho tratado com o laser associado a medicamentos orais para aumentar a resistência local.

11- Tenho 27 anos, e gostaria de tirar uma dúvida sobre algo, há alguns dias atrás acordei sentindo um incômodo no ânus. Por mais uns dias, senti uma leve ardência ao defecar, e ao fazer a higiene notei um pouco de sangue no papel. Nunca aconteceu isso antes, mas existe alguma relação com a má alimentação e/ou passar muito tempo sentada no trabalho? É mesmo necessário fazer exame ou isto é mais corriqueiro e normal do que parece ser? Pode ser algum tipo de machucado que desaparecerá em alguns dias ou tem a ver com hemorróidas, aliás, o que são hemorróidas? Grata pela atenção, aguardo a resposta!

Luna obrigado pelo seu e-mail. O sangramento por você relatado é caracteristico de hemorroida. Ficar sentado por longos periodos de tempo, uma alimentação pobre em fibras associada a fezes endurecidas e a predisposição familiar determinam o aparecimento dos vasos dilatados no reto que chamamos de hemorroida.


12- Ola doutor, estou com um caroço entre o saco e o anus mais pro lado do anus e aparentimente um caroço interno que aprecenta uma certa dor quando eu toco nele nao e muito grande e mais ou menos do tamanho de um caroço de feijao estou muito prelcupado conto com sua ajuda

Você possivelmente poderá ter uma hemorroida externa trombosada, isto é o sangue coagulou dentro do vaso e dá o caroço por você referido. Pomadas adequadas associada a medicamento oral poderá solucionar a trombose que se não resolver deverá ser retirada com o laser.

13- Boa tarde Dr. ja tem um tempo que venho sentindo um encomodo no anus ,uma ardencia e dores.


olhei no espelho e vi que tinha uma alteração em uma veia e me encomoda essa é a quarta vez que me aparece isso

e sempre que vou ao ginecologista esqueço de falar será que é hemorroida e o que devo fazer é na parte externa do anús,

eu tenho relação anal com meu marido será que foi por isso que occoreu esse problema .

Obrigado pelo seu e-mail. Geralmente as fissuras anais costumam ter na dor o seu principal sintoma, porém se apresenta como uma pequena ferida na abertura anal. Essa área por voce referida poderá ser uma irritação da pele sobre o vaso dilatado ou mais especifico de uma hemorroida externa. O sexo anal poderá ser o responsável se for feito com uma lubrificação inadequada, um pênis de grande diamentro ou por falta de relaxamento adequado do músculo responsável pela abertura anal. Reveja essas sugestões antes da relação e use pomadas adequadas para as irritações da pele e evite o uso do papel higienico e condimentos na sua alimentação.

desde ja agradeço

14- Olá Dr. Paulo...
Estou tendo um problema
A mais ou menos 1 mes apareceu algumas coceiras proximas ao anus, essas coceiras viraram feridas e sempre que vou me higienizar apos evacuação percebo alguns vestigios de sangue...
Resolvi parar de coçalas para ver se essas feridas cicatrizavam, mas percebi que elas só param de coçam quando eu as coço... Nem mesmo o banho resolve... E os ataques de coceira são a qualquer horário do dia....

Obrigado pelo seu e-mail. Estes pruridos geralmente são causados por fungos e o uso de pomadas com substancias que são fungicidas poderam determinar a sua cura. No exame local as infecções por fungo têm um aspecto caracterisco: A pele é vermelha clara circundada por uma linha vermelha. Evitar os condimentos, papel higienico e alvejantes.

15- Bom dia Dr. Paulo.

Moro em Florianópolis e gostaria de saber qual a sua recomendação.
Há muito tempo tenho esse probleminha, mas não estava me incomodando a princípio.
O que ocorre, na entrada do ânus, na parte interior, eu noto me tocando que é uma fissura, algo do tipo, não me machuquei, não sou homossexual, mas essa pequena fenda vem me incomodando bastante, gostaria de saber se o Sr pode me recomendar alguma pomada que possa fazer o que eu acredito que seja uma cicatrização disso.
Desde já agradeço,
Lauro Moresco Junior

Obrigado pelo seu e-mail. A causa da fissura é a pressão elevada do músculo formador do esfincter anal e qualquer forma de tratamento deverá baixar a pressão do referido músculo. Existem subtancias de uso local que atuam diminuindo a pressão do musculo e determinando a cicatrização da fissura. Pacientes jovens com fissura anal eu prefiro diminuir a pressão do músculo com o laser, sob anestesia local por ser um procedimento simples e definitivo.

16- Bom Dia Dr. Paulo Branco

Gostaria de saber oque devo fazer pois estou com muita cosseira no anûs bem no canal onde se defeca.
Não sei o porque pois não fasso sexo Anal, tomo banho todos os dias e me limpo.
Oque eu poderia fazer para aliviar de imediato pois estou sem convênio e e muito corrido p/ eu ir ao médico pois sou professora de Educação Fisica vivo correndo.
Será que tem a ver com algum contato na relação sexual pois sempre uso camisinha, mas como ja disse nunca fiz Anal.
Tenho muitos gases ultimante também será que isso tenho a ver pois apesar de professora de Educação Fisica como muito besteira e não tenho uma alimentação balanceada.
Agradeço
Ana Paula

Ana Paula obrigado pelo seu e-mail. O prurido anal poderá trer várias causas e no seu caso as principais poderam ser:

- Hemorroidas internas: Uma porcentagem das hemorroidas internas são acompanhadas de uma inflamação local conhecida como proctite que dá os sintomas por você referidos.
- Papel higienico: Troque por lenços umedecidos neutros.
- Transpiração: Se deficiente aumentará a umidade local o que facilitará a migração de fungos, responsáveis por muitos casos de coceira anal.
- Roupas: Dê preferência as brancas sem alvejantes.
- Anuscopia: É uma endoscopia especifica para examinar com detalhe o canal anal anal.
- Medicamentos especificos de uso local e oral para o prurido e hemorroidas internas.

17- Minha filhinha tem apenas um ano e meio.

Hoje, enquanto dava banho nela, saí do banheiro por um segundo para pegar uma tolha. Nesse meio tempo, ela tentou sair do chuveiro, mas escorregou e acabou caindo em cima de uma embalagem de shampoo que estava no chao do banheiro. Quando fui acudi-la, notei que o objeto havia se introduzido em seu ânus. Ela chorou muito, e evacuou sangue por algum tempo. Expeliu uma pequena quantidade de fezes bastante dura, que visivelmente ainda nao estava pronta para ser expelida. Estou desesperada, nao sei o que faço para ajudar minha filha. Nao consegui horario imediato em um proctologista, entao, por conta propria, passei um creme chamado proctyl, que uso para hemorroidas, mas apenas por fora, uma vez que ela chorava muito e eu nao quis irrita-la mais.
O objeto era uma embalagem de shampoo natura mamae e bebe. Acredito que apenas a parte superior, da tampa, tenha se introduzido. Trata-se de uma tampa esférica, com aproximadamente 3 cm de largura e 3 de altura. Nao é um objeto grande, porém, o fato dela ter caído sobre ele fez com que sua introduçao fosse brusca e violenta.
Minha filha terá problemas para evacuar? O que significa o sangue e as fezes expelidas? Ela pode ter ferido gravemente alguma parte interna? Isso poderá ocasionar hemorróidas ou outro problema da classe?

A conduta ideal é fazer uma analize endoscopica do canal anal para diagnosticar algum ferimento causado pelo objeto referido o mais rápido possivel.

18- Olá Dr. Paulo.

Gostaria de lhe fazer uma pergunta sobre minha saúde, pois encontrei referências suas em vários sites.
Eu tenho vida sexual ativa, sou homossexual, e recentemente surgiram algumas bolinhas com pús e sangue no meu ânus, e um "pedaço" de pele saindo do ânus. Gostaria de saber se isso são hemorróidas, ou coisas normais.Tenho muita vergonha de ir a algum médico, pois tenho 16 anos e não sou assumido. Por favor, me tire essa dúvida.
Obrigado
Douglas.

Douglas obrigado pelo seu e-mail. A pele por você referida possivelmente é uma hemorroida externa, isto é por baixo desta pele há um vaso que pode encher de sangue e dilatar a pele. O nome desta pele em medicina é Plicoma. Muitos pacientes passivos na relação se sentem encomodados esteticamente por esta pele elevada. Estes pacientes geralmente me procuram para retirar a pele com o laser. As bolhinhas podem ser pequenos abscessos causadas por uma bactéria de nome Estafilococos Aureos e geralmente respondem bem ao tratamento com antibioticos.


Dr. Paulo Branco.
http://www.medicinaintegrada.med.br/

19- > Dr. tenho uma pergunta e gostaria que ela não fosse postada no

> site. Quando a pessoa prática sexo anal o ânus se dilata com o> entrar do pênis.
Provavelmente o ânus dilata. Mas ele volta ao
> normal depois como era antes? Na parte externa, nas nádegas ele se
> fecha denovo? Ou é necessário alguma cirurgia para correção?

 Obrigado pelo seu e-mail. A relação anal não causa nenhuma deformidade na estética anal desde que feito dentro da normalidade, com boa lubrificação e com relaxamento dos músculos anais feito de forma correta. Os traumatismos anais decorrentes da penetração quase sempre são causados por ativo apressadinho.
Dr. Paulo Branco.
http://www.medicinaintegrada.med.br/

20- dr.paulo meu nome e rafael tenho 25 anos -sou do RJ- estou

> com hpv na parte interna do anus e ja fiz 2 aplicacoes de tca 80% e
> nao sairam. o tratamento a laser pode ser aplicado? o Sr tem convenio
> com a unimed? o que acho + estranho e nao tenho nada no penis e sou
> hetero nunca tive relacao homo e nem dividi nenhuma mulher. aguardo
> uma reposta abracos

Obrigado pelo seu e-mail. Não indico pomada para o tratamento de hpv.O laser dá um resultado imediato.

Dr. Paulo branco.
http://www.medicinaintegrada.med.br/

domingo, 19 de setembro de 2010

Estenose ou estreitamento anal:Artigo escrito pelo Dr. Paulo Branco

Uma investigação diagnostica através de exames ou um simples toque de um proctologista experiente poderá confirmar o local do estreitamento anal e a participação do músculo esfíncter anal na genese desta delicada patologia.
Dr. Paulo Branco.

Estenose Anal:
Também denominada de estreitamento anal, é o termo aplicado a uma abertura anal anormalmente apertada e sem elasticidade. O tecido macio é substituído em algumas partes por um tecido endurecido ou fibroso. Além do aspecto da pele, há habitualmente uma dimensão estenotica e concomitante da musculatura esfincteriana que contribui de forma significativa para a ausência da elasticidade anal suficiente para a passagem do bolo fecal, levando o paciente a recorrer a quantidades e variedades cada vez maiores de laxantes.

Causas:
Cirurgias proctologicas: Quando o cirurgião retira grandes quantidades de tecidos, como na retirada das hemorróidas de quarto grau a estenose passará a ter uma incidência maior.

- Doença inflamatória: Mais freqüente na doença de Crohn

- Doenças especificas: Tuberculose, actinomico e linfogranuloma venéreo

- Neoplasias: Carcinoma epidermoide, doenças de Paget e Bowen

- Actínica: Pós-irradiação


Sintomas:
A magnitude dos sintomas devido à estenose anal em geral não corresponde ao achados anatômicos. É impressionante como alguns pacientes conseguem levar um estilo de vida relativamente confortável com evacuações razoáveis apesar de uma abertura anal extremamente estreita e rígida que quase não permite a passagem de um dedo indicador.

