Seja bem vindo ao Blog da Saúde LGBT

Neste espaço o Dr. Paulo Branco ira continuamente publicar matérias além de responder duvidas
relacionadas a Medicina e Qualidade de Vida voltadas a população LGBT. Este espaço no entanto,
não substitui a consulta médica, que deverá ser feita pelo médico, no consultório, de corpo presente.



Alguns amigos e pacientes do Dr. Paulo Branco que inspiraram ele a fazer esse Blog.

Youtube - Dr. Paulo Branco

Youtube - Série especial de vídeos

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Kit gay para um verão saudável


Kit gay para o verão
Proctologista: Dr. Paulo Branco
www.medicinaintegrada.med.br

- Higiene:
A lavagem deverá ser somente do reto e isso poderá ser feita com pequenos volumes de uma solução adequada encontrada em farmácias. Injetar grandes volumes de líquidos no reto, esse será aspirado para o colón e você poderá ter o dissabor de elimina-lo na hora da relação. Tenha cuidado e siga os passos abaixo para lavagem com chuveirinho com água morna ou com  líquidos que você poderá comprar em farmácias:

- Escolha a posição mas confortável para realizar a limpeza do reto; muitas vezes você terá sugestões na caixinha;
- Lubrifique o ânus e canal anal, com lubrificante a base de água;
- Massageie o esfíncter delicadamente para a sua abertura;
- Introduza com pouca pressão o biquinho do frasco e injete o liquido delicadamente dentro do reto e se for a famosa chuca coloque a mangueirinha com água morna no reto;
- Quando o liquido esta no reto a sua distensão estimulará a contração do colón e provocará a eliminação das fezes;
- Retire o biquinho ou mangueira e espere sentado ou deitado até que venha a vontade;
- O ideal será você está próximo ao banheiro porque muitas vezes a vontade de evacuar é muito rápida;
-  Após a relação faça uma limpeza da região anal e perianal com água e sabão ou mesmo sabonete liquido antibacteriano para protege-lo contra dermatites perianais ou mesmo infecção de pequenos ferimentos decorrentes da penetração.





- Camisinha:
Tem sido indicada muito frequentemente pelas suas vantagens como o baixo custo, relativa facilidade de uso e ausência de complicações.   Representa o principal meio de prevenção das DST e contra a AIDS. A maioria dos homens só colocam a camisinha na hora da penetração e não gostam de colocar antes  pela diminuição  da sensibilidade peniana ( sexo oral) seguida pela diminuição do libido e prazer. Acho que na relação estável você poderá dispensar o uso, porem para aquelas que você não tem certeza da monogamia e para aquele tesão de ultima hora, como na balada ou para as relações iniciais o uso da camisinha será obrigatório. Você deverá guardar as suas camisinhas em lugares arejados, escuros e seguros. Averiguar sempre a data de validade e não usa-las se estiverem ressecadas. As causas de perfuração da camisinha são o tamanho inadequado, a falta, deficiência ou uso de lubrificante inapropriado para o sexo anal e a falta de um  relaxamento adequado do musculo esfíncter anal. A camisinha com dupla camada de látex é mas segura e deverá ser usada para evitar o contato com o sangue, esperma e secreções com risco de adquirir as DSTs. Muitas vezes os parceiros tem dificuldade para colocar a camisinha e saber será muito importante. Abra o involucro com delicadeza, coloque a camisinha com a borda enrolada para fora e sempre antes da penetração, da glande ( cabeça) até próximo a base do pênis e evite a formação de bolha de ar no seu ápice que facilitará a perfuração pelo atrito, retire logo após o orgasmo ainda com ereção para evitar o vazamento entre a camisinha e a pele do pênis. Após retira-la dê um nó e jogue no lixo e jamais reutize um preservativo.

- Dildos, brinquedos e plugs:
Muito usado pelos iniciantes no sexo passivo, deveram ser feitos de material macio, flexível e de ponta romba com uma haste na base para evitar que seja aspirado para dentro do reto e colón. Os brinquedos feitos de material rígido ou metálicos deveram ser evitados pelo risco de ferir ou mesmo de perfurar a mucosa do reto. Alguns plugs procuram reproduzir as sensações vibrando ou mesmo ejaculando líquidos semelhante ao sêmen. O uso continuo dos plugs ou brinquedos por horas ou dias como forma de prazer, não é aconselhada por muitos pelo risco da incontinência anal ( Perda involuntária ) de gases e fezes. Os brinquedos ( Consolos ) e plugs usados deveram ser de calibre progressivo, introduza do mas fino para o mas grosso, após uma boa lubrificação e relaxamento adequado do  musculo formador do esfíncter anal, assim você não correrá risco de ferimentos do ânus ou da mucosa retal. Se acontecer do brinquedo ser aspirado para o reto, mantenha a calme estimule a evacuação, faça um Rx do abdômen para localizar o objeto e retira-lo.

Dicas e orientações para o uso dos dildos:
-      Orientações: Siga as orientações que acompanham cada produto.
-      Higienização: Faca a limpeza antes e depois do uso com agua e sabão ou produto adequado.
-      Embalagens: Não reutilize.
-      Compartilhamento: Não compartilhe com ninguém pois o risco de transmissão de DST para você poderá ser real.
-      Lubrificação: Deverá ser feita com lubrificantes a base de agua na abertura anal e reto inferior.
-      Alergia: Se houver pare imediatamente e se aumentar ou persistir procure um medico.
-       Dildo ideal: Material macio, com ponta romba, de diâmetro progressivo e com uma haste na sua base para evitar complicações como resultado de uma empolgação excessiva durante a penetração.

-      Contraindicações:
Dor: Se sentir dor pare. Casos com dor eu prefiro fazer na minha clinica um exame endoscópico especifico para examinar o anus e canal anal para afastar doenças inflamatórias que possam da dor, trato e depois libero para o uso do dildo.

Lubrificação:. O canal anal não apresenta uma lubrificação própria por isso uma lubrificação adequada com lubrificantes a base de água e neutros representará parte obrigatória antes e durante a penetração anal para se evitar ferimentos da pele e mucosa retal durante a penetração. Não permita que o ativo saia colocando qualquer creme hidratante, pomadas, lubrificantes oleosos e vegetais ( Vaselina, manteiga e creme de barbear ) que podem aquecer e distender o látex, provocando o seu rompimento. A saliva como lubrificante não funciona pelo pequeno volume. Muitos pacientes me procuram com inflamações na parte interna do ânus, diagnosticadas como proctites e fissuras chamadas de radiadas na pele perianal que são consequentes a uma lubrificação inadequada associada a falta de comando do passivo no inicio da relação.


Pomadas anestésicas: Xilocaína
Não deveram ser usadas, porque após a sua absorção tiram a sensibilidade local da pele e mucosa e com isso não haverá dor que é um parâmetro importante para continuar ou não a penetração e a perda do prazer local com serio risco de ferimentos importantes que passaram desapercebidas durante a relação.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Gay: A dificuldade de expressão durante a consulta proctologica


Gay: Sua dificuldade  durante a consulta proctologica
Medico proctologista: Dr. Paulo Branco

Ao longo dos meus 13 anos de atendimento na minha clinica ao publico GLBT, recebi  as mas diferentes criticas e reclamações feitas por esse publico através de e-mail, redes sociais, msn, celular sobre o atendimento na área da saúde, principalmente na proctologia realizada nos ambulatórios e consultórios. As principais, foram:

1- Atendimento rápido:
O profissional, mal escutou a minha historia clinica e já saiu pedindo os exames, e o que mas me  impressionou ou mesmo assustou foi que muitos destes exames foram dirigidos a DST.

