Seja bem vindo ao Blog da Saúde LGBT

Neste espaço o Dr. Paulo Branco ira continuamente publicar matérias além de responder duvidas
relacionadas a Medicina e Qualidade de Vida voltadas a população LGBT. Este espaço no entanto,
não substitui a consulta médica, que deverá ser feita pelo médico, no consultório, de corpo presente.



Alguns amigos e pacientes do Dr. Paulo Branco que inspiraram ele a fazer esse Blog.

Youtube - Dr. Paulo Branco

Youtube - Série especial de vídeos

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Proctologista: Atendimento domiciliar



 Atendimento domiciliar:
Planos de saude: Traga a sua carteira do plano de saúde e terá desconto na consulta e procedimentos realizados pelo Dr Paulo Branco.


Proctologista: Dr Paulo Branco
e-mail. paulobranco@terra.com.br


Rodin












Dica: Video educativo GLBT.








Agendamento:

Fatima: 11-78317380 / 38467973
























































Mônica: 11- 986663281 / 36728943




















Objetivo do atendimento:
Estamos equipados com dispositivos de aparelhagem portátil e guia com as orientações comportamentais e nutricionais para realizar a nível domiciliar, a consulta clinica, principalmente pacientes acamados, com patologia muito sintomática ( dor e sangramento ) ou para uma avaliação para fins de esclarecimento, dúvida ou confirmação diagnostica das doenças proctologicas e da dor perineal em queimação. 
Comentário: Muitos pacientes me enviam e-mail, querendo tratamento, porque tem vergonha de ir a consulta com o proctologista. Não trato sem uma confirmação diagnostica, feita através de equipamentos especializados. Já atendi pacientes a nível domiciliar que foram beneficiados por esta forma de atendimento, na qual se sentiram mais a vontade para o dialogo que determinou um diagnostico e tratamento adequados.

Atendimento domiciliar:

Farei a mesma seqüência do exame clinico e endoscopico realizados na minha clinica:


- Inspeção: 
Consiste em examinar a pele das regiões perianal e perineal, para detectar doenças da pele, como as alérgicas, verrugosas, bolhosas, tumorais e DST. 



- Toque retal e anuscopia: 
Através destes exames posso averiguar a permeabilidade do canal anal, a contralidade do músculo formador do esfíncter anal, a presença de fissura na comissura posterior da abertura anal, trombose hemorroidária, fistulas, ( orifício e cordão fibroso), verrugas, tumores de ânus, canal anal e na parte baixa do reto. O diagnostico das dores ou queimação anal, ou também chamadas de tendinite perianal, eu sempre faço pelo toque retal, porque os outros exames são normais. Sempre eu faço um toque na próstata que está à 8cm da abertura anal, e parede anterior do reto. Os anuscopios modernos contem uma fenestração que permite realizar procedimentos, como biópsias e ligadura elástica de hemorroidas.


Anuscopia




Retossigmoidoscopia: 
Com este exame eu poço observar, sob visão direta, o canal anal, mucosa do reto e a parte distal do cólon sigmoide e poderei detectar, pólipos, tumores, inflamações e diverticulos na parte distal do cólon sigmoide e corpos estranhos  que poderão ser diagnosticados e retirados. Como trato do publico GLBT há alguns anos já realizei este exame algumas vezes para confirmar ou excluir o corpo estranho e ver possíveis ferimentos da mucosa anorretal. 



Aparelhagem portátil: 
Contem os mesmos instrumentos usados na minha clinica para uma investigação diagnostica e orientacao do tratamento mais adequado para os pacientes.


Pasta com o material


Anuscopio descartável 


Retossigmoidoscopios

ocular



Anuscopia de Alta resolução

Anuscopia: Alta resolução
Exame: microscópico 



Comentário: A anuscopia de alta-resolução está indicada para detectar a presença do HPV na camada mais profunda da pele, chamada de basal, tratando com substancias que aumentam a resistência local e diminuindo a carga viral. Tenho feito na clinica a anuscopia de alta resolução no acompanhamento dos pacientes de HPV, associado ao laser.




Patologias que poderam ser diagnosticadas e acompanhadas:





Ilustrações e fotos:



Hemorroidas internas e externas:

Visão endoscopica


Fissura anal: Pequena feridinha


Fístula perianal: Palpa um cordão fibroso.


HPV: Verrugas na pele perianal.


Papila hipertrofiada:



Pólipos: Tumor benigno, que poderá se transformar em maligno.