Queixas freqüentes:

- Constipação

- Diminuição do calibre das fezes

- Dificuldade para evacuar

- Tenesmo ou sensação de peso perineal

- Dor persistente: Ocorre que em muitos pacientes forma-se uma fissura pela não cicatrização da ferida cirúrgica e as fezes forçam a região operada determinando o aparecimento da ferida ou fissura chamada de RESIDUAL.

- Sangramento: Geralmente é decorrente da fissura residual acima descrita.


Diagnostico:
O exame local poderá mostrar um canal anal liso, cônico e estreitado. O toque poderá ser dolorido se houver a fissura. No idoso, por causa do abuso de laxativos (especialmente óleo mineral), um estreitamento involucional resulta em um canal anal delicado, fino e liso que quase não permite a introdução de um dedo indicador. Pode ser evidente um tecido endurecido (fibrose) induzida por uma cirurgia anorretal prévia e, ocasionalmente, a deformidade anal severa. O achado físico isolado mais impressionante é a incapacidade de realizar o toque para a realização do exame digital. Na época em que o paciente procura um aconselhamento de um PROCTOLOGISTA, a correção cirúrgica se faz necessária.


Prevenção:
Como já foi assinalado, ao se evitar a fibrose excessiva com a realização de uma cirurgia anorretal criteriosa, consegue-se reduzir bastante a incidência de estenose anal. Deve ser adotada uma manipulação delicada do tecido, evitando-se o estiramento excessivo, utilizando-se material de sutura adequado e delicado, e com excisão tecidual mínima que irá deixar áreas muito pequenas na região perianal. O tamponamento das feridas anais só deverá ser feita quando absolutamente necessária.


Tratamento:
Os pacientes submetidos à correção cirúrgica para a estenose anal são alguns dos pacientes mais gratos na prática da medicina. Vários procedimentos corretivos formam descritos na literatura medica.

- Dilatação anal:

As dilatações feitas com dilatadores plásticos ou metálicos apesar de ser quase banida como método de tratamento dos estreitamentos, eu tenho usado nas estenoses leves com bom resultado. Nas estenoses mais severas a dilatação não deverá ser realizada, pois o medico não consegue mensurar o esgarçamento que poderá realizar sobre os músculos anais o que poderá gerar hematomas e mesmo a incontinência. O procedimento ideal deve ser simples, com complicação no pós-operatório mínima e realizada a nível ambulatorial. Uso velas metalicas de calibre progressivo. A dilatação deverá ser delicada, com boa lubrificação e a anestesia local facilita e torna o procedimento mais tranquilo.


Cirurgia:
Várias técnicas cirúrgicas foram propostas com retalhos de tecido associada à secção do músculo anal. Eu tenho feito a retirada do tecido endurecido ou fibrosado, seccionado o músculo esfíncter interno para correção da estenose, descolado a mucosa retal que será suturada a pele perianal. É um procedimento simples com bom resultado.

Resultados do tratamento cirúrgico:

Bom resultado: 82%

Regulares: 11,2%

Precário: 5,9%

Fístula anal: Artigo escrito pelo Dr. Paulo Branco.

Dr. Paulo Branco.
As fístulas anais representam uma das afecções mais frequentemente tratadas na minha clinica. É uma afecção que deverá ser diagnosticada e tratada por especialista. Tenho visto muitos pacientes sem diagnostico ou com diagnostico errado como furúnculo por exemplo. Sempre em palestras eu falo que o dianostico das fístulas deverá a principio ser feito de forma simples somente pela palpação do medico proctologista e os exames mais sofisticados como a ressonância pelvica deverão ser indicados na dúvida diagnostica ou na recidiva da fístula.


Fístula Anal
As fístulas e os abscessos perianais fazem parte dos processos supurativos ou infecciosos dos tecidos que formam o canal anorretal. Os abscessos e fistulas perianal fazem parte de um conjunto de sinais e sintomas que têm como base a origem na mucosa do canal anorretal, particularmente na transição entre o ânus e o reto. Na grande maioria das vezes a supuração ou abscesso é inespecífico e em cerca de 10% dos casos está associado a uma afecção intestinal, podemos dizer então que as fístulas anais resultam de um processo infeccioso em glândulas anais, que desce pelo espaço entre os esfíncteres, formando de inicio um abscesso perianal que poderá drenar espontaneamente ou cirurgicamente dando origem a um trajeto chamado de fístula.

Causa:
Primeiro ocorre uma inflamação da glândula anal que posteriormente se torna um abscesso, este cresce entre os músculos anais na direção da pele perianal ou nádega. Este abscesso poderá ser drenado cirurgicamente ou espontaneamente na nádega através de um orifício. A fistula perianal é formada por dois orifícios, um interno que está localizado no ápice da glândula e através deste que os microorganismos penetram nas mesmas ( glândulas ) dando origem a infecção inicial que posteriormente forma o abscesso que drenará em um orifício externo. A fístula é o conjunto dos orifícios mais o trajeto. Podem ocorrer trajetos secundários, multiplicidade de orifícios e mesmo de secreção.



Sinais e sintomas:
O principal sinal clinico de fístula perianal é a drenagem de material purulento através do orifício perianal, com aumento da dor local. O orifício interno e o trajeto fistuloso poderão ser sentidos pela palpação local do medico como um cordão endurecido ou fibroso que se dirige para o orifício externo. A palpação do trajeto fistuloso poderá levar a drenagem de secreção purulenta por um dos trajetos.



Diagnostico:
Na fase aguda uma tumoração ou abaulamento geralmente avermelhado e com aumento da temperatura da pele poderá ser facilmente identificado pela inspeção local. Essa tumoração piora com o deambular e as evacuações. Poderá ocorrer uma drenagem da coleção purulenta pelo próprio organismo com um alivio da sintomatologia. O elemento diagnostico mais importante da fistula é identificar a comunicação do processo infeccioso com o canal anorretal. Geralmente este trajeto é bem identificado pela palpação local de um cordão fibroso, se isto não ocorrer pedimos uma ressonância magnética ou uma ultra-sonografia endoanal. Como o abscesso e a fístula fazem parte de uma mesma doença, é possível fazer um diagnostico dependendo da fase que a afecção se encontra. O diagnostico diferencial deverá ser feito com as infecções locais como dermatites, foliculites, furúnculos, etc.


Classificação:

1- Quanto ao numero de trajeto:

- Simples: São as fístulas formadas por um trajeto e poderá ser palpada como um cordão fibroso que se dirige da nádega para o interior do canal anal. O orifício externo da fístula geralmente está situado distante da abertura anal, cerca de 2 a 3 cm.

- Complexa: São as fístulas formadas por mais de um trajeto ou orifício e muitas delas poderão comprometer com mais freqüência os músculos que formam a região perianal ou mesmo se localizarem em regiões de difícil acesso para o diagnostico e tratamento.

2- Em relação ao músculo anal:

- Pré-esfincteriana: O trajeto da fístula passa entre o músculo e a mucosa, isto é passa pela frente do músculo.

- Trans-esfincteriana: O trajeto da fístula passa através das fibras musculares.

Obs. O tratamento cirúrgico destas fístulas apresenta uma maior incidência de incontinência anal, porque a retirada completa da fístula exige a retirada do músculo. O cirurgião deverá ter o preparo e habilidade para fazer uma aproximação adequada dos segmentos musculares no momento da cirurgia diminuindo assim os riscos da incontinência.

- Pós-esfincteriana: O trajeto fistuloso passa por trás do músculo.



Tratamento:

Abscessos:

- Abscessos superficiais: Realizo a sua retirada com o respectivo trajeto fistuloso na mesma cirurgia.

- Abscessos profundos: Realizo somente a drenagem, pois aumenta o risco de lesar os músculos responsáveis pela continência anal.

Fístulas:
- As Fístulas que não fecham espontaneamente deveram ser tratadas pela retirada cirúrgica.

Existem várias técnicas de tratamento cirúrgico. A retirada da fístula com o laser, sob anestesia local com alta algumas horas após a cirurgia é a conduta adotada na minha clinica.


Comentário: Dr. Paulo Branco

Ás fistula geralmente são de trajeto curto e o cirurgião se tiver um instrumental adequado, incluindo o laser realizará a cirurgia completa, isto é retirando os orifícios e o trajeto fistuloso. O tempo difícil da cirurgia para a retirada da fístula é a identificação do orifício interno da fístula. Eu desenvolvi um instrumento que identifica com facilidade este orifício, o que torna a cirurgia mais fácil e a possibilidade do cisto voltar menor. As fistulas que passam pelo músculo anal ou trans-esfinteriana requerem um exame intra-operatório minucioso do seu trajeto. Após realizar a anestesia local eu idealizei um guia metálico com disposição em V que externaliza o orifício interno e me dá a posição exata da fístula em relação ao músculo esfíncter interno o que tornou a cirurgia possível de fazer sob anestesia local e a retirada da fístula com os seus orifícios mais fácil. Os casos de fístulas recidivadas por mim reoperados me levaram a conclusão de que uma boa técnica cirúrgica associada ao guia referido e o laser permitiram o sucesso da reoperação.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Causas do insucesso das cirurgias proctologicas e como evitá-las: Dr. Paulo Branco

1- Hemorroida:
Causa de insucesso da  ligadura elástica:
A ligadura elástica é um procedimento indicado para o tratamento das hemorroidas iniciais responsáveis pelo sangramento anal. O anel elástico deverá ser colocado acima de uma linha chamada denteada, porque acima desta linha a inervação é autonoma e o paciente não terá dor, se a borrachinha for colocada abaixo desta linha, a inervação é sensitiva e o paciente irá referir uma dor insuportável e deverá ser retirada imediatamente.

Causas de insucesso nos procedimentos cirúrgicos:
A cirurgia para tratamento das hemorroidas geralmente são indicadas para hemorroidas classificadas como de 3º ou 4º grau. Essas hemorroidas são formadas por dois componentes, um interno constituido de mucosa retal e outro externo formado por pele perianal que é aquela bolhinha referida pelos pacientes, esses dois componentes a medicina chama de prolapso ou saída dos componentes referidos para fora da abertura anal. O sangramento e o estreitamento ou estenose anal representam as causas mais frequentes de insucesso tardio da cirurgia para tratamento das hemorroidas.

- Fissura Residual:
É uma pequena ferida, que poderá ser única ou multipla, presente nos pacientes que realizaram cirurgia para o tratamento de hemorroidas geralmente de 3° ou 4º graus. Os pacientes tratados na minha clinica, a maioria referiam que tinham sido operados a mais de um mês e que a ferida não cicatrizava. Essas fissuras  resultam da não cicatrização completa das feridas cirúrgicas resultantes da retirada das hemorroidas e poderam se manter por longos periodos de tempo devido a um estreitamento anal cicatricial ou um espasmo ou hipertonia do músculo esfínter anal. Esses dois fatores fazem com que as fezes encontrem dificuldade em passar por uma abertura anal  que deveria ser elastica e pervia e se encontra fixa, inelastica e endurecida. As pomadas colaboram por ter ação anti-inflamatória, analgésica, cicatrizante e substâncias que atuam diminuindo a pressão do músculo esfinter anal, porém não tratam o estreitamento se este for formado por um tecido cicatricial endurecido. O espasmo muscular poderá ser consequente a irritação do esfincter pela ferida, porque geralmente o músculo está abaixo da ferida, ou porque o músculo já apresentava a pressão elevada associada a hemorroida antes da cirurgia. Na minha experiência para que essas fissuras cicatrizem o estreitamento anal e a hipertonia muscular deveram ser corrigidos.