Comentário: Dr. Paulo Branco
Já me vi diante desta situação no meu consultório e o paciente estava muito triste, magoado e falava que os exames foram pedidos pelo fato de ser gay. Lembrar que o dialogo em medicina tem uma importância crucial para uma impressão ou mesmo uma confirmação diagnostica, principalmente em proctologia onde a grande maioria das doenças poderão ser vistas somente pela inspeção clinica ou estão ao alcance de um toque ou de um pequeno endoscópio (anuscopio), porem o medico deverá ter tempo para escutar e examinar o seu paciente o que não tem na maioria das vezes. Este endoscópio faz parte da rotina das minhas consultas em proctologia. Se eu achar necessário fazer o exame, o mesmo é simples, não exige preparo ou lavagem intestinal e confirma o diagnostico na maioria das vezes e por favor os exames para DST solicite se fizer parte do seu protocolo e pela historia clinica do paciente e nunca pela sua preferência sexual.


2- O constrangimento me fez mudar de profissional, acredita?
O constrangimento é o principal motivo que faz a pessoa desistir da consulta com um proctologista. Muitos pacientes não sabem por onde começar a contar a historia clinica e pedem ansiosos para serem escutados. Já tive casos de pacientes que não falaram nem mesmo para o parceiro que tinham consulta marcada com o proctologista. Essa dificuldade foi muito maior para os pacientes com DST anal e perianal. Imagine ou se coloque no lugar do paciente.

Comentário: Todas as pessoas envolvidas no atendimento aos pacientes proctologicos devem esta preparadas para da ao paciente total conforto e respeito. Geralmente eu peço aos pacientes para examinar somente a região proctologica o que pela minha experiência foi o suficiente para uma confirmação diagnostica na quase totalidade dos casos por. Procuro sempre ter um dialogo ético e amigo porque além do aspecto constrangedor da consulta em si há o da doença, principalmente se esta for uma DST. O medico precisará saber escutar e conduzir a consulta que passará necessariamente pela vida sexual do paciente e neste exato momento os pacientes me referem que geralmente a linguagem, compreensão  e comportamento se transformam em um monologo. O relato de mudar de profissional foi sempre o mesmo e envolveu três itens:
- Atendimento rápido;
- Falta de dialogo;
- Dificuldade em falar sobre a minha opção sexual. 
-Dificuldade de correlacionar ou adequar o resultado do tratamento a estética da região tratada.
 
3- Opção sexual: Não consegui falar, até tentei mas não tive abertura para falar sobre a minha relação passiva, fiquei extremamente ansioso,  mas ele não me escutou, como falar?
A maioria dos profissionais e os livros de medicina nacionais e importados formadores do seu acervo de informação profissional não considera a relação passiva como causa das doença anais como as hemorroidas, fissuras e fistulas anais, portanto o medico tradicional usualmente pela sua própria formação proficissional não dá abertura para se falar sobre a vida sexual do paciente. Para o paciente GLBT além das orientações comportamentais e nutricionais que ele receberá em uma apostila escrita por mim, procuro ter um dialogo aberto, claro e amigo para saber da sua vida sexual e se ela tem participação na causa da sua afecção.

4- Proibição: Após o tratamento, de preferência não realize mas a relação passiva, o que?
O sexo faz parte do lado prazeroso na vida da maioria dos gays, seja o ativo ou passivo. Nestes anos pude comprovar que os gay, que valorizam e cuidam muito bem do corpo procuram manter a sua vida sexual ativa e pedir para que eles não pratiquem significaria uma castração. Por favor nunca peçam e nem falem isso para o publico GLBT. 

Comentário
A situação se agrava quando os médicos não não levam em consideração o lado emocional do paciente, mesmo quando lhe dão toda a assistência clinica. Essa falta de percepção demonstra que a prática médica não está se dando conta de vários indícios que demonstram, muitas vezes, que a condição emocional das pessoas desempenha um papel muito importante na vulnerabilidade à doença e no processo de cura. De um modo geral, a moderna assistência médica não recorre à inteligência emocional. Para o paciente, qualquer contato com uma enfermidade ou médico pode ser uma  boa oportunidade para que ele obtenha informações  acerca da sua saude e, assim, fique mais tranquilo, reconfortado e aliviado - se, pelo contrário, esse contato for desastroso, pode ser um convite ao desespero. muitas vezes o medico muito ocupado poderá ser indiferente a angústia do paciente. É claro que há médicos e enfermeiros que demonstram solidariedade, que aproveitam a oportunidade para não só dar ao paciente a assistência clínica, mas também para prestar as informações necessárias ao seu bem está emocional. Mas a tendência geral é para um universo profissional em que imperativos institucionais impeçam que a vulnerabilidade e queixas emocionais dos pacientes sejam consideradas, principalmente nas questões externalizadas pelo publico GLBT durante uma consulta. A dura realidade é que se têm cada vez mais um sistema de atendimento médico cronometrado por contabilistas interessados diretos nos resultados comerciais que passam longe de um atendimento digno e decente. Ao escutar esses pacientes na minha clinica observo que pedir exames foi a única forma de dialogo e que sobre a saude não se tocou no assunto. 



segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Lésbicas: Guia da saude e beleza para lesbicas


Lésbicas: Guia  da saúde e beleza
Planos de saúde: Trazendo a sua carteira do plano de saúde, terá um desconto nas consultas e procedimentos realizados pelo Dr Paulo Branco.


Autor: Paulo Branco
Matérias:
Blog da saúde gay
Site: www.medicinaintegrada.med.br
Dúvidas enviar para:
- e-mail/msn. paulobranco@terra.com.br
- Clinicas:
Lapa: 011 – 86663281 / 3431-2027 com Monica.
Vila Olímpia: 011 - 38467973 com Fatima.

Objetivo: Dr. Paulo Branco
Esse artigo tem como objetivo principal as orientações básicas para a relação anal  entre mulheres que poderá ocorrer de forma isolada, única ou associada a vaginal o que para muitas mulheres melhora mas ainda as sensações com um orgasmo muito mas prazeroso. Falarei também da anatomia, fisiologia, erotismo, doenças da região genital feminina e estética anal.

Saude:
As lésbicas e a dificuldade no atendimento medico, leia os motivos abaixo e tente quebrar essa barreira:
- As lesbicas geralmente tem dificuldades em assumir a homossexualidade e bissexualidade diante de um profissional da área de saúde;
- Muitas vezes o médico deixa de considerar a diversidade sexual da paciente;
- Geralmente as mulheres lesbicas procuram atendimento medico tardiamente em relação ao diagnostico e tratamento de algumas doenças;
- A invisibilidade lesbica dificulta a criação de programas de saúde.

Anatomia da mulher:
Uma noção das estruturas que formam a anatomia feminina será de grande importância para que você possa ter uma melhor compreensão dos tópicos que serão aqui discutidos e dirigidos para a sua saúde.
- Vagina:
A vagina é um órgão tubular de aproximadamente 9 cm de comprimento e se estende do colo do útero até o vestíbulo da vagina. Esta situada entre a bexiga urinária e o reto. A abertura da vagina para o exterior, em sua extremidade inferior, é chamada de óstio da vagina. Tem um formato anatômico, característico de um canal, delicado, macio e revestido por mucosa, propicio para a penetração, uma lubrificação natural e adequada que protege contra possíveis traumatismos, um ph ou meio que permite a ação de células de defesa contra microrganismos invasores e se comunica com o exterior através de uma fenda.