Fissuras traumáticas:


Corpo estranho: Reto

Comentário: Retirada e acompanhamento endoscópico



Pele: Dermatites



Inflamação e Infecção anorretal:






Guia: Escrevi este guia que contem orientações comportamentais e nutrcionais, e será dado aos pacientes.







Estou chegando, quero investigar tudo sobre a sua saude, principalmente os relacionados a saude do aparelho digestivo.
Alimentação, obesidade, exercício físico e hábitos e comportamentos, por favor não esqueça de me contar nada, em!
Dr Paulo Branco


terça-feira, 3 de setembro de 2013

Cisto Pilonidal: Cirurgia aberta ou fechada? Ilustrado.


Cisto Pilonidal: Cirurgia  aberta ou fechada?

Plano de saúde: Trazendo a sua carteira do plano de saúde, terá um desconto na consulta e procedimentos realizados pelo Dr Paulo Branco.



Rodin























Proctologista: Dr. Paulo Branco





Dica: Video educativo no YouTube.













Agendamento:

Lapa: 
Mônica: 11 - 986663281 / 36728943




















Vila Nova Conceição:
Fátima: 11 - 38467973 / 7831-7380




















- Definição e causa:
O Cisto Pilonidal que incide mais entre os 16 e 20 anos e a cada três homens para uma mulher, é formado geralmente por um trajeto fistuloso crônico e dois orifícios, localizados abaixo da pele da região entre os glúteos. A sua causa exata ainda não é conhecida e duas teorias tentam explica-la, a congênita e  adquirida, essa tem sido cada vez mais aceita, e defende que o cisto Pilonidal seria consequente da reação do organismo a presença de um pelo, que em vez de nascer para fora da pele, nasceu para dentro, funcionando como um corpo estranho ou consequente a inflamação dos folículos pilosos. Outros fatores envolvidos na causa do cisto, são a higiene pessoal, traumatismos na região sacral como no ato de dirigir, o aumento dos hormônios sexuais na puberdade e a obesidade.


Cisto Pilonidal: Leia com atenção a sua formação.

Fotos: Pelos normais e invertidos, formação do cisto.


- Tratamentos:
Técnica aberta:
Incisão e Curetagem: A técnica consiste na abertura por incisão de todo o trajeto fistuloso com posterior curetagem ou raspagem para remover todo o tecido inflamatório e pelos presentes no interior do cisto, expondo toda a sua parede posterior, mas sem retira-la. O cirurgião retira os bordos de pele da abertura, que poderá ser deixada aberta ou semifechada.
  

Foto de livro: Drenagen e curetagem do tecido formador do cisto.

Veja os pelos, ja nos bordos da ferida cirurgica.



Técnica fechada: Laser de CO2.
A técnica fechada consiste na retirada total de todos os componentes do cisto. Eu faço a retirada do cisto com o laser sob anestesia local. Primeiro os meus pacientes fazem uma depilação com laser, cerca de 5 cm na volta do trajeto e dos orifícios, a seguir uso um guia metálico para identificar todos os componentes e a seguir retiro todo o Cisto Pilonidal com o laser e depois fecho toda a ferida com pontos adequados e fios cirúrgicos especiais. Vou acompanhando os meus pacientes semanalmente para a retirada dos pontos, o mais rápido possível. Uso antibióticos adequados por 7 dias e os pontos são retirados geralmente de 7 a 14 dias.
Klin e cols, utilizando o laser de CO2, observaram uma recorrência de 4,3% em 70 pacientes operados por essa técnica. Solla  & Rothemberger observaram um tempo médio de cicatrização de duas semanas pela técnica fechada.

Fotos: Conforto, Depilação da pele com o laser light Sheer, sala de cirurgia equipada e segura, laser de CO2 e ferida cirurgica fechada


Depilação segura:
Fechamento

Cicatrização  final:





Conclusão sobre as duas técnicas:
Na minha experiência a evolução dos meus pacientes com a técnica fechada a laser, ocorreu com uma qualidade de vida muito melhor que a técnica aberta, o retorno as suas atividades profissionais e escolares foi mais precoce, e sem aquela drenagem de líquidos e/ou secreção pela ferida cirúrgica aberta ou semiaberta e o maior tempo de cicatrização que poderá variar segundo trabalhos médicos de 3 semana a 9 meses. No entanto a taxa de recorrência foi de 13% para a técnica aberta, sendo similar a taxa encontrada na técnica fechada, 11%.