-Sangramento maciço:
As hemorroidas são vasos dilatados que geralmente estão presentes em toda a circunferência anal e o cirurgião têm de realizar uma hemostasia cuidadosa e minuciosa para que não ocorra um sangramento importante no pós-operatório imediato que necessite de uma reintervenção para ligadura do vaso responsável pelo sangramento. As manobras intrumentais e manual do cirurgião e auxiliares deverá ser delicada durante o procedimento, pois é uma região muito delicada e que em muitos casos além dos vasos dilatados há uma inflamação local chamada de proctite. A taxa de 2% de sangramento importante é  referido pela literatura médica. Se durante a cirurgia eu encontrar um vaso importante que naquele momento causou um sangramento importante eu realizo a sua ligadura com um fio resistênte e adequado e se eu achar que não foi suficiente eu realizo uma segunda ligadura. Um cirurgião responsável nunca se arrependerá de realizar uma segunda ligadura, mas poderá se arrepender profundamente de ter dado.

- Estreitamento ou estenose anal:
São termos usados pela medicina e que traduzem uma abertura anal apertada ou inelástica e que representam um insucesso do tratamento cirúrgico das hemorroidas. Além do aspecto cutâneo ( pele ), há habitualmente uma dimenção estenótica e concomitante da musculatura esfincteriana que contribui para a ausência da elasticidade necessária para que haja abertura anal suficiente para a passagem de uma massa fecal normalmente formada, fazendo com que os pacientes recorram a quantidades e variedades cada vez maiores de laxativos. O estreitameno ou estenose anal
ocorre quando se retira uma grande quantidade de tecido durante a retirada das hemorroidas. No tratamento cirúrgico das hemorroidas maiores o cirurgião deverá ser rigoroso nos principios que régem a boa técnica cirurgica. Experiência, manuseio delicado (manual e instrumental) juntamente com a associação de diferentes técnicas cirúrgicas corroboraram para evitar o estreitamento anal na minha experiência. Como alguns medicos me enviam e-mail com perguntas sobre este tema eu queria lembrar que o cirurgião sempre deverá deixar as pontes de tecidos normais entre as zonas de retirada das hemorroidas, porque é a partir deste tecido que haverá a cicatrização sem estreitamento.

2-Fístula anal:
Causas do insucesso:
- Retirada imcompleta da fístula anal:
A retirada parcial das fístulas foi a principal causa de recidiva nos casos que eu reoperei na minha clínica, indicados para serem operados com o laser. O paciente geralmente apresentará toda a sintomatologia de dor e perda de secreção pelo ânus. Essa complicação geralmente decorre da retirada imcompleta da fístula. As fistulas são formadas por um trajeto e dois orifícios, um orificio na nádega e outro interno, este muitas vezes tem uma relação muito próxima  ou mesmo chega a passar através do músculo anal responsável pela continência e o cirurgião com pouca experiência não retira esta parte da fístula pelo receio de lezar o esfíncter o que determinará incontinência anal. Uma boa estratégia diagnostica no pre´-operatório  guarda uma relação direta com o sucesso da cirurgia para reoperação das fístulas anais.
Comentário: Dr. Paulo Branco.
O cirurgião deverá classificar a fístula em relação aos múscuos responsaveis pela continência anal, antes ou durante o procedimento cirúrgico. Antes de retirar o trajeto fistuloso eu cateteriso o mesmo com um guia metálico desenhado por mim para estudar de forma minuciosa as suas realações com os músculos anais e somente após esta conclusão é que eu retiro a fístula com o laser.

- Mais de uma fístula anal:
O medico deverá ter certeza de que existe somente um trajeto fístuloso, pois em alguns casos poderá haver mais de um e a cirurgia poderá ser imcompleta. O medico experiente pela inspecção anal poderá na maioria dos casos detectar o orifício externo e afastar esta possibilidade. Se houver suspeita de mais de um trajeto  a ressonância magnetica representa a grande evolução diagnostica.

- Anestesia local, poderá tornar a cirurgia dificil:
As fístulas simples poderam ser retiradas com anestesia local e/ou sedação, principalmente nos pacientes ansiosos que no momento do procedimento poderam contrair os músculos e tornar dificil a retirada do orificio interno da fístula o que determinará o seu insucesso. As fístulas complexas eu quase sempre faço a cirurgia com bloqueio ou Raquianestesia. Do ponto de vista prático e considerando a experiência do proctologista eu acho que todos os pacientes submetidos a cirurgia para a retirada da fístula deveram ser no mínimo sedados porque estes pacientes ao contraírem os músculos perineias tornam praticamente impossível a retirada do orificio interno das fístulas e a cirurgia é extremamente desconfrtavel para os medicos e pacientes. As fístulas simples e de curto trajeto eu tenho retirado com o laser e sob anestesia local sem sedação.

- Tentativa de retirada da fístula na fase aguda ou de formação do abscesso:
Na fase aguda há formação de uma coleção de secreção geralmente purulenta que determina um processo inflamatório contiguo aos músculos esfincterianos e o verdadeiro trajeto da fístula se formará somente após a drenagem desta coleção. A tentativa de retirada da infecção neste momento é desaconselhavel pois poderá haver lesão dos esfinteres e será imcompleta em relação a fístula. Nesta fase a drenagem com colocação de dreno é a melhor conduta.

3- Fissura anal:
- Manutenção da pressão do músculo esfíncter anal:
Eu costumo falar aos meus pacientes que a cirurgia para tratamento da fissura anal deverá ser a mais fisiológica possível e o medico deverá saber que a causa da fissura é a pressão elevada do músculo esfincter interno do ânus e a pressão DESTE músculo deverá ser diminuida porque existem outros músculos próximo a este.

- Manutenção da Fissura Crônica:
A fissura crônica é formada por um tecido endurecido, fibrosado que deverá ser retirado durante a cirurgia, este tecido não cicatrizará se for somente cauterizado, mesmo baixando a pressão do esfincter.


4- Cisto Pilonidal:
 A principal causa do insucesso da cirurgia para retirada deste cisto é a sua retirada imcompleta. Eu procuro realizar um estudo detalhado sobre a constituição do cisto, seus trajetos e grau de infecção para fazer um planejamento cirúrgico o mais completo possível. A maioria destes cistos por mim operados tinham um único trajeto, porém uma minoria apresentava dois ou mais trajetos acessórios, responsáveis pela reciva da afecção. Nos últimos anos acrescentei no meu protocolo de tratamento a antibioticoterapia e a depilação a laser da pele na volta do cisto, criando uma área de segurança porque muitas vezes o cirurgião atua em área com pelos o que poderá determinar a permanência destes pelos dentro da cicatriz cirúrgica com recidiva do cisto e insucesso da operação.

5- HPV ou Condiloma:

-Anal:
A orientação do uso de pomadas sobre as verrugas parece uma conduta mais fácil, menos agressiva e de resultado mais imediato. Essa abordagem é um incentivo para que os mais imediatistas não façam uma investigação das lesões verrugosas dentro do reto, tanto as visíveis somente pela inspecção como as detectadas por técnicas de coloração recentemente por nós adotadas para a detecção do vírus. A impossibilidade de tratamento com pomadas das verrugas dentro do reto representou
 no meu consultório a principal causa de insucesso no tratamento do HPV.

- Peniano:
O insucesso no tratamento da verruga peniana parece maior nos pacientes que têm um excesso de pele
ou mesmo fimose que criam um meio adequado para a multiplicação viral e recidiva em retorno da afecção. Eu sempre realizo a retirada da pele com o HPV.


Comentário: Dr. Paulo Branco.
O insucesso do uso das pomadas tanto na pele como na mucosa retal muitas vezes têm consequências orgânica, estética e psicológica para os praticantes do sexo passivo e  que deveram ser considerados e refletidos pelos profissionais que indicam esta forma de tratamento. Eu como atendo e trato o público GLBT já vivenciei esta situação algumas vezes. O papel do medico é fundamental em todos os aspectos
e deverá transmitir ao paciente confiabilidade, segurança e certeza de que será possível obter um bom resultado do tratamento e retomar a sua vida normal.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Diagnostico: Sintomas e causas, diarréia.

Diarréia:
1- Infecção Bacteriana:
Adquire pela ingestão de alimentos estragados ou mal cozidos, como ovos, derivados do leite, frango ou carne moída. O sexo oral-anal poderá ser a causa tambem.

2- Sindrome dos Intestinos Irritável:
A teoria mais nova sobre esta sindrome é que aja uma diminuição da serotonina intestinal e o paciente poderá alternar diarréia com prisão de ventre associada a mudanças de humor e ansiedade. Tenho usado medicamentos que elevam a serotonina com uma grande melhora dos sintomas.

3- Gastroenterocolite:
Poderá ser causada por vírus e o paciente têm uma asssociação de dores no corpo e diarréia.

4- Parasitas e bacterias:
Sendo a infecção pela Entamoeba Histolitica  e a Escherichia Coli enteropatogenica  as mais frequentes no nosso meio.

Diagnostico: Causas e sintomas, secreção peniana.

Secreção peniana:
1- Uretrite Gonocócica:
Dor em queimação durante a micção e eliminação de uma secreção amarelada e abundante pelo meato ou orificio uretral.

2- Uretrite Não Gonocócica:
Perda  de uma secreção transparente que poderá ser abundante ou visivel somente se você espremer o esperma.

3- Pré-Orgasmo:
Tem inicio durante a fase de excitação sexual quando a próstata, vesículas seminais e glandulas acessórias menores secretam um fluído transparente pela uretra.

Diagnostico: Sintomas e causas, dor anal. Escrito no livro Manual da saude Gay.

Dor anal:
1- Espasmo do esfíncter anal:
Dor forte e aguda quase sempre após o sexo anal, uso de brinquedos e evacuação. Este espasmo com o tempo e se associado a fezes endurecidas por dieta pobre em fibras e baixa ingestão de água poderá levar ao aparecimento da fissura anal.

2- Fissura anal:
Dor frequentemente descrita pelos pacientes como em pontada, lacerante ou cortante, junto com as evacuações e sangramento vermelho rutilante em volume consideravel. Frequentemente poderá começar após uma prisão de ventre ou mesmo uma relação.

3- Abscesso Anal:
Coleção de secreção purulenta perianal determinada pelas fezes levará a um quadro infeccioso com dor, febre, fraquesa.

4- Fístula Anorretal:
É uma comunicação entre o reto e a nadega que poderá ser infectada pelas fezes e gerar a dor. As fístulas resultam dos abscessos que após drenarem formam o trajeto acima referido.

5- Hemorroida Trombosada:
É um pequeno caroço duro próximo a abertura anal. O sangue coagulou dentro do vaso o que comprime a pele determinando a dor.

6- Trauma:
Ferimento acompanhado de dor após o sexo anal ou pelo uso de forma inadequada dos brinquedos.

7- Proctite:
Inflamação na parte interna do canal anal, que geralmente determina uma dor em pontada e geralmente acompanha as hemorroidas internas.

8- Tumores anais:
São tumores que comprimem as terminações nervosas perianais e determinam o aparecimento da dor.

9- Proctalgias:
São caracterizadas por espasmos ou fortes contrações dos músculos formadores do assoalho pelvico e os pacientes referem uma piora da dor quando ficam muito tempo sentados e melhora quando levantam e caminham.

Diagnostico: Sintomas e causas, sangramento retal? Escrito no livro Manual da Saude Gay.