- Vulva:
O conjunto dos órgãos genitais externos da mulher recebe a denominação de vulva. As estruturas da vulva contornam o óstio da vagina e incluem:
Monte do púbis;
Grandes Lábios da vagina;
Pequenos lábios da vagina;
Clitóris;
Vestíbulo vaginal

- Clitóris: É um órgão erétil pequeno e cilíndrico, situado no encontro superior dos grandes lábios sendo composto de dois pilares, um corpo e uma glande. O clitóris e os pequenos lábios são ricos em terminações nervosas sensíveis ao estimulo tátil e oral. Poderá ser manipulado durante a relação anal para aumentar a excitabilidade e ter mas chance de chegar ao orgasmo.

- Períneo:
O  períneo e os glúteos na mulher tem uma expressão anatômica impar e um apelo  erótico – sensual intensos, porem do ponto de vista higiênico, principalmente das mucosas, merecem todos os cuidados por parte  das mulheres que se relacionam sexualmente com outras mulheres  pela possibilidade de transmissão das DST. O  ânus e a vagina estão situados na região do períneo e pela enorme inervação e vascularização que recebem podem ser consideradas altamente sensíveis as caricias e ao toque. As lesbicas para aumentar o orgasmo costumam introduzir brinquedos no canal anal simultaneamente aos estímulos clitoriano e vaginal.

- Ânus:
O ânus representa a abertura que segue pelo canal anal de aproximadamente 3 a 5cm de comprimento que se continua  com o reto que tem 15cm. É revestido por pele na sua parte externa e mucosa na sua parte interna, sendo circundado por um complexo de músculos, os esfíncteres, responsáveis pelo seu esvaziamento e continência. O canal anal e reto são contíguos ao canal vaginal estando separados por uma membrana e um tecido chamado de conjuntivo que é ricamente inervado e vascularizado e extremamente sensível ao toque e contato  com dildos ou brinquedos durante a relação.

- Canal anal:
O ânus também se apresenta como um canal de aproximadamente 3cm a 5cm de comprimento, sendo formado por pele externamente e mucosa internamente. Este canal é cercado por músculos firmes que contribuem para mante-lo fechado e se comunica com o reto através de um orifício funcional e de forma angulada deixando passar pelo seu interior secreções e conteúdo fecal responsável por possíveis contaminações na relação anal desprotegida. O canal anal se continua com o reto não de forma reta mas sim de forma obliqua razão pela qual qualquer forma de  penetração, peniana ou com dildos ( brinquedos )no inicio deverá ser delicada e lenta para evitar possível traumatismo da mucosa retal.



- Reto:
Tem um comprimento entre 15 a 17cm sendo revestido por uma delicada mucosa especializada na absorção do conteúdo retal.
Tem um papel importante na relação lesbica por abrigar brinquedos ( Media entre 14 a 17cm ) no seu interior e deverá esta o mas limpo possível antes da relação.


- Conteúdo anorretal:
É rico em microrganismos  nocivos para a mucosa vaginal e por isso dedos ou brinquedos não deverão, após ser retirado do ânus,  introduzidos no canal vaginal pois poderá causar uma infecção seria na mucosa vaginal, por isso antes de introduzir na vagina lave o brinquedo  com agua e sabão e se o mesmo estiver de camizinha troque a mesma por outra limpa. Se houver a contaminação com perda de secreção pelo canal vaginal a conduta correta será fazer uma cultura desta para identificação do microrganismo e tratar com  antibiótico adequado.

Ponto G  x  ejaculação feminina:
Falar da anatomia feminina e não citar o controvertido ponto G é quase impossível. O ponto G é definido por muitos como uma estrutura esponjosa formada por vasos, pequenas terminações nervosas e tecidos de sustentação que estão acima da mucosa vaginal, na frente do útero e abaixo do osso púbis. Estes tecidos formam um coxim tornando a mucosa vaginal neste ponto mas grossa, volumosa e prequeada que poderá ser sentida pelo tato. O massageamento feito sobre o ponto G com os dedos, vibradores, brinquedos ou pênis de silicone introduzidos pela vagina em direção ao púbis ( Para cima ) de forma delicada e sob pressão continua poderá causar na mulher um prazer intenso e orgasmo chamado de vaginal. Para muitos o ponto G na mulher corresponde a próstata no homem e justifica o liquido expelido por algumas mulheres no momento do orgasmo que é conhecido como ejaculação feminina. Esse liquido é produzido por pequenas glândulas localizadas próximas a uretra que fazem parte do ponto G e quando estimuladas provocam orgasmos consecutivos.

- Hormônio: Existem muitos receptores de estrógeno nos músculos perianal e vaginal e a queda deste hormônio determinará uma diminuição da contração dos músculos com diminuição do prazer. Muitas pacientes referem melhora nas suas relações com a reposição hormona



- Comentário: Dr. Paulo Branco
A vagina e o canal anal fazem parte de uma região        ricamente inervada e vascularizada o que as tornam muito sensíveis e com alto apelo erótico para os estímulos visual, tátil e do sexo em si antes, durante e após  a relação. Veja o comprimento do reto e entenda o porque sempre falo que a lavagem retal deverá ser feita sob baixa pressão e com pequenos volumes de uma solução adequada.

Erotização Feminina:
A grande maioria dos relacionamentos com o tempo, perdem o encantamento, desejo e a erotização que representam o gatilho para uma excitação e resposta sexual criativa, intensa e prazerosa. Apesar de um considerável numero de mulheres tornarem a sua relação aberta, que considera a terceira pessoa ou colocando as fantasias dentro da relação, o tradicional ainda prevalece nos relacionamentos. As fantasias femininas são mas elaboradas e requerem para ser prazerosas uma historia construída com sussurros, envolvimento, romance e descobertas. As mulheres parecem ser mas criativas, ecléticas e maduras nas suas fantasia.



- Mulher moderna x erotização:
A mulher acusada de ser incapaz, de manter ou acabar com as fantasias eróticas que faziam parte quase que somente da educação masculina, mudou e está atualmente praticando a liberdade adquirida e em busca de novas formas de expressar as suas ideias e o seu prazer. Apesar da velocidade e do volume de informações sobre sexo existentes e apresentadas por diferentes meios de comunicação, atualmente ainda há um preconceito e dificuldade de se falar, e não de forma aberta, sobre as opções e variações sexuais nas escolas, famílias  em uma nova sociedade que surge. A pequena quantidade de livros e literatura direcionados para informações sobre sexo e suas variações ainda é pequena e praticamente inexistente nas prateleiras das grandes livrarias o que torna a sociedade carente de informações e o que me estimulou a escrever para o publico feminino.



 Distúrbios sexuais da mulher:
Muitas mulheres têm dificuldades sexuais em algum momento de suas vidas. Com frequência, trata-se de um problema temporário que se resolve por si mesmo. Porém às vezes o problema persiste e causa angústia. Esse tipo de problema cai na categoria geral de disfunção sexual feminina.

Informações elementares:
A disfunção sexual refere-se a um problema persistente e recorrente encontrado em  ou mais dos estágios da resposta sexual, afetando negativamente seu relacionamento com seu parceiro. A disfunção sexual pode ocorrer em mulheres de todas as idades, mas durante a menopausa metade de todas as mulheres – ou até mais – pode ter problemas sexuais.
Os médicos e os terapeutas geralmente dividem a disfunção sexual nas mulheres em quatro categorias:
- Baixo desejo sexual:
Sua libido está em baixa, ou você não sente impulso sexual, e está angustiada por isso. Este é o tipo mais comum de distúrbio sexual entre as mulheres.

- Distúrbio da excitação sexual:
Seu desejo de sexo está intacto, mas seu organismo não produz lubrificação para mantê-la excitada durante a atividade sexual.