Sangramento retal:
1- Fissura Anal:
Ferida anal com sangramento vermelho vivo acompanhado quase sempre por dor intensa e diagnosticada pelo toque retal com delicadeza e boa lubrificação.
2- Retocolite Ulcerativa:
Ulceras no Reto e Colon. Sangue junto com as evacuações que poderá ser acompanhado de tenesmo e dor retal. O diagnostico será feito pela Colonoscopia com multiplas biopsias.
3-Tumores no Cólon:
Sangramento junto com as fezes e o diagnostico confirmado pela colonoscopia.
4- Diverticulos:
 Pequenas formações em forma de um fundo de saco de mucosa intestinal. O exame radiologico ( enema opaco ) e a colonoscopia indicaram a presença dos diverticulos.
5- Hemorroidas:
Sangue vermelho vivo no papel higiênico ou pingando no vaso sanitário. Normalmente sem dor.
6- Fissura Anal Traumatica:
Sangue vermelho vivo após o sexo anal ou uso de brinquedos. Poderá ser acompanhado de dor.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

DST: Qual o tempo de incubação das principais doenças? Escrito no livro Manual da Saude Gay.

Tempo de incubação das DST:
- Condyloma (Verrugas genitais): O período médio de incubação após o contato físico com um parceiro contaminado é estimado em media três meses, mas poderá ser mais curto, cerca de seis semanas, ou até mesmo durar vários anos. Muitos homens que fizeram sexo com outros homens carregam este vírus, mas talvez não tenham as verrugas que é a forma de expressão clinica da doença.

- Gonorréia: Uma secreção infecciosa pode ter início dois a cinco dias após o sexo com um parceiro infectado. A dor é comum nas infecções uretrais, mas pode não existir nas infecções anais.

- Uretrite Não Gonocócica: Uma secreção peniana transparente e infectada tem início em uma a cinco semanas após o sexo com um parceiro contaminado. Você pode sentir uma queimação durante a micção. Infecções não tratadas podem se espalhar para a próstata e para os testículos e epidídimos.

- Hepatites: Normalmente você estará contaminado e pode transmitir o vírus ao seu parceiro mesmo antes de saber que está contaminado. O período de incubação a partir do momento do contágio até você ficar doente varia. No caso da hepatite A, vai de duas a seis semanas e para as hepatites B e C têm um período médio de incubação de duas semanas a seis meses.

- Herpes: Aproximadamente uma semana após o contato físico íntimo com um parceiro infectado, você começa a sentir uma queimação. Depois de um dia ou dois, surge um pequeno grupo de bolhas. Crises recorrentes são comuns, e a doença é incurável.

- HIV: Os sintomas da AIDS normalmente começam em até dez anos após a contaminação. Os testes-padrão para anticorpos contra o HIV serão quase sempre positivos dois meses após o contágio, ou podem levar até seis meses. As medições da carga viral, algumas vezes, podem denunciar a contaminação em um mês após a exposição.

- Sífilis: Um cancro, ou úlcera avermelhada indolor, aparece no seu penis ou na região anal dentro de 90 dias após o sexo com um parceiro infectado. Caso não seja tratado, o cancro se cura sozinho, mas a doença progride.

- Pediculosis púbis (chato): A coceira é quase sempre o primeiro sinal da infestação e começa uma semana a partir do primeiro contato físico íntimo com um parceiro infectado. Se você já teve chatos antes, já está sensibilizado e a coceira começará quase imediatamente.

- Molusco Contagioso: Dentro de um a três meses após o contato físico íntimo, surgem pequenas bolhas do tamanho da cabeça de um alfinete com uma depressão central. Se não forem tratadas continuaram a crescer.

- Escabiose (Sarnas): A coceira que piora ao anoitecer tem inicio uma semana após o contato íntimo.

domingo, 15 de agosto de 2010

Revista Lado A: Leia a entrevista exclusiva com o Dr. Paulo Branco:

26/03/2009 - Entrevista exclusiva: Dr. Paulo Branco
Admirado por profissionais do meio médico, referência entre acadêmicos e gays que buscam informações sobre saúde, o Dr. Paulo Branco há 25 anos se dedica à medicina e nos últimos tem se mostrado um destaque na saúde de homossexuais, desenvolvendo um trabalho de qualidade no atendimento e no entendimento das especificidades desta população. Formado em medicina da UFPA e mestre em gastroenterologia, Branco se especializou em proctologia e ministra cursos e palestras sobre o assunto. Além disso, possui colunas nas quais responde sobre dúvidas em diversos sites para gays como Mix Brasil, Casa da Maite e na G Magazine, onde colabora há meia década. De São Paulo, onde mora, o médico respondeu nossas perguntas que foram um pouco diferentes da que fazem para ele em suas colunas.

-Revista Lado A - Quando o Dr. resolveu trabalhar com o público gay?

Dr. Paulo Branco - Já exercia a Proctologia há alguns anos e resolvi estudar sobre o uso do Laser nesta especialidade e comecei a aplicá-lo no tratamento das afecções anais. Um dia, eu estava em uma banca de revista e o jogador de futebol Vampeta pousou para a revista G magazine. Eu olhei para a capa, li os temas e notei que não havia nenhum item relacionado à saúde deste público. Falei para o rapaz da banca colocar dentro de uma caixa todas s revistas voltadas para o público G, e ele respondeu que só havia a G Magazine. A avalanche destas revistas nas bancas ocorreu recentemente e se você observar o numero de profissionais da saúde que anunciam ou escrevem é quase zero.
-No início, houve algum preconceito por parte dos outros médicos?

Não há preconceito e sim um respeito misturado a curiosidade pelo meu trabalho com o público gay. Os médicos têm a curiosidade de saber sobre a forma ou tipo de linguagem ou diálogo na minha rotina de consultório. O que eu observo é que há uma dificuldade em encontrar um dialogo aberto, claro e ético do médico com os gays e principalmente com o casal gay.
-Tem muito médico homofóbico?

A sociedade parece ter uma tendência heterossexista e homofóbica que poderá ser ilustrado por um fato ocorrido comigo. Fui convidado para fazer a proctologia com laser em uma clínica. Estava tudo certo e na reunião final um médico sugeriu que eu tivesse uma sala separada para os meus clientes. Eu perguntei o porquê da sala e ele me respondeu que soube que eu atendia o público G e ele não queria ver na mesma sala os seus pacientes misturados aos meus e mais que ele era católico. Eu levantei, o cumprimentei e falei que respeitava, porém não aceitava a sua posição homofóbica.
-Qual a diferença, para o médico, do paciente homo e do hétero?

Eu atendo muitos pacientes gays que se queixam que não conseguiram colocar para o médico a sua vida como ela é. Parece haver uma barreira cerebral do médico em compreender e entender a vida homossexual e ele conversa com o paciente como se ali estivesse um heterossexual, não dando a menor chance do paciente falar do seu eu. Até agora não entendi se é uma sublimação ou negação que ocorre com o profissional.
-É importante o homossexual contar ao médico que é homossexual? Em quais casos?

É de importância crucial um diálogo aberto e claro sobre a vida sexual do paciente, principalmente para o diagnóstico das doenças sexualmente transmissíveis, que podem envolver o parceiro. Não tem como um médico diagnosticar uma DST como, por exemplo, o HPV sem conversar claramente com o paciente. É incrível o número de pacientes que mesmo sendo homossexuais assumidos não conseguiram se abrir com os seus médicos, porque não houve abertura ou por vergonha mesmo.
-Quais as principais enfermidades que atingem homossexuais e por quê?

As pessoas de um modo geral acham que os gays têm mais doenças anais que a população geral, principalmente as proctológicas, como as hemorróidas, por vincularem com a penetração uma relação direta de causa e efeito com as doenças, o que sabidamente é uma mentira preconceituosa. Somente os gays promíscuos apresentam uma maior incidência de doenças sexualmente transmissíveis, como HPV, gonorréia que a população geral. Na minha experiência das doenças sexualmente transmissíveis, que acometem o homossexual, o HPV (verrugas) foi a mais freqüente e das proctológicas a hemorróida, seguida da fissura anal.

-Há quanto tempo o senhor tem colunas voltadas ao público homossexual? Qual a quantidade de e-mails que o Sr. responde?

As colunas há cinco anos e os e-mail não os quantifiquei, porém respondo todos os dias e-mails do Brasil e exterior.
-Quais as maiores dúvidas dos gays quanto à saúde?

As dúvidas mais freqüentes estão relacionadas à lavagem ou limpeza anal antes da relação, complicações da relação anal, DST, dildos e hemorróidas.

-Há outros médicos especializados, se podemos assim dizer, em homossexuais, no Brasil? Quem?

Não há especialização e sim uma forma linearmente igual de atender o ser humano, sem raça, regras, credos e preferências.

-Como estão as pesquisas, vacinas, sobre o HPV e é possível a cura definitiva?

A vacina é a forma ideal de prevenção do HPV. O problema é que existem mais de 100 tipos de vírus, quando adquirimos imunidade para um tipo, pegamos outro e se instala novamente a doença. Para as mulheres a vacina praticamente será uma real prova de prevenção, porém para os homens está incipiente e a nível laboratorial. No momento, evitar muitos parceiros e o uso da camisinha representam as melhores formas de prevenção do HPV, que no momento não tem cura definitiva. Eu há 10 anos uso o laser associado a uma substância de uso local que aumenta a resistência dos pacientes ao vírus.


-Afinal, sexo oral é seguro?

Para os gays, o sexo oral é um dos atos sexuais mais íntimos. O sexo oral, ou mesmo um beijo, poderá transmitir de um parceiro para o outro a maioria das doenças sexualmente transmissível, incluindo a herpes, sífilis, gonorréia, verrugas, hepatite, uretrites e prostatite com ou sem ejaculação. A maioria dos médicos concorda que haja um pequeno risco de transmissão do HIV após sexo oral desprotegido e que este risco aumenta se o seu parceiro ejacular na sua cavidade oral ou se você tiver inflamações, ferimentos e sangramento gengival. Há casos suspeitos de transmissão do HIV por essa via, portanto insista que o seu parceiro use a camisinha para você estar 100% seguro.

Contatos: Dr. Paulo Branco
Para tirar dúvidas e saber mais sobre o trabalho do Dr. Paulo Branco, acesse:
-SITE: http://www.medicinaintegrada.med.br/
-MSN: paulobranco@terra.com.br
-blog: blogdasaudegayblogspot
-e-mail. paulobranco@terra.com.br
- Consultórios:
Vila Nova Conceição: 011-38467973 com Fátima
Lapa: Rua Coriolano, 391 com Mônica: 011-86663281
Lapa: Rua Roma com Heloisa no fone: 011-28075919
Avenida Paulista com a Mônica: 011-86663281

Hemorroida: Afecções frequentemente associadas as hemorroidas:

AFECÇÕES CONCOMITANTES AS HEMORROIDAS


Eczema ou Dermatite

Em casos onde processos inflamatórios associados com hemorróidas se disseminam para os tecidos próximos, isto dá origem à inflamação da pele perianal, que tem como sintomas vermelhidão local, irritação, perda de secreção e muco do ânus, levando ao que se chama de eczema ou dermatite. Muitas vezes organismos nocivos como os fungos presentes nesta região infectam a pele. O aspecto característico ao exame medico local é a presença de uma área avermelhada contornada por uma linha vermelha. Muitas vezes um exame endoscópico do canal anal detectará a hemorróida interna que se devidamente tratada ( pomada ou ligadura elástica) determinará a cura da dermatite. As hemorróidas maiores poderão drenar uma secreção que irritará a pele local. Orientação nutricional de higiene local e dietéticas deverão ser instituídas associadas a pomadas associadas muitas vezes a medicamento para fungo trazem bons resultados.

Outras causas de Eczema:

Alergia de contato ao papel higiênico, antibióticos orais que alteram a flora intestinal, resíduos de detergente que se aderem a roupa de baixo, sabão, infecção por fungo e oxiúros.

Papilites ou Criptites

Existem pequenas papilas na região anal que normalmente são pouco visíveis. Quando essas papilas inflamão pelo tecido hemorroidário (Flebite) se tornam aumentadas e podem entrar em prolapso. O sintoma é a dor que piora com os movimentos intestinais e evacuações. Essas papilas podem ser vistas como pequenas bolhinhas de forma esférica ao exame endoscópico. O tratamento na fase aguda é com pomadas para o tratamento de hemorróidas e na fase crônica pela retirada cirúrgica sob anestesia local.

Trombose ou Hematoma perianal

O esforço para evacuar, levantamento de grandes pesos, uso de laxantes, diarréia, maus hábitos de comida e bebida podem resultar em ruptura e hemorragia das hemorróidas dentro do tecido na volta da abertura anal que fica de aspecto tumefeito, edemaciado e de coloração azulada. Esse sangue extravasado se coagula e forma um nódulo na volta do ânus que chamamos de trombose hemorroidária. Quando a dor é apenas leve o tratamento com pomadas se impõe, porem se a dor é intensa a retirada do coagulo sob anestesia local será a forma de tratamento de escolha, principalmente nas primeiras 72 horas.



Fissura Anal

A diferença fundamental é a dor que está geralmente presente nas fissuras anais e ausente nas hemorróidas.

Tumor

Não há associação causal. No sangramento por tumor geralmente o sangue vem misturado com as fezes e na hemorróida o mesmo vem após a evacuação e mancha o papel higiênico ou goteja no vaso sanitário.

Hemorroida: Artigo escrito por mim e que define a minha conduta nos pacientes com hemorroidas:

Hemorróidas


Anatomia vascular anorretal:

Existem muitos vasos que arteriais e venosos na parede do Reto , ânus e períneo, portanto esta região é ricamente vascularizada. Entenda que estes vasos são divididos em artérias e veias. As primeiras levam os nutrientes e oxigênio para os tecidos e as veias captam os detritos resultante do metabolismo celular e levam para o fígado e rins para uma depuração .

Essas veias a semelhança das pernas dilatam e formam as varizes da região anal conhecidas como hemorróidas. Se essas hemorróidas estiverem localizadas dentro do reto são chamadas de internas e se fora externas. As internas são classificadas de acordo com o seu prolapso ou saída pelo ânus em :

- Primeiro e segundo grau:

Estão dentro do reto e tem o sangramento vermelho vivo INDOLOR que goteja no vaso sanitário ou mancha o papel higiênico como o principal sintoma.

Essa hemorróidas poderão ser diagnosticadas por um exame endoscópico da parte interna do ânus e tratadas por substâncias administradas por via oral que estimulam o esvaziamento das veias retais, associada a uma dieta rica em fibras, exercício físico regularmente e/ou ligadura elástica , que consiste em colocar um pequeno anel de borracha na base da hemorróida que seca e cai. Eu tenho associado ao laser na minha clinica a borrachinha.

Terceiro e quarto grau:

Essas hemorróidas poderão ser visualizadas no bordo anal como pequenas bolhinhas revestidas por pele. O sangramento indolor também está presente e poderá está associado ao prurido ( coceira). Pontadas dentro do reto e dor. A dor poderá ser por uma inflamação na parte interna do reto conhecida como proctite, fissura ou ao abscesso anal. Essas afecções estão no bordo anal e um medico experiente ao olhar o canal anal associada ao toque sem muita pressão confirmar o diagnostico. O tratamento de inicio é clinico já acima referido e se não resolver será cirúrgico. A cirurgia há alguns anos eu tenho feito com o laser sob anestesia local. O laser por ser programado determinará uma cicatrização mais uniforme, estética e mais rápida que a cirurgia tradicional. Você recebe uma apostila com todas as orientações sobre os cuidados com região anal e uma dieta rica em fibras.


Hemorróidas Externas:

Essas hemorróidas poderão ser visualizadas na parte externa da abertura anal. Muitos pacientes me procuram porque essas hemorróidas os incomodam do ponto de vista estético e as mulheres também reclamam da dor ou coceira resultante do atrito da pelhinha com a calcinha ou por esta impede uma higiene adequada após as evacuações ficando detritos fecais que irritam a pele determinando uma dermatite com intensa coceira em alguns casos.

Essa pelhinha é diagnosticada em medicina como PLICOMA , sendo formada pela pele isquemiada ( morta) e um vaso abaixo dela.

A cirurgia é a única forma de tratamento definitiva para uma correção estética que é muito pessoal e importante para o paciente e não muito compreendida pelos médicos. Eu realizo a retirada com o laser, alcançando o resultado estético e funcional desejado.

Trombose hemorroidária:

O sangue desta hemorróida externa poderá coagular dentro da hemorróida, levando ao aparecimento de uma bolhinha dura, fora da abertura anal e muitas vezes de aparecimento abrupto, deixando o paciente apreensivo. Esta trombose poderá se resolver espontaneamente, sendo o coagula expulso pelo organismo através da pele ou se isto não ocorrer deverá o coagulo ser retirado cirurgicamente.

Perguntas e respostas em proctologia:

Porque o Sangramento é vermelho Vivo se a hemorróida é uma veia?

O corre que o sangue que vem pela artéria passa para a veia antes de chegar nos tecidos o que em medicina se chama de fístula, determinando uma dilatação das veias e como essas têm orifícios na sua parede, o sangue vermelho proveniente da artéria sob pressão esguicha por estes orifícios.

Hemorróida é sempre uma doença benigna?

Sim, do principio ao fim independente do seu tipo se interna ou externa.

A ligadura elástica é segura e sem complicações?

É uma técnica segura e já consagrada no mundo inteiro. A borrachina deverá ser colocada no vaso na mucosa retal e nunca na abertura anal e para isso sempre antes de fazer a técnica o medico deverá visualizar esses vasos através de um anuscopio. A razão é que a inervação do reto é classificada como autônoma, isto é indolor enquanto que a inervação do ânus e sensitiva, isto é dolorosa. Se após a ligadura elástica o paciente referir um pequeno incomodo será normal, porém se a dor for intensa a borrachinha deverá ser retirada pois está posicionada no lugar errado.

Espero que você enriqueça os seus conhecimentos, tire as dúvidas e mantenha a sua saúde em dia?

Dr. Paulo Branco.

WWW.medicinaintegrada.med.br

MSN.paulobranco@terra.com.br

Fissura Anal: Artigo escrito por mim que define a minha linha de tratamento nos pacientes com fissura anal ?

Fissura anal


Conceito:

A fissura anal é uma pequena feridinha, geralmente de forma triangula e localizada na parede posterior da abertura anal. O seu início é na parte interna do ânus e o seu fim na margem anal.

Nem todos os fatores envolvidos no aparecimento e manutenção da fissura estão esclarecidos, mas o fator inicial mais comum é o traumatismo causado pela passagem de um bolo fecal volumoso e endurecido por um músculo formador do esfíncter anal muito fechado, estreito ou com pressão muito elevada de modo que ocorrerá um esgarçamento no tecido de revestimento do reto e ânus. Estudos multicêntricos realizados na Europa demonstraram que havia uma diminuição na incidência de fissura quando se aumentava a concentração de fibras( Verduras e legumes) na dieta e, ao contrário, o risco do aparecimento de fissura aumentava significativamente quando ocorria aumento no consumo de pão branco, molhos engrossados com farinha, bacon, salsichas e baixa ingestão de água. O consumo de café, chá ou álcool não foi considerado como fator de risco. Nos gays outras causas comuns de fissura são o traumatismo decorrente da penetração anal ou o uso dos dedos (corte as unhas), brinquedos (sempre rombos e nunca cortante ou de ponta afilada) e vibradores associados a uma lubrificação inadequada e a um ativo apressadinho que não espera o relaxamento do músculo esfíncter anal. Essas fissuras decorrentes da relação anal poderão surgir em qualquer lugar da margem anal e se dispõe de forma radiada, geralmente mais de uma e localizadas em torno do ânus. Se você respeitar o tempo de relaxamento do esfíncter anal (60`) que se obtêm pela massagem feita de forma delicada associada a uma lubrificação adequada poderá ter uma relação anal sem riscos de fissura.

As fissuras têm como sintoma principal a dor que é intensa e referida pelos pacientes como em pontada, debilitante, cortante e acompanhada de um sangramento vermelho vivo. As hemorróidas sangram, porém o sangramento é geralmente indolor o que as diferencia das fissuras anais que são extremamente doloridas. Nenhuma DST determina a dor da fissura anal.

Eu não faço toque em pacientes que chegam no meu consultório com sangramento extremamente doloroso. Eu faço a inspeção anal e confirmo o diagnóstico, pois geralmente as fissuras estão na pele da parte posterior da abertura anal. Evite o toque, pois os pacientes já estão muito machucados pela ferida o que irá aumentar o seu sofrimento.

As fissuras são classificadas em agudas e crônicas e esta classificação é de grande importância para o tratamento. As fissuras agudas são geralmente de contornos bem visíveis, amolecidas ao toque e respondem bem ao tratamento com pomadas e botox ( veja abaixo), enquanto as fissuras crônicas são endurecidas, já infeccionadas e deveram ser tratadas pela retirada cirúrgica.

As fissuras com exceção das decorrentes da relação anal são causadas por um músculo anal com pressão elevada e qualquer forma de tratamento tem como objetivo diminuir esta pressão o que determinará a cicatrização da fissura. A diminuição da pressão poderá ser feita por:

- Medicamentos: São substâncias que usadas na forma de pomadas sobre a fissura determinam o relaxamento dos músculos.

- Botox: A toxina injetada em pontos estratégicos da abertura anal e em quantidade adequada causará o relaxamento do músculo.

-Cirurgia com Laser: Eu tenho feito uma técnica na qual eu baixo a pressão do esfíncter por fora da abertura anal o que determinará menos dor no pós-operatório. O procedimento é realizado sob anestesia local e você terá alta logo após o procedimento.



Perguntas e respostas sobre fissura anal: Dr. Paulo Branco.

1-A fissura anal sempre causa dor porque eu tinha fissura indolor?

A fissura anal indolor deverá ser retirada para uma investigação diagnostica através de um exame citológico para se afastar outras doenças como a doença de Crohn e até mesmo o Câncer de ânus.

2- Eu tinha fissura anal e hemorróidas internas de terceiro grau, neste caso qual a melhor forma de tratamento ?

Quando há a associação da fissura com a hemorróida eu geralmente realizo a ligadura elástica das hemorróidas, retiro a fissura e baixo a pressão do esfíncter com o laser.

3- A relação anal poderá causar a fissura anal?

As fissuras decorrentes da relação anal geralmente decorrem de um ativo apressadinho que não esperou o relaxamento do esfíncter anal que geralmente são 60 segundos ou de uma lubrificação inadequada. Essas fissuras muitas vezes são radiadas e mais de uma.

4- A cirurgia para tratamento da fissura pode determinar incontinência anal.