- Distúrbio orgásmico:
Você tem uma dificuldade persistente ou recorrente ou demora a chegar no orgasmo após suficiente excitação sexual e estímulo contínuo. Se você jamais teve um orgasmo, o distúrbio é denominado de distúrbio orgásmico primário. Numa mulher que antes tenha chegado ao orgasmo, mas que já não o atinge, ele é chamado de distúrbio orgásmico secundário.

- Distúrbio da dor sexual:
Você tem dor associada as estímulo sexual ou ao contato vaginal. A dor genital recorrente ou persistente associada às relações sexuais é chamada de dispareunia. Se você tem espasmos dolorosos e involuntários dos músculos em torno da entrada da vagina, a condição será diagnosticada como vaginismo.

Fatores de risco:
Vários fatores podem causar ou contribuir para a disfunção sexual nas mulheres. Eles geralmente são classificados em três categorias:

1- Físicos:
Há numerosas condições físicas que podem causar ou contribuir para problemas sexuais, incluindo artrite, diabetes, dores de cabeça e dificuldades urinárias ou intestinais. A fadiga é um fator bem reconhecido. Certos medicamentos, incluindo alguns antidepressivos, medicamentos para a pressão arterial, sedativos e anti-histamínicos, podem atuar diminuindo o desejo sexual, reduzir a lubrificação ou a sua capacidade de atingir o orgasmo.

2- Hormonais:
A deficiência de estrogênio depois da menopausa poderá resultar em alterações em seus órgãos genitais e em sua resposta sexual. As dobras de pele que cobrem sua região genital (lábios) se retraem e se tornam mas finas, expondo mais o clitóris. Essa exposição aumentada pode reduzir a sensibilidade do clitóris, ou pode causar uma sensação desagradável de prurido.
À medida que você envelhece, também leva mas tempo para que a vagina inche e se lubrifique quando você está sexualmente excitada. A abertura da vagina também pode ficar mas estreita e o interior, menos elástico. Esses fatores podem levar a uma relação sexual difícil ou dolorosa ( dispareunia), e pode-se levar mais tempo para se atingir o orgasmo.

3- Psicológicos e sociais:
Dificuldades emocionais como estresse, raiva, ansiedade ou depressão podem causar ou contribuir para problemas sexuais. Seus sentimentos em relação a sua parceira ou sua visão do seu corpo ou da parceira, são fatores adicionais que podem se combinar para causar problemas sexuais.

Tratamento:
As causas externas, como o uso de medicamentos poderão ser mudados se possível, pelo seu medico.
Se você está na pós-menopausa e com sintomas característicos de deficiência hormonal poderá tratar com a reposição estrogênica via vaginal na forma de creme. O uso de lubrificantes vaginais adequados poderão aliviar as dores durante a relação.
Exercícios físicos propostos por Kegel para aumentar o tônus dos músculos perineais envolvidos no orgasmo feminino poderão ser feitos para aumentar o prazer. A psicoterapia está indicada quando problemas psicológicos ou de relacionamento podem está afetando o seu bem está sexual.

Atitude: O que pode ser feito?
Independentemente de sua idade, é importante não esquecer sua sexualidade. Eis algumas estratégias para melhorar seu desejo sexual e ter maior satisfação:

- Comunicação aberta com a sua parceira:
Discuta as alterações físicas pelas quais você ou sua parceira possa estar passando e o que vocês podem fazer para satisfazer um ou outro durante o sexo. Isso pode envolver a tentativa de diferentes posições que tornam a relação sexual mais confortável, ou ter sexo numa hora em que você esteja com o máximo de energia.

- Diga a sua parceira exatamente o que você quer e o que não quer.
Se for mas fácil, guie as carícias da sua parceira.

- A relação está previsível, tente alguma coisa nova ou diferente:
Capriche em um novo visual ou cenário, faça e se torne uma surpresa. Escolha uma hora diferente do dia para  namorar ou para fazer amor.

- Mantenha-se sexualmente ativa:
A atividade sexual regular pode aumentar a intimidade e melhorar seu relacionamento com a sua parceira. Ela também melhora a lubrificação vaginal e ajudará a manter os tecidos vaginais mais flexíveis.

-     Cuide-se
Alimentar-se da maneira correta com uma alimentação equilibrada ou balanceada associada a pratica regular de atividades físicas aumentara os anos com uma excelente qualidade de vida. Com certeza você terá uma vida sexual com mas disposição e felicidade, mesmo na menopausa.

Saúde sexual da mulher: DST

 - A transmissão poderá ocorrer:
Uso de acessórios: brinquedos sexuais
Menstruação
Secreção vaginal
Anilingue: lamber a parceira
Contato: fricção entre pele e mucosas
Seringa: Compartilhamento
- Sexo seguro: Leia com atenção e pratique.
Na pratica as lesbicas não usam as medidas preventivas para o sexo seguro pelos motivos abaixo descritos, porém as autoridades estão interessadas em uma maior conscientização para que as lesbicas ultrapassem as razões educativas, de mercado e mesmo comportamental para cuidar da saúde. Segundo dados do ministério da saúde somente 2% das mulheres que se relacionam com mulheres usam medidas preventivas no inicio da relação contra 45% nas que se relacionam com outros homens.

Conduta segura: Tenha atitude
Exames: Faça os testes para detectar DST antes de iniciar uma relação;
Parceiro: Se a relação está no inicio evite contato direto com secreções, fluidos e sangue;
Brinquedos: Use camisinha também;
Sexo com homens: Sempre com preservativo.

- Razões para as lesbicas não praticarem o sexo seguro:
Dificuldade em adquirir a camisinha feminina;
Variações sexuais, como o sexo oral, que poderá ser um meio de contagio;
 Excesso de confiança na parceira;
Sexo casual com homens de forma desprotegida;
Sexo casual com o eterno fetiche das lesbicas que são as mulheres heterossexuais executivas portadoras do HPV.


Veja e faça a sua reflexão sobre os dados publicados pela OMS ( Organização mundial de saúde ) para a DST no Brasil:
HPV: 685.400
Herpes genital: 640.900
Clamídia: 1.967.200
Gonorreia: 1.541.800
Sífilis: 937.00




DST:

- HPV:
Sinonímias: Verruga genital, crista de galo, figueira e cavalo de crista.
Nome do Vírus: Papilomavirus humano e existem mais de 150 tipos que são específicos como agentes infectantes da espécie humana.
Momento da infecção:
A inoculação do HPV ( papiloma vírus humano ) ocorre na maioria das vezes durante as diferentes formas de praticas sexuais com pessoas infectadas. Nas preliminares também ocorre a transmissão, pois o contato com a pele infectada do parceiro poderá contrair o HPV que poderá está em algum lugar da vulva.

Formas de transmissão:
- Sexo oral, vaginal, anal, roupas intimas, brincadeiras com os dedos, brinquedos e vibradores.

- Sexo oral:
A baixa possibilidade de transmissão se justifica pela baixa concentração do vírus na saliva, porem processos inflamatórios e erosões gengivais com sangramento produzidas muitas vezes pelo uso do fio dental poderão determinar um forte veiculo de transmissibilidade de DST. Já diagnostiquei a presença de verrugas de coloração esbranquiçada na mucosa gengival.
- Vibradores:
Não permita que a sua parceira que está praticando o ativo com o vibrador  faça a introdução anal ou vaginal sem o uso do preservativo pois a consequência será uma infecção tanto bacteriana quanto viral de gravidade variável.

Formas clinicas de apresentação do HPV:
- Manchas planas brancas ou avermelhadas
- Verrugas

Comentário: Dr. Paulo Branco
Você já tem aqui a orientação que as verrugas representam a expressão clinica da doença, portanto ainda sob a luz dê uma inspecionada nas regiões que formam o períneo e vulva, principalmente se você não conhece a parceira ou a relação é de risco.



Exames para o diagnostico do HPV:
- Papanicolau: As mulheres deverão fazer por ser preventivo para o câncer e por detectar alterações iniciais nas células do colo uterino.
- Confirmação:
Será feita pelos exames da biologia molecular:
Captura hibrida
PCR
Esses exames informam aos médicos os tipos mas frequentes de HPV ( 6/11 ) e os que estão relacionados com o câncer também chamados de oncogênicos(16/18 ).


- Tratamento:
Sempre informe e seja honesto com o seu paciente:
Se faz importante frisar, e eu sempre deixo claro para os meus pacientes, que o HVP não tem cura e as verrugas representam uma manifestação clinica indicadora da presença do vírus.

Preventivos:
Camisinha:
Uso da camisinha feminina.
 Use a camisinha nos seus brinquedos desde as preliminares para a pratica do sexo oral, genital e principalmente o anal onde a ruptura poderá ocorrer com mais frequência por não existir na região anal uma lubrificação. As camisinhas de tamanho ideal, mas grossas e de dupla camada usadas com um lubrificante a base de água representa a combinação ideal para evitar a ruptura com risco de transmissão de doenças.

Vacina:
No Brasil está liberada para mulheres entre 9 a 26 anos.
Vantagem:
Breca os tipos mas frequentes de HPV, 6/11 e os ontogênicos, 16/18.

Desvantagem:
A vacina não protege contra as verrugas existentes.

Importância da vacina para as mulheres:
Se todas as adolescentes fossem vacinadas, na fase adulta os cânceres nas mulheres relacionados com o HPV  diminuiriam em 70%.

Pomadas:
Existem médicos que indicam, porem eu não indico principalmente quando há varias verrugas perianais e a paciente faz o sexo anal passivo. Os casos que me levaram a não indicar as pomadas, apresentavam cicatrizes, algumas exuberantes e comprometimento das preguinhas perianais, situações que impossibitavam algumas pacientes da pratica do sexo passivo e as afetava no psicológico também.
Cirurgia:
A principal causa da recidiva ou permanência do HPV após a cirurgia para a retirada foi que o medico não realizou durante o procedimento uma analise endoscópica na parte interna do canal anal. Eu sempre faço esta endoscopia intra-operatória associada a técnica de coloração do DNA viral e retiro as verrugas com o laser sob anestesia local. Sempre tenho o cuidado de deixar uma margem de segurança quando retiro as verrugas para incorrer o risco de deixar verruga no local.



Importante: Leia com atenção
Colposcopia anal, perianal, perineal e dos grandes e pequenos lábios vaginal:
Tenho feito este exame microscópico nas lesbicas e mesmo nas mulheres heterossexuais portadoras do hpv genital, porque cerca de 25% dessas pacientes  apresentam o vírus do HPV morando na camada profunda da pele das regiões acima citadas e nesta localização ( camada profunda da pele ) é que o vírus poderá determinar o aparecimento do câncer. Se confirmado a presença dos vírus por técnica de coloração adequada eu já trato como forma preventiva do câncer e do aparecimento das verrugas.


HPV: Princípios gerais para o tratamento das verrugas anais:
- É complexo e multifacetado;
- O tratamento é difícil e deverá ser focado nas particularidades de cada caso;
- Nenhuma modalidade terapêutica é eficaz em todos os casos;
- Deve-se em casos selecionados pesquisar a concomitância de outras DST e o estado imunológico do paciente:
Estudo da FMUSP: Estudo feito no hospital das clinicas em 104 pacientes de DST ( Sendo 37 de condiloma acuminado ), em 23% dos casos tiveram sorologia positiva para sífilis e 16,3% para HIV.


HPV X Câncer de ânus:
A câncer de ânus representa menos de 4%  dos tumores colorretais. No Brasil as estatísticas indicam menos de mil novos casos por ano. É mas frequente em mulheres do que em homens diferentemente do câncer do reto. A causa parece está relacionada a vários fatores comportamentais, imunológicos e genéticos. Estudos recentes afastaram como causas do câncer de ânus os processos irritativos, como as doenças inflamatórias intestinais, hemorroidas e as fissuras anais.
Fatores envolvidos no câncer de ânus: 
- HPV: É o fator etiológico mas importante envolvido na gênese deste câncer, em um processo semelhante ao que ocorre no câncer do colo uterino. Foram encontrados de 105 a 20% de câncer de ânus em fase inicial.
- Número de parceiros: Há uma relação direta com o número de parceiros > de 10.
- Tabagismo
- Pratica do sexo anal
- HIV: Relacionado a imunodepressão ou as drogas usadas no tratamento que aumentam em 100 vezes o risco.
- uso de camisinha

Aspectos psicológicos da infecção pelo HPV:
A infecção pelo HPV devido a transmissão sexual e possível envolvimento com lesões pré ou cancerosas, poderá levar a sentimento de culpa e medo. Grande quantidade de pacientes infectadas apresenta, dificuldades sexuais  em testes psicológicos e psicodinâmicos. Isto acontece, principalmente em pacientes com lesões muito extensas, podendo ocorrer perda do desejo sexual e experiências insatisfatórias em mais de 50% dos casos. Dados sobre a relação com o parceiro sexual indicam piora em 15% dos casos, e entrevista mostrou que mas de 25% das pacientes temem que sua doença possa evoluir para o câncer.
- Herpes simples:
O vírus da herpes contamina apenas humanos, sendo bastante comum.
Causa:
É uma doença sexualmente transmissível causada por dois tipos de vírus:
Tipo 1: Determina o aparecimento de vesículas nos lábios, boca e menos frequentemente nos genitais.
Tipo 2: Afeta os genitais

Transmissão:
Pelo contato sexual direto, penetração e contato oral-anal, principalmente na fase das bolhas. Fora das fases das bolhas, os vírus ficam latentes e não há contaminação.

Tempo de incubação: Os sintomas geralmente aparecem de 2 a 10 dias  após o contato com o vírus e permanecem em media entre 2 a 3 semanas.

Formas de apresentação:
Ardência e vermelhidão local e posteriormente o aparecimento de bolhas agrupadas de cor clara e doloridas que apos romper poderão determinar o aparecimento de pequenas feridas muito doloridas nos genitais e ânus.

Achados anorretais:
 A região anorretal poderá está congesta e edemaciada
extremamente dolorosa, com presença das vesículas
erosões, sendo muitas vezes necessário fazer o diagnostico
diferencial com sífilis e em mulheres imunodeprimidas ( HIV
) com citomegalovírus. As lesões poderão se estender para a
pele do períneo e coxas.
        
Locais acometidos:
Mulher: Lábios, ânus e mucosa vaginal.
Homem: Lábios, Glande e corpo do pênis.
Diagnostico: Presença das bolhas.

Tratamento:
Pomadas de uso local.
Medicamentos que melhorem a resistência.
Evitar o estresse.


Comentário:
A doença não tem cura, podendo recidivar em períodos curtos ou longos.

Estresse: Leia com atenção:
Deverá ser evitado o máximo que você poder, pois no estresse ocorre a liberação de um hormônio chamado CORTISOL que atua diminuindo os ANTICORPOS  que policiam os vírus do herpes nos gânglios linfáticos profundos. A consequência será que os vírus deixam os gânglios e afloram na pele ou mucosa determinando o aparecimento do principal sintoma que são as bolhas. É muito frequente os pacientes referirem o aparecimento do herpes após diferentes tipos de estresse do trabalho ao exercício físico extenuante.


Hepatites:
As hepatites sempre representaram uma preocupação para os praticantes do sexo anal pelo alto poder de infectividade dos vírus, B e C.