Poderá. Eu nunca tive um caso de incontinência com o laser. O cirurgião deverá atuar sobre o músculo correto ( Músculo Esfíncter Interno) após visualização clara deste.

5- Tinha fissura crônica e fui tratado com o botox, mas não resolveu o que devo fazer?

O Botox é indicado para fissura aguda, pois na crônica o tecido que forma a fissura está fibrosado e endurecido e deverá ser retirado cirurgicamente.

6- Tenho fissura anal e algumas vezes consegui ter relação passiva, mesmo suportando a dor, devo continuar tentando?

O sexo anal não causa está fissura por você referida e na fase aguda você só aumentará a fissura, terá sangramento mais importante pelo traumatismo, sendo melhor realizar a melhor forma de tratamento para o seu caso.

Comentário: Dr. Paulo Branco.

Para a relação passiva eu tenho preferido a cirurgia com o laser, que tem melhores resultados estéticos e funcionais a longo prazo.

Dr. Paulo Branco

Blog da saúde gay

Site: WWW.medicinaintegrada.med.br

MSN. paulobranco@terra.com.br

Youtube. Buscar proctologista

sábado, 14 de agosto de 2010

Site da Maite: Respondo as perguntas dos leitores no site da amiga maite, leia?


Proctologista Responde - Coluna 63

Paulo Branco é medico proctologista, referência da revista G Magazine e responde dúvidas sobre doenças anoretais, como hemorróidas, fissuras, fístulas, condilomas (verrugas), doenças sexualmente transmissíveis, relação anal e as suas consequências. Você também pode perguntar gratuitamente sobre estética facial, corporal, bioplastia e botóx, OK? Você pode perguntar o que desejar para ele... bastando enviar um email para casadamaite@gmail.com
paulobranco

Atende também direto em seu consultório: Lapa - Rua Coriolano, 391 - (011) 3672-8943 Vila Olimpia - Rua Afonso Bras, 576 cj.26/28 - (011) 3846-7973 - (011) 9520-4135

DÚVIDA:

Caro Dr. Paulo,

Estou com uma preocupação e preciso de um esclarecimento seu. Tenho sofrido com hemorróidas há meses. Sem dor. Mas é muito inconveniente ir defecar e ver que o vaso ficou cheio de sangue. Vêm jatos de sangue. Um médico me receitou uma pomada e uns comprimidos. A pomada não resolveu. Os comprimidos sim. Mas depois de um mês sem nada, os jatos de sangue voltaram. Pergunta: o que pode causar isso? Alimentação? Calor? Como resolver de vez?

O que me preocupa também é o fato de meu companheiro adorar fazer sexo oral em meu ânus. Nunca houve problemas, pois as hemorróidas aparentemente eram internas. Contudo, hoje, ele fez de novo e, pela primeira vez, sua boca e seus dentes ficaram sujos de sangue. Minha preocupação: a saliva dele, em contato com meu ânus, pode me transmitir DSTs? Se sim, quais? O sangue proveniente de minhas hemorróidas, em contato com a boca dele, pode também lhe transmitir DSTs? Se sim, quais?

Obrigado pela atenção.

PROCTOLOGISTA RESPONDE:

A causa meis provavel do sangramento por voce referido são as hemorroidas internas. O diagnostico é dado por uma endoscopia que visualizará a parte interna do ânus, chamada Retossigmoidoscopia e se confirmada o medico proctologista ja realiza uma forma de tratamento mais definitiva que é a ligadura da hemorroida interna com um pequeno anal elastico. As hemorroidas não tem uma causa definida, porém é mais frequentes em pessoas que injerem poucas fibras e tomam pouca água no dia. O ideal é você ingerir 30g de fibras por dia e tomar 2l de água para que as fezes saiam macias e não atritem ou traumatizem a região anal. Evite o sedentarismo e ficar longos piriodos de tempo sentado. Se a sua relação já é segura o risco de transmissão de DST é baixo. As doenças transmissiveis por sangue como a hepatite e o HIV poderam existir, mas são menos frequentes pela carga viral que é muito baixa.
As hemorroidas que sangram nos pacientes que praticam o sexo anal passivo, na minha experiência eu tenho usado as formas de tratamento mais definitiva a longo prazo associadas a mudança comportamentais e nutricionais. Os meus pacientes recebem um livro e uma apostila educativa para a sua orientação com´portamental, nutricional e sexual.

DÚVIDA:

Boa tarde Dr estou pasando por um edelicado e o médico que me operou não é uma pessoa que tira minhas dúvidas.Foi uma cirurgia de urgencia pois estava com trombose hemorroidária depois da gravidez.Bem estou no sexto dia do pós cirúrgico e sinto muita dificuldade para evacuar.Gostaria de saber quando essa dor para de vez para evcuar? Sei que é normal doer, mas gostaria de saber qual a média de dias?Desde que fui para o quarto notei que tenho uma veinha inchada ainda e ela tem aumentado o médico disse que era normalque ra um PLICOMA, mas o que é isso? ficarei com essa coisa horrivel para fora? qual a técnica para retirá-la??

Agradeceria a resposta
Obrigada

PROCTOLOGISTA RESPONDE:

A cirurgia para tratamento da trombose tem resultados bons e a dor poderá ser tratada com antiinflamatórios orais e locais associados a banhos de assento com água morna que relaxa os músculos perineais e melhora a dor. A ferida cirurgica perianal demora mais a cicatrizar pelo fato de passarem fezes pela ferida. O plicoma é definido em medicina como uma hemorroida externa crônica e somente a cirurgia poderá cura-lo. Eu tenho feito a retirada do plicoma com o laser sob anestesia local.
Dr. Paulo Branco.

DÚVIDA:

Bom Dr., 2 semanas atrás, ao ir no banheiro fazer as 'necessidades', me espremi muito, e ao terminar percebi que tinha uma bola no anus, pequenina e mole, como se tivesse algum liquido dentro, pensei que fosse besteira e deixei pra lá, esses dias percebi que esse caroço cresceu, curioso peguei um espelho pra ver como era esse caroço, não tem cor, não sinto dor, e qndo me espremo bastante, ele fica todo do lado de fora, depois fica interno novamente, por favor Dr. estou muito preocupado e espero que me ajude! Obrigado!

PROCTOLOGISTA RESPONDE:

As hemorroidas internas podem sair com o esforço o que em medicina se chama prolapso hemorroidário e classificam essa forma de hemorroida em internas de segundo grau. Um medico proctologista experiente no consultorio irá reproduzir este prolapso pedindo para voce realizar o esforço, esta manobra confirmará a hemorroida. A melhor forma de tratamento será uma orientação dietetica rica em fibras associada a uma ingestão de 2l de água por dia o que impedirá o esforço com consequente prolapso. Se o prolapso persistir a segunda melhor opção é a ligadura da hemorroida com um pequeno anel elastico que eu temho associado ao laser.
Dr. Paulo Branco.

DÚVIDA:

Minha dúvida na realidade é sobre minha saúde mesmo...
há algum tempo, para ser mais exata à partir de junho/2009, comecei a ter epísodeos de vômitos, o que no final do ano em meados de novembro/dezembro se intensificaram, ou seja todo dia tudo o que ingiro estou vomitando, já perdi quase 20 kg, tenho obstipação intestinal e quando evacuo as fezes são caprinas... realizei exames de endoscopia, e deu positivo para H. pylori e uma gástrite moderada... Além desses sintomas estou com demartite na mão e no pé, que apareceu juntamente com os outros sintomas... Meu intestino nunca foi regular, mas ultimamente tenho passado, até mais que uma semana sem evacuar... Fiz também ultrassom do abdomen total e não deu nenhuma alteração...

Se pudesse responder ou até mesmo agendar uma consulta ficaria grata... Seria aliviante saber o que está passando em meu organismo, tenho 20 anos, se isso faz alguma diferença...

Sem mais delongas, se puder passar o valor da consulta e se há disponibilidade sou grata...

PROCTOLOGISTA RESPONDE:

Voce precisará fazer uma investigação mais detalhada do seu intestino delgado e grosso, pois a sua constipação poderá ter uma relação direta com a motilidade( contraçaõ) intestinal. O intestino preso poderá ter varias causas desde fatores organicos até hormonais.
Eu acho que voce deveria fazer de inicio um exame radiologico chamado enema opaco com duplo contraste e dosagem no sangue do Calcio, Potassio, glicemia (açucar) e os hormonios tireoidianos porque na sua idade a baixa destes hormonios poderam determinar a obstipação intestinal.
Se estes exames forem normais outros exames poderam ser pedidos para uma investição mais detalhada da fisiologia anoretal, como
Manometria Anorretal, defecografia e outros.
A colonoscopia eu pesso após o estudo radiologico na sua idade e se torna o primeiro exame para pacientes acima de 50 anos e principalmente com história de sangramento anal.
Tratamento:
Se comprovado no exame radiologico um intestino de esvaziamento lento, o tratamento deverá ser feito no tripé abaixo:
1- Mudança nos hábitos de vida.
2- Reeducação alimentar fundamentada na ingestão de fibras.
3- Medicamentos se necessários. Existem laxantes modernos que não irritam o intestino.
Dr. Paulo Branco

DÚVIDA:

Olá Doutor... Parabéns pelo trabalho.
Lí todas as perguntas e respostas postadas e não encontrei ainda o que procuro.
Tenho 45 anos e estou com hemorróidas externas. (ainda não procurei tratamento - medo / vergonha / etc).
Tenho usado também Viagra. Algum problema neste caso. O uso de Viagra é permitido para portadores de hemorroidas?
Que frequência de uso do Viagra pode ser considerada normal ?
E o "Viagra Paraguaio" - Pramil... é mesmo mais perigoso que o Viagra ?

Obrigado

PROCTOLOGISTA RESPONDE:

O uso de viagra em nada interfere nas hemorroidas. A hemoorida externa ocorre porque o sangue não consegue vencer a pressão do músculo formador do esfinter anal e o vaso que está fora do canal anal dilata. A contra indicação para o uso do viagra são os pacientes que tomam remedios para hipertenção arterial e cardiacos. A frequencia é o seu medico que irá determinar. E não esqueça que o viagra, cialis e outros medicamentos funcionam melhor com o desejo e o uso de camisinha para que haja um sexo seguro.
Dr. Paulo Branco

DÚVIDA:

Boa tarde dr. Paulo Branco!

Doutor, após aparecerem três verrugas no meu penis procurei um urologista e ele constatou que eu tenho HPV. Como tratamento, ele rocomendou que eu cauterizasse todas elas. Gostaria de saber se esse realmente é o melhor tratamento? Outra dúvida que eu gostaria de sanar é: Existe algum mecanismo para exterminar esse vírus do meu corpo? Incomoda-me a idéia de ser um portador desse vírus... e tenho receio que essas verrugas voltem, afinal segundo o meu médico stress e baixa imunidade certamente foram decisivas para que elas aparecessem e proliferassem e vivo stressado por causa do meu trabalho.
Meu namorado também deve ir ao médico, mas ele tem se negado por inibição e um pouco de orgulho. Ele tem reclamado de coceira anal constante, mas aparentemente nao tem nenhuma verruga na região. Pelas postagens anteriores, vi que muitos utilizam pomadas como a Wartec, mud, kollagenase, Rifocina Spray e Diprogenta creme. Posso comprar alguma dessas para ele passar? Qual delas o senhor me recomenda? ou existe outro tratamento que ele pode fazer?
Desde já agradeço.