Portador são: Um problemão para os médicos!
O grande problema para a prevenção da transmissão das hepatites é o chamado portador são representado por pessoas que tem o vírus porem não apresentam os sintomas da doença no inicio do seu curso mas sim em uma fase mas adiantada quando o fígado poderá está com a sua função comprometida.
Sintomas: Desconforto abdominal, fadiga, perda de peso, dor de cabeça e muscular, febre moderada, urina escura e cor amarelada. Esses sintomas estão presentes em pacientes que permanecem com uma inflamação do fígado, cerca de 30%  após o contagio inicial pelo vírus B. As pessoas de elevado risco deveram ser vacinadas contra a hepatite B.

Vias de transmissão: 
Embora os vírus possam está presentes nos fluidos e secreções corporais como as fezes, secreção vaginal e urina, você deverá se preocupar mesmo é  com o sangue, semem e possivelmente a saliva como principais meios de transmissão das hepatites acima referidas e com essa informação sempre procure fazer o sexo anal ou mesmo o oral responsável, isto é protegido pela camisinha e evite partilhar escovas de dente, laminas de barbear e agulhas para usuários de drogas.

Hepatite C: Um problema de saúde publica
Causada por um vírus conhecido como VHC ( vírus da hepatite C ), tem como principal via de transmissão o contato com o sangue e secreções contaminados pelo vírus. Diferente do vírus da hepatite B o VHC tem uma evolução de 80% para as formas crônicas da doença podendo a doença evoluir para a cirrose e câncer do fígado. Não há vacina para a hepatite C.

AIDS:
As mulheres que se envolvem sexualmente com outras mulheres podem transmitir o HIV, mas é muito raro. O verdadeiro dilema da sexualidade das mulheres com Aids é o medo, o estigma, as humilhações e o isolamento. O objetivo deve ser o de ser capaz de se sentir próxima, sexy e apaixonada de ficar com tesão e se ligar em você mesma.

A  sigla representa Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, sendo causada pelo vírus HIV. Esse vírus tem um tropismo ou verdadeira atração pelos seus anticorpos, chamados linfócitos T e o mais conhecido é o CD4, ele ataca e destrói estas células de defesa, neste momento a doença começa a se instalar no organismo.


Transmissão:
A principal forma de transmissão entre as lésbicas é através de homens portadores, geralmente não assumidos pelas lesbicas bissexuais ou pelo uso de drogas injetáveis.
Para que haja a contaminação, o vírus deverá entrar na sua corrente sanguínea e se fixar a um receptor nos seus anticorpos, portanto tem de haver sangramento ou ferimento que representará o portal de entrada para o Vírus.. Esse vírus poderá está presente em todas as secreções e fluidos corporais como o sangue, semem, secreções vaginais, saliva e até mesmo no leite materno e qualquer forma de sexo desprotegido poderá determinar a infecção pelo HIV. Casuísticas demonstraram que o HIV é mas transmitido pelo sexo anal e vaginal e com menor possibilidade pelo sexo oral onde a concentração ou numero de vírus é muito pequena.

Preste a atenção: Pisou na bola!
Se você deu aquela pisada na bola e fez o sexo anal, vaginal, oral desprotegidos, mantenha a calma e faça um teste para o HIV após um período de 6 semanas e 6 meses desde que teve a relação.

Diagnostico:
- Sinais e sintomas:
Os sintomas poderão aparecer após algumas semanas da infecção de forma frustra como febre, dor no corpo e ir aumentando conforme a progressão da doença, para:
Diarreia ;
Diminuição do apetite;
Rápida perda de peso;
Fadiga e cansaço fácil;
Pontos brancos e manchas anormais na boca, gengivas;
Febre baixas e recorrente;
Suores noturnos frequentes;
Gânglios aumentados;
Ínguas;
Infecção por fungo perianal e vaginal.
- Exames: Sangue
Tipos de vírus:
HIV1: Responsável pela maioria dos casos de AIDS.
HIV2: Por casos isolados

Testes para Detectar esses vírus no sangue:
 ELISA: Verifica os anticorpos virais no sangue sendo o teste principal para detectar o HIV1 / HIV2.
Western Blot: É um segundo teste feito na mesma amostra de sangue que em casos de duvida confirmará a infecção pelo HIV.

Tratamento:
O tratamento contra o HIV é um dos que mais muda rapidamente na área da saúde, mas os medicamentos jamais deveram ser vistos como uma alternativa ao sexo seguro. Coquetéis se mostram cada vez mas potentes em atrasar a evolução da doença e melhorar a qualidade de vida dos pacientes contaminados. Até o momento ainda não existe cura para a AIDS.


DST não virais:

- Sífilis:
O Treponema pallidum é o causador da doença que é transmitida pelo contato direto com as lesões abertas ou por transfusão de sangue contaminado na sífilis adquirida e por via transplacentaria na sífilis congênita. O treponema é capaz de penetrar pela pele e pelas mucosas integras, mas a penetração é extremamente facilitada quando houver um ferimento. Admiti-se que cerca de 50% a 60% dos contatos adquiram a infecção.

Por ser proctologista os casos de sífilis mas frequentes atendidos na minha clinica foi na forma de uma pequena fissura no ânus, geralmente indolor e em alguns casos associados a gânglio aumentado na virilha. Eu suspeitei porque havia história de sexo anal passivo e a dor era pequena quando comparada a fissura não sifilítica. Pedi o VDRL que é o exame para confirmação da sífilis que veio positivo e eu tratei com antibiótico adequado com cicatrização da fissura.


- Gonorreia:
Perda de secreção amarela pelo ânus. O diagnostico deverá ser confirmado pela identificação do gonococos fazendo-se a cultura da secreção. O Tratamento será feito com antibiótico especifico com cura da doença.


- Vaginites:
É a inflamação e infecção da mucosa vaginal causada mas frequentemente por uma bactéria coliforme chamada Escherichia Coli, que foi introduzida no canal vaginal pela relação anal e vaginal simultânea. O sintoma é o corrimento vaginal presente em 50% a 70% dos casos, com substituição da secreção vaginal fisiológico por uma acinzentado ou amarelado, geralmente em moderada quantidade. O diagnostico também será feito pela identificação da E.Coli pela cultura da secreção. O tratamento com antibióticos oral e local visará erradicar ou diminuir o numero de bactérias patogênicas e ao restabelecimento da flora vaginal fisiológica ou normal.



Lesbicas: Estudo sobre DST em lésbicas, revelou:
Um estudo realizado pelo governo de São Paulo sobre a saúde das lésbicas realizado com 145 lésbicas com a idade que vario entre 18 e 61 anos de idade revelou que somente 2% delas se previnem durante o sexo contra as doenças sexualmente transmissíveis ( DST ). A infecção vaginal por bactérias, diagnosticada como vaginose bacteriana, que é a responsável por 70%  dos corrimentos vaginais nas mulheres, esteve presente nesta casuística em 33,8% seguida da  infecção por fungo ( Cândida) que teve um crescimento de 25,6% em 121 culturas observadas. O protozoário de nome Trichomonas Vaginalis que poderá determinar uma coceira intensa, ardência ao urinar e um corrimento amarelo e de odor desagradável foi diagnosticado em 3,5% das pacientes. O exame de Papanicolau foi anormal em 7,7% das pacientes e foi positivo para o HPV, vírus  relacionado ao câncer de colo do útero e ao aparecimento das verrugas genitais em 6,3% das mulheres estudadas.
Nas doenças causadas pelo contato com sangue contaminado, Observou-se:
HIV: 2,9%
Hepatite B: 7%
Hepatite C: 2%
Causas: As mulheres envolvidas na pesquisa, referiram que tiveram relações sexuais sem preservativo porque:
-  Desconheciam o risco;
- Confiam nas parceiras;
- Desconhecem métodos de prevenção do sexo oral feminino.
Relataram que:
- Usaram acessórios na hora da relação: 33,1%.
- Pênis de borracha: 70,1%.
- Compartilharam brinquedos: 45%.
- Trocam a camisinha ao compartilharem o mesmo objeto: 54%.


Orientação: Dr. Paulo Branco
Para as apreciadoras de brinquedos, vibradores, pênis de borracha e as bissexuais o uso da camisinha é obrigatório, principalmente para aquele tesão de ultima hora que foi a explicação dada no meu consultório pela maioria das minhas pacientes.

Conclusão:
Você poderá fazer e ter como um habito a realização do autoexame e se perceber a presença de verrugas ( Vaginal, perianal, perineal ) corrimento, áreas de vermelhidão com ou sem coceira, procure um medico especialista para ter um diagnostico e tratamento adequados e depois retomar a sua vida sexual de forma saudável e prazerosa.   


Relação anal:

- Mãos limpas e unhas cortadas:
       Já tratei de pacientes com ferimentos importantes na vulva, ânus e canal anal consequentes a unhas compridas. Não esqueço de ter atendido uma paciente que teve um desses ferimentos causado pelas referidas unhas de uma paciente portadora do vírus da hepatite C. Até hoje os exames desta paciente dão negativos.

- Lavagem:
Eu sempre falo que a lavagem deverá ser somente do reto com pequenos volumes de liquido ou enemas que você poderá adquirir em farmácias e feita cerca de 01h antes da relação. Se você injetar grandes volume de liquido, o mesmo será aspirado para o interior do intestino e poderá ser eliminado no momento da relação.

- Lubrificação: 
O canal anal não apresenta uma lubrificação própria como a mucosa vaginal por isso uma lubrificação adequada com lubrificantes a base de agua e neutro representará parte obrigatória antes e durante na relação anal. Desaconselho o uso do gel com anestésico ou somente o anestésico para qualquer forma de penetração pois além de tirar as sensações táteis prazerosas poderão causar ferimentos pela perda da sensibilidade local.  Muitas pacientes me procuram com inflamações na parte interna do anus, diagnosticadas como proctites e fissuras chamadas de radiadas na pele perianal que são consequentes a uma lubrificação inadequada associada a falta de comando da passiva no inicio da relação.

Penetração:
Existem variadas formas de penetração no sexo lesbico e as mas frequentes são: acessórios como as cintas ( calcinhas com brinquedos fixados a ela), dildos ( pênis de silicone, látex e borracha ) vibradores e os dedos. Para a pratica do sexo vaginal os dedos são os mas utilizados. A penetração não é uma unanimidade no sexo lesbico, assim como as lesbicas são mercê de criticas por usarem pênis sintéticos para penetração e praticas sexuais. A explicação das lesbicas é que esses brinquedos são manipulados por outra mulher envolvidas no desejo entre mulheres e não fazem parte ou estão presos ao corpo humano das mulheres.  

- Penetração: Uso de dildos ou brinquedos:
Muitas mulheres não vão a uma loja se sex shop por vergonha, medo de está fazendo coisa errada ou que o mundo inteiro esta de olho. Se você faz parte deste grupo, mude porque segundo os donos destas lojas preparados para um bom atendimento, 80% dos produtos são vendidos  para mulheres que entram e escolhem o seu brinquedo de diversão, diga-se de passagem são muitas as opções, e a escolha geralmente combina com as suas expectativas, fantasias e desejos. Mas se você não venceu a timidez poderá adquirir pela internet. Esses brinquedos são de grande importância para iniciantes e muitas pacientes referem ter definido um ponto G ou alcançado o orgasmo  através da masturbação com o dildo. Todos os cuidados descritos como forma profilática de traumatismos, como ter um relaxamento adequado dos esfíncteres e uma boa lubrificação deveram ser aplicados para o uso dos brinquedos.  0 uso dos brinquedos eróticos poderá melhorar a sua relação ou não. Antes de adquirir o seu, leia e siga as regras abaixo descritas para se divertir com prazer e de forma segura:

         


Dicas e orientações para o uso dos dildos:
-      Orientações: Siga as orientações que acompanham cada produto.
-      Higienização: Faca a limpeza antes e depois do uso com agua e sabão ou produto adequado.
-      Embalagens: Não reutilize.
-      Compartilhamento: Não compartilhe com ninguém pois o risco de transmissão de DST para você poderá ser real.
-      Lubrificação: Deverá ser feita com lubrificantes a base de agua na abertura anal e reto inferior.
-      Alergia: Se houver pare imediatamente e se aumentar ou persistir procure um medico.
-       Dildo ideal: Material macio, com ponta romba, de diâmetro progressivo e com uma haste na sua base para evitar o deslizamento ou aspiração do produto para dentro do intestino que poderá acontecer como resultado de uma empolgação excessiva da ativa durante a penetração.



-      Vibradores:
  As lesbicas não apreciam os vibradores a pilha pelo fato        de poderem aprontar fora de hora. Os elétricos são os preferidos pela maior durabilidade, pelas vibrações mas fortes, homogêneas e constantes. Os pênis de silicone são  usados por serem macios, menos traumático e poderem  alcançar uma profundidade que você espera na relação embora não seja apreciada por muitas pela sua grande semelhança com o pênis. O uso dos brinquedos na relação fará você escolher o preferido com o qual irá descobrir  o caminho do prazer. Para muitas mulheres a associação dos vibradores com uma fantasia bem erótica determinará orgasmos enlouquecedores.  Se você esta naquela fase de ter enjoado o seu vibrador tente o método de parar e recomeçar. No meio do rala e rola, pare com o vibrador e use outras maneiras  de estimulação como mãos, dedos e mesmo com a parceira, alterne, seja criativa até chegar ao orgasmo.


Contraindicações para o uso dos vibradores:
Dor: Se sentir dor pare. Casos com dor eu prefiro fazer na minha clinica um exame endoscópico especifico para examinar o anus e canal anal para afastar doenças inflamatórias que possam da dor, prefiro tratar e depois libero para o uso do dildo.
         Fissura anal: Poderá aumentar a fissura e não tente usar anestésico que só mascara.
    DST: Use sempre a camisinha no dildo.



Técnicas para o sexo anal:

- Inicio: Dialogo
A comunicação sexual representa uma das maneiras mais intensas e direta dos amantes se relacionarem, falando de forma aberta, clara e sem preconceitos sobre as suas fantasias, prazeres e necessidades sobre as quatro paredes.
A linguagem é um dos códigos mais claros e compreensíveis que se partilham, ao passo que os outros modos de relacionamento, por exemplo, os físicos, mudam de significado de uma pessoa para outra, e variam segundo os estados de espirito, o caráter e outros traços da personalidade. A comunicação sexual apóia-se tanto nas palavras como nos gestos e é dai que vêm a sua enorme riqueza e variedade, por isso, excluir uma das possibilidades é limitar o caminho do prazer. A confiança e a intimidade que se ganham ao expressar verbalmente a excitação e o gozo são o primeiro passo para a comunicação dos sentimentos.





- Preliminares:
Para a realização do sexo anal as preliminares passam a ser fundamentais para o relaxamento e entrega dos parceiros. As zonas consideradas erógenas deveram ser percorridas e estimuladas pelas mãos de forma delicada proporcionando na mulher um aumento do libido e desejo, as preferidas são:

- Boca: O beijo representa o grau máximo da intimidade, desencadeia a resposta química da sexualidade, alterando os hormônios responsáveis pelo libido e prazer, elevando os níveis de excitabilidade do casal.