PROCTOLOGISTA RESPONDE:

Obrigado pelo seu e-mail. Existem dois locais onde o HPV poderá passar sem ser diagnosticado pelo medico.
1- Ativo: Uretra peniana: O correto é fazer uma analise endoscopica da uretra através da PENISCOPIA.
2- Parte interna do canal anal e reto:
Eu faço em todos os meus pacientes uma analise endoscopica desta região.
OBS:
Eu trato do publico Gay há 15 anos e não indico nenhuma forma de pomada para matar o vírus, principalmente para os que praticam o passivo. Raciocine comigo, a penetração poderá contaminar a parte interna do ânus, onde o tecido é hiperdelicado, elastico e complacente, agora voce consegue se imaginar passando uma pomada extremamente agressiva nesta região. Eu ja vi de tudo, estreitamento, fissuras, cicatrizes, úlceras o que me permite não indicar este tipo de tratamento. Os profissionais precizam entender que a região anorretal é erogena, principalmente para os praticantes da relação passiva e na hora de prescrever considerar este fato.
Dr. Paulo Branco

DÚVIDA:

Caro Dr., na adolescência tive codiloma acuminado na região perianal. Há uns dois anos tive novamente e tratei com Wartec, por orientação médica. Há duas semanas, vi que novos nódulos cresceram e logo passei wartec, já que tinha dado certo da última vez. O problema é desta vez, após o terceiro dia que passei a pomada, começou a doer muito. Há quatro dias que sinto desconforto anal. A dor já diminuiu, mas ainda não sarou. Agora também sinto um pouco de coceira. Sou soropositivo há 5 anos, será que a demora em sarar tem algo a ver com minha imunidade baixa? Também tenho tido crises de hemorróida, a dor que senti após passar a pomada e a demora para sarar tem algo a ver com esse problema de hemorróida? Por favor, me ajude, estou muito preocupado.

PROCTOLOGISTA RESPONDE:

Eu acho que voce deveria parar imediatamente a pomada e fazer uma analize detalhada da região anal. A dor poderá ser da pomada que machuca o tecido em uma região que passam fezes associada a diminuição da resistencia local pelo HIV gera uma infecção local. Procure um medico proctologista para examina-lo e indicar uma forma de tratamento mais definitiva e menos agressiva para o seu caso.
Pacientes com HIV eu tenho optado pela retirada das verrugas com o laser associada ao uso de medicamentos locais e orais para aumentar a sua resistência.

Dr. Paulo Branco

DÚVIDA:

Todos os proctologistas desaconselham o uso do papel higienico . Afinal, o que há de verdade nisso? E quem não possui bidê ou duchinha ?

Se não é aconselhável, porque milhões utilizam o mesmo ?

PROCTOLOGISTA RESPONDE:

O papel higiênico não deverá ser usado pelos pacientes que apresentam hemorroidas sintomaticas, fissuras, dermatites( inflamação da pele) perianal e proctite( inflamação do ânus). Voce tambem tem de considerar a qualidade do papel higienico diante de uma região tão delicada. Se não tem bidê ou duchinha use o lencinho umedecido neutro.
E ao deitar voce poderá usar hidratante, loções para cuidar da região perianal. Antes de uma palestra eu perguntei quem passa hidratante na região perianal, um silencio total. Detalhe 90% da platéia era Gay.
Dr. Paulo Branco

DÚVIDA:

Dr. Faz uma semana q apareceu umas bolinhas na pele proxima ao anus apos alguns dias aumentaram de tamanho e fikaram brankas, depois notei q pareciam verrugas, dai dei uma pesqizada e fikei na duvida se é hpv ou não, gostaria q o senhor me indicasse algum creme que seja de um valor acessivel de preferencia e tbm gostaria de saber qto custa em media a retirada das verrugas com laser??? não esqecendo tbm gostaria de saber se tem como ser outra doença q nao seja hpv, para justifikar essas verrugas. desde ja agradeço e o sr. tem feito um otimo serviço!!
e em relação ao sexo se meu parceiro fazer sexo oral em mim quando naão tiver verrugas no lokal ele pode se contagiar??

PROCTOLOGISTA RESPONDE:

Obrigado pelo seu e-mail. Pelo descrito possivelmente é o HPV. O aumento das verrugas poderá indicar uma baixa de resistência local e geral e lhe exige uma forma de tratamento mais imediata. Não indico mais as pomadas para destruição das verrugas pelos resultados não muito bons e a estética anal poderá ser comprometida pela cicatrização determinada pela pomada e não indico pelo fato de os pacientes usarem a pomada somente fora do ânus e as verrugas dentro do reto ficaram sem tratamento.
O vírus do HPV poderá ser transmitido pelo sexo oral. Preços somente na consulta:
Consulta com Mônica: 011-86663281.
Dr. Paulo Branco

DÚVIDA:

Ola dr, tenho 18 anos e meu objetivo é aumentar a abertura do anus, pratico sexo anal a +- 1 ano e gostaria de saber se o uso constante de plugs anais junto com fisting proporciona o ``alargamento anal, relaxamento com facilidade``??
Se nao, há algum metodo para isso?

Obrigado e desculpa qualquer coisa.

PROCTOLOGISTA RESPONDE:

Obrigado pelo seu e-mail. Siga as regras naturais de um relaxamento anal normal, pois o prazer não tem relação direta com o diâmetro peniano e nem com a abertura anal e tenha como objetivo o prazer.O fisting assim como os plugs poderão ter como consequência a incontinência anal por esgarçamento dos músculos responsáveis pela continência anal. O uso de dildos ou brinquedos macios e não pontiagudos ou cortantes de calibre progressivos até o calibre compatível ao do seu parceiro tem o mesmo resultado. Como eu tenho uma experiência de alguns anos tratando o público GLBT, tenho alguns casos de pacientes com incontinência pela prática do fisting. Estes casos geralmente são de incontinência leve. Eu acho que todos os praticantes do fisting deveriam fazer exames que revelassem a integridade e função dos músculos responsáveis pela continência anal.
Dr. Paulo Branco

DÚVIDA:

Olá doutor,

a minha fissura surgiu em uma mal fase intestinal, pois sempre tive meu intestino regulado e nunca tive nenhum problema ao evacuar , em janeiro de 2010 comecei trabalhar, devido a uma radical mudança minha rotina e na hora de me alimentar ( marmita) ,enfrentei prisão de ventre , ressecamento e senti dor ao evacuar e sangrava, e quando vi no espelho tinha uma bolinha, fiz uma pesquisa e descobri q é uma fissura. Hoje meu intestino voltou completamente ao normal não sinto mais nada de dor ao evacuar, só coça um pouco depois de evacuar , mais eu mantenho sempre bem limpo e passa rápido, mais a minha fissura não sumiu !. Nunca fiz sexo anal mais eu quero muito começar a praticar com meu namorado , gostaria de saber o que pode acontecer e se isso pode piorar a fissura ,e se é possível agente fazer sexo anal sem dor ? , eu quero que essa fissura suma de vez , tem alguma cirurgia q posso fazer para me livrar disso de uma vez por todas ?, ou posso ter relações anal assim mesmo, gostaria de saber se tem alguma possibilidade. Como e onde posso procurar a tratar, Obrigada !

PROCTOLOGISTA RESPONDE:

Obrigado pelo seu e-mail. Eu sempre oriento os meus pacientes a não praticarem a relação com a fissura, pois esta irá aumentar e o risco de contrair as doenças sexualmente transmissíveis aumenta. Geralmente os pacientes não conseguem ter a relação pela dor que é insuportável. A fissura melhora se você tem uma alimentação rica em fibras porque a mesma resulta do traumatismo das fezes endurecidas com um músculo anal muito contraído. Acho que isso ocorreu com você, porem a fissura não cicatrizou. Na minha experiência os pacientes com a cirurgia passam a não ter a dor na evacuação e nem na relação. É uma cirurgia que eu me sinto faço e os resultados são gratificantes, pois os pacientes voltam a ter uma vida sexual passiva normal e prazerosa. Geralmente eu faço com o laser sob anestesia local.

Dr. Paulo Branco.

DÚVIDA:

Boa noite doutor,
Há alguns meses estou com muita coceira na região do anus e soltando aparentemente pus.Está também com algumas bolhas ou caroços não sei explicar direito.
A minha duvida doutor é se procuro um proctologista ou urologista não entendi ainda a diferença entre os dois se o senhor poder me explicar agradeço.
Gostaria de saber também doutor qual o preço da consulta com o senhor

PROCTOLOGISTA RESPONDE:

Obrigado pelo seu e-mail. Você possivelmente tem uma infecção na parte interna do ânus, diagnosticada como abscesso perianal. Um exame local feito por um proctololista confirmará esta impressão diagnostica e realizará a forma
de tratamento mais adequada.
Diferença:
Proctologista: É um medico que trata as doenças do ânus, reto e intestino grosso.
Urologista: É um medico que trata as doenças da bexiga, próstata e rins.
Dr. Paulo Branco

DÚVIDA:

Olá boa noite, à 8 meses atrás tive uma gravidez gemelar após 3 meses dessa gravidez apareceu uma fissura anal. Fui ao médico passei algumas pomada mas voltou novamente atualmente passo ultraproct, faço banhos de assento com lucretim, vou ao banheiro defecar 1 vez todos os dias, o meu intestino tem ficado um pouco proguiçoso, como mamãos durante o dia como aveia pela manhã mas não está adiantando, o proctologista disse que talvez será preciso fazer cirurgia, mas usei poucos recursos para partir para uma cirurgia, e essa cirurgia é muito dolorida?? Morro de medo, por favor me da uma luz. Agradeço desde já a atenção!!

PROCTOLOGISTA RESPONDE:

Obrigado pelo eu e-mail. Pacientes jovens com fissura que não respondem as mudanças na dieta e de hábitos eu tenho preferido o tratamento com o laser que é uma forma mais definitiva. Até quando o paciente ficará sofrendo com essa pequena ferida mas extremamente dolorida. Eu realizo uma técnica que traumatiza muito pouco a região anal, diminui a pressão do músculo de forma eficaz e definitiva em relação as pomadas e deixa o paciente jovem curado pelos próximos longos e saudáveis anos de sua vida. O relatado acima foi a conclusão de um estudo que eu fiz observando os resultados das diferentes formas de tratamento para a fissura anal.

Dr. Paulo Branco

DÚVIDA:

Ola, gostaria de uma opiniao a respeito de seguinte problema:

Eu tinha um penis que funcionava normalmente, sem problema algum. Acontece que de uns meses pra ca apareceu uma sensibilidade, tipo parece que a pele ficou fina e toda vez que tenho relacao sexual a pele do corpo do penis fica super vermelha e racha. Tava com excesso de producao de sebo tb, mas sem mau cheiro. Fui no medico urologista uma vez e me receitou canticort, dizendo que era fungo. Passei durente um tempo e parece que melhorou. Mas nao durou 1 mes e voltou. Procurei outro medico e o mesmo tb disse que era fungo e receitou Trok com cetoconazol. Usei durante 7 dias, melhorou um pouco a aparencia, mas a sensibilidade continua e ta rachando ainda toda vez que tenho relação. Minha parceira fez exame recente e apareceu algum tipo de bacteria nela que nao dizer exatamente qual é, mas parece que nao é nada demais. Nao sei mais o que fazer, quero ter minha vida sexual normal de novo. Só consigo dar uma, pq na segunda o penis nao presta mais, arde e doi por causa da ferida que fica e só some depois de alguns dias. Preciso de opiniao!!

abraço!!

PROCTOLOGISTA RESPONDE:

Obrigado pelo seu e-mail. Se você tem excesso de pele cobrindo o pênis, essa a causa da persistência da sua infecção. Casos como o seu eu retirei esta pele com o laser com bom resultado.
Dr. Paulo Branco

DÚVIDA:

Dr. Excelente sua coluna , meus parabéns pelo seu profissionalismo e comprometimento de suas respostas.
Meu caso é o seguinte tenho 40 anos, e nas ultimas três semanas estou sofrendo com uma trombose hemorroidal identificada pelo meu urologista, estou a duas semanas tratando com banhos mornos, tomando de 8 em 8 horas biofenac de 50mg, e passando uma pomada xyloproct até três vezes ao dia, e não tenho notado melhora, moro no interior do RGS, a 800km da capital e temos muito poucos recursos, e o fato desta veia coagulada que esta para fora do anus incha e incomoda para sentar e caminhar, o sr. Não tem alguma sugestão de algum remédio mais eficaz para esta situação.

PROCTOLOGISTA RESPONDE:

Obrigado pelo seu e-mail. Entenda que os medicamentos desinflamam a hemorroida trombosada, porem não atuam sobre o coagulo, isto é não dissolvem o mesmo. O seu caso somente a retirada cirúrgica do coagulo resolverá em definitivo a trombose. A cirurgia é simples e eu prefiro fazer sob anestesia local e laser.

DÚVIDA:

Olá Dr. Paulo Branco,

Eu tenho 49 anos, sou esportista, corro em média 50km por semana, bem disposto.

Desde fevereiro venho sentindo muitos gases em minha barriga, são gases que fazem até barulho, só que quando estou correndo não tenho gases.

Minhas fezes estão normais,(somente um pouco picotadas), fiz exame de sangue oculto e fiz exame de toque no anus e não deu nada. O medico disse que eu devo estar com a Sindrome do Intestino Irritáve.O único sintoma são gases e barulhos na barriga,

Gostaria de uma opinião do senhor, pois eu morro de medo de ser algo mais grave e todo mundo diz que isso é normal.

PROCTOLOGISTA RESPONDE:

Obrigado pelo seu e-mail. A síndrome por você referida tem como descoberta cientifica mais recente a diminuição no intestino de uma substância conhecida como serotonina e a elevação desta substância com medicamentos específicos determina a melhora dos sintomas da síndrome. Pacientes com esta síndrome apresentam um intestino muito contraído o que determina cólicas, distensão do abdômem, ruídos intestinais audíveis na superfície abdominal e colonização aumentada de bactérias produtoras de gases. Eu tenho associado em formulas de manipulação substâncias que tratam todas essas alterações. É importante também que você coma a cada 3hs e evite os alimentos fermentativos, isto é produtores de gases. Pacientes com esta síndrome é muito frequente apresentarem componentes afetivos, como; estreese, ansiedade e bipolaridade ( alternância de bom e mal humor).

DÚVIDA:

Ola Dr.
Algum tempinho atras a ir normalmente ao banheiro me encontrei numa situação nada agradavel. Ao defecar senti muito dor, resultando na saida de pus. NO decorrer do tempo a dor foi diminuindo, atualmente faz um mês que isso ocorreu, e continua saindo pus ainda toda vez que vou o banheiro. Preciso de uma orientação por favor. Obs: Sou Gay e praticava sexo anal normalmente antes disso acontecer, antes disso acontecer ja nao pratica sexo anal a 3 semanas.

Obrigado, espero pelo seu retorno Dr.

PROCTOLOGISTA RESPONDE:

obrigado pelo seu e-mail. A causa mais frequente de drenagem de secreção com pus pelo canal anal são as fístulas perianais. A fístula é uma comunicação entre o reto e a nádega sendo formada por dois orifícios e um trajeto. Um proctologista experiente detectará o orifício na nádega e confirmará o diagnostico a outra causa poderá ser uma doença transmitida sexualmente. Uma ultra-sonografia bem feita classificará a fístula, seu comprimento e relação com os músculos anais. tratada com antibióticos adequados algumas fístulas poderão fechar e se isso não acontecer a cirurgia será a única forma de tratamento. Eu tenho retirado a fístula com o laser sob anestesia local. O medico tem de ter experiência e ser um especialista neste tipo de procedimento que tem o risco de incontinência e a retirada da fístula ser incompleta. Na minha experiência os casos que eu reoperei os pacientes tinham a retirada incompleta de suas fístulas com drenagem de secreção purulenta.

DÚVIDA:

Olá Dr. Paulo, Há alguns meses venho sentindo dores no anus após a evacuação e observei sangue tanto no papel como no vaso e sinto muita dor no anus, e dói para fazer a higiene e as fezes esta vão endurecidas, tenho 37 anos e tenho problema gases, minha barriga fica muito inchada e as fezes depois ficam secas.
E desde já quero lhe agradecer pela ajuda!
E desejo lhe sucesso.

PROCTOLOGISTA RESPONDE:

Obrigado pelo seu e-mail. Você poderá ter duas afecções.
1- Síndrome dos Intestinos Irritável:
É causada pela baixa da serotonina intestinal e o intestino está com regiões dilatadas e outras contraídas de modo que o intestino não consegue eliminar ou ter força para vencer os pontos de contração e se formam verdadeiros lagos de secreção dentro do intestino e você fica estufado e ouvindo os ruídos do intestino na superfície da parede abdominal. O diagnostico é clinico, isto é pelos sintomas referidos e os exames geralmente estão normais. A ultra-sonografia do m geralmente indica a presença de muitos gases. Esta síndrome geralmente é acompanhada de um componente afetivo: ansiedade, depressão e alterações do humor. Melhora com o exercício físico, medicamentos para formação de um bolo fecal consistente e medicamentos que elevam a serotonina intestinal e tenho orientado também a ingestão de lactobacilos.

2- Fissura Anal; É uma pequena ferida localizada geralmente na parede posterior da abertura anal e causada pelo músculo formador do esfíncter anal. O tratamento se a fissura for aguda sera feito pela ingestão de fibras associada a ingestão de 2l a 4l de líquidos por dia. Se a fissura for crônica, deverá ser analisada e classificada pelo medico será de tratamento cirúrgico. Consiste na retirada da fissura e diminuição da pressão do músculo anal. Eu faço atualmente uma técnica com o laser, sob anestesia local na qual eu baixo a pressão do músculo por fora da abertura anal o que representa um pós-operatório confortável para o paciente.

Opções de exibição de comentários

Escolha seu modo de exibição preferido e clique em "Salvar configurações" para ativar.

Lubrificantes para sexo anal

Dr.
Gostaria de saber se além do KY e na falta deste posso utilizar a pomada Trofordemin que escorrega bem e com isso facilita a penetração, sexo anal, ou se posso usar também óleo mineral ?

Sei que a pomada trofodermin é para frissuras, mas uma vez que ela é bem cremosa, posso usar eventualmente essa pomada, assim como o óleo mineral NUJOL para a prática de sexo anal ?

Outra pergunta seria, posso utilizar aquelas pomadas anestésicas que os dentistas usam nas gengivas quando vão aplicar uma injeção, e passar essa pomada no ânus para atenuar a dor ?

At
Jonas

HPV Anal

Olá Dr.

Recentemente apareceu uma verruga próximo ao meu ânus. Fui ao proctologista que diagnosticou como HPV inclusive na parte interna do reto (exame de toque). A indicação foi a pomada Aldara tanto na parte externa e interna. Na relação com meu namorado sou o passivo. Gostaria de saber se durante o tratamento poderemos continuar praticando sexo anal. Cauterizar o local também seria uma alternativa viável, visto que a região anal é delicada.
Desde já agradeço.

Fabio

Fissuras

Boa noite, moro no interior do mato grosso, a uma distancia consideravel da capital Cuiaba, desta forma tenho um certo problema e ja procurei um proctologista. Bem tive a mais ou menos um ano atras uma trombose que foi de facil tratamento e desde entao nao possui mais nenhum sintoma relacionado a isto, porem de um certo tempo pra ca surgiu uma fissura pequena num dos lados do anus, assim toda vez que faço sexo tenho um leve sangramento, porem nao com ardencia como acontecia antes da trombose, mas esse fissura diminui e ao lado de onde ela estava surgiram duas bolinhas como se fossem "peles" nao se parecem com verrugas que eram meu maior medo, e estao justamente uma a cada lado de onde esta a fissura. Gostaria de saber o que pode ser e qual o metodo mais apropriado para a cicatrizaçao da fissura. Obrigado

fistula retal

Estou com fistula retal, sei porque fui ao proctologista e ele detectou, o problema é que não tenho plano de saúde e não consigo operar na rede publica, gostaria de saber se eu não operar o problema pode se agravar, ultimamente tenho sentido dores, sangramento e liberando uma substancia veerde e com mal cheiro.

HPV

Dr. qual o procedimento indicado para quem tem HPV no anus, pomada ou cirurgia? caso seja cirurgia, como a mesma é realizada e quanto custa em média?

hpv

ola doutor,tive hpv na regiao anal,fiz cauterizaçao e depois de 2 meses as verrugas voltaram por dentro do anus,procurei um clinico q me disse q nao havia cura para o hpv,e q eu passaria o resto da vida cauterizando....é verdade isto?Segundo o medico que fez a cauterizaçao,o virus sumiria com o tempo do meu organismo,nao necessariamnete com a cauterizaçao...fiz todo processo com um medico cirurgiao e nao com um procto,o que desconfio que nao soube cauterizar,pois logo apos a cirurgia,percebi q as verrugas voltaram a crescer,sera q devo fazer novamente,agora com um proctologista?e como faço para diminuir o incomodo insuportavel causado pela cauterizaçao,apos o processo?Devo usar pomada para cicatrizar mais rapido?

HEMORROIDAS

Proctologista Responde - Coluna 21 | Casa da Maite
Enviado por NEVES (não verificado(a)) em qua, 07/07/2010 - 11:58. .... em hospitais publicos do rio de janeiro, capital. Obrigada, aguardo resposta ...
www.casadamaite.com/node/2605 - Em cache - Similares

Duvida

dr. eu estou ha muitos meses com uma ferida que sai um liquido e as vezes um pouco de sangue, a ferida é acima do anus entre as nadegas. já fui ha varios médicos ninguem me dá un diagnostico, agora uma doutora me mandou fazer uma retossigmoidoscopia, e tambem fico com o anus ardendo encomoda muito tem alguma relaçao as duas coisas? e o exame é o ideal? aguardo a resposta ancioso e desde já agradeço!

fissura e trombose

Olá Dr. muito bom sua coluna.Bem vou logo ao assunto, fiz uma cirurgia a 4 meses de fissura anal mais trombose as pressas devido a dores no anus.
Bem minha cirurgia foi com anestesia rack. acho que o medico não foi muito bom na operção, pois ja tem 4 meses e fico soltando secreção e minha cueca fica toda suja fora o mal cheiro e gases muito fedidos. Acho que o medico que me operou mecheu em minha musculatura e não quer me falar. 4 meses se passaram e ainda nao estou bem, como devo proceder neste caso. O medico fala que é assim mesmo.

Fissura anal

Há 4 anos fiz uma cirurgia para correção de fissura anal, há cerca de 2 anos esta retornou, desde então tenho passado por vários proctologistas e não consigo resolver o problema, ontem, deparei-me com a sua coluna de respostas, diante disso gostaria que fosse informado o valor da consulta bem como da cirurgia a laser para eliminação da fissura e se o valor da mesma pode ser parcelado, tendo em vista que os recursos financeiros de um aposentado não são espetaculares.

Obrigado