- Orelhas: As orelhas quando acariciadas pelas mãos e beijos parecem promover nas amantes uma descarga adrenérgica e de excitabilidade intensos.

- Nuca: É uma área erótica, extremamente sensível sendo muito explorada pela ativa no sexo anal passivo. Quando tocada suavemente estimula receptores nervosos proporcionando um grande prazer.

- Mãos e dedos: O tocar das mãos sugere sensibilidade e desperta sentimento e paixão.
- Mulher: Técnica do sexo passivo
Pergunto frequentemente as minhas pacientes lesbicas que praticam o sexo anal passivo sobre a existência de dor e a maioria me responde que não sentem dor. Com pouco conhecimento da fisiologia, a penetração anal poderá ser feita de forma segura, sem riscos. Como qualquer músculo, seu esfíncter interno poderá contrair-se de forma reflexa ao entrar em contato com o brinquedo e fechar a abertura anal até o momento em que se cansa e precisa relaxar o que demora de  30’ a 60’. Se você não tiver esta paciência irá forçar o esfíncter interno que se encontra fechado e determinar o aparecimento de lesões como as fissuras. Quando perceber o relaxamento do esfíncter realize a penetração e após alguns movimentos suaves se mexa na posição que desejar. Depois da penetração você poderá realizar carinhos, caricias, beijos e manipulação das áreas perineais, vaginal e clitoriana para aumentar o desejo e libido. A mulher poderá chegar ao orgasmo com a manipulação do clitóris e mesmo do ponto G durante a penetração anal. Para que a penetração ocorra de forma indolor sugiro que a passiva no inicio esteja no controle da relação e realize as regras da penetração inicial. Uma vez ultrapassado o esfíncter o caminho está livre. O reto tem aproximadamente 17cm de comprimento, o suficiente para acomodar qualquer brinquedos macios e com haste na sua base.  Para muitas pacientes o problema não é o comprimento, mas sim a circunferência da abertura anal.

- Participação dos músculos:
Estudos e observações clinicas feitas por fisioterapeutas demonstraram que mulheres que exercitaram com frequência os músculos perineais, perianais e pélvicos  referiram benefícios, como:
- Sensações pélvicas mas exuberantes;
- Orgasmos mais intensos e com maior controle na relação.

- Relaxamento da Musculatura anal x penetração:
 A musculatura anal é mas firme e contribui  para manter a fenda anal fechada. Para o relaxamento desta musculatura faça uma massagem delicada por cerca de 2 no musculo perianal e controle a penetração e a impulsividade da ativa que geralmente conduzida pelas suas fantasias eróticas extremas não respeitará este tempo de relaxamento adequado para uma penetração sem traumatismos.
        
- Complicações da relação anal:
- Dor:
A maioria das mulheres que praticam o sexo anal referem prazer e a minoria dor. Na minha experiência clinica as principais causas de dor foram a falta de relaxamento dos músculos que estão na volta da abertura anal associada a uma ativa desgovernada, isto é sem a menor paciência, e a doenças preexistentes como as fissuras e proctites ( inflamação anal) com ou sem hemorroidas. Se você sentir dor intensa no inicio da relação ou em uma relação mas prolongada, pare imediatamente, dê um tempo e tente  recomeçar fazendo um relaxamento adequado dos músculos anais através de um massageamento delicado e progressivo, juntamente com caricias e afeto e se persistir para e tente recomeçar no dia seguinte. Não indico os óleos  vendidos comercializados em lojas de produtos eróticos porque muitas pacientes referiram após a relação irritação anal e mesmo vaginal, dermatites ( inflamação da pele ) e desconforto. Use como indicado acima lubrificantes a base de água.

- Sangramento:
Fissura anal: O sangramento ocorreu com maior frequência nas pacientes com fissura anal traumáticas decorrente de uma lubrificação deficiente e da falta de um relaxamento muscular adequado. Na inspeção clinica havia mas de uma e dispostas no sentido radiado na abertura anal.

Hemorroida: O sexo anal não causa hemorroida, porem poderá determinar sangramento, inflamação com dor, desconforto e coceira se um relaxamento e lubrificação não forem feitos adequadamente.

      
- Incontinência anal: Felizmente é rara sendo mas frequente nas pacientes que se masturbaram com objetos inadequados como os perfuro-cortantes ou de grande diâmetro. Você deverá utilizar objetos de extremidade romba e de material macio. O problema é que vibradores, dildos ou brinquedos de grande diâmetro poderão esgarçar o músculo formador do esfíncter anal e determinar a incontinência que poderá ser a gases, secreções e fezes.



- Infecciosas:
O sexo anal  transmite mas doenças que o vaginal pela menor capacidade de abertura da rima ou orifício anal que determina o aparecimento de microlesões ou fissuras que representam portais de entrada para microrganismos.




Estética:


Estética anal:
Dr. Paulo Branco:
As razões ou motivos principais que trouxeram os pacientes a clinica para a depilação e o clareamento são o aspecto higiênico  adquirido e a melhor aparência estética das regiões perineal, intima e glútea. A idéia de fazer este centro foi a dificuldade referida pelos novos pacientes e os já cadastrados na clinica, de encontrar no mesmo espaço, profissionais que atuando de forma integrada tratem as afecções que comprometem a estética anal seja na sua integridade e anatomia peculiares, na cor ( clareamento ), presença de pelos ( Depilação a laser), pelinhas, plicomas ( hemorroida externa), verrugas, pólipos ( pequenas bolinhas ) que deveram receber tratamentos adequados que serão abaixo descritos para as lésbicas e publico GLBT.



Causas das alterações na estética anal que incomoda as mulheres:

Na pele:
- Dermatites: É a inflamação da pele perianal que muitas vezes se estende para o períneo,  glúteo e virilha. Quase sempre resultam de uma irritação crônica da pele. As pacientes referem uma coceira intensa associada a uma alteração na textura da pele ( grossa ), algumas vezes associada com fissuras e mudança na coloração da pele para avermelhada, rosada ou escurecida. As causas são varias e as mas frequentes são a dermatite de contato alérgica, as infecciosas e a higiene inadequada.


Entenda o prurido ou coceira anal:  
Organograma das causas.
1- Doenças anorretais:
 Fissura, fistula, proctite, prolapso retal, hemorroidas, pólipos e disfunção do musculo esfíncter anal com incontinência geralmente leve.

2- Infecciosas:
Candidíase ( Fungo), condiloma ( HPV), parasitas ( Oxiúros) e escabiose.

3- Dermatológicas:
Psoríase, seborreia, Dermatite de contato, liquem plano, liquem escleroso.

4- Causas locais:
Umidade em excesso
Má higiene ou incompleta
Uso de papel higiênico
Diabetes
Tumores
Fissura anal
Fístula anal
Infecções
Insuficiência do Fígado

Tratamento:
O tratamento geralmente será dirigido para a causa do prurido, e de um modo geral:
1-       Os meus pacientes recebem uma apostila com orientações para algumas mudanças alimentares, comportamentais e no estilo de vida. Eu sempre falo que as doenças anais começam por uma alimentação errada, como por exemplo uma baixa ingestão de fibras.
2- Pomadas adequadas quando se trata de um agente  infeccioso como a cândida por exemplo.

3- Cirurgia com laser:
      Para doenças como as verrugas do HPV, hemorroidas que prolapsam, fistulas e fissuras crônicas faço o tratamento com o laser.

Comentário: Dr. Paulo Branco
Para essas doenças proctologicas não adianta ficar passando pomadas como se fosse tratar um fungo,  porque são doenças de tratamento cirúrgico e os pacientes ficam profundamente agradecidos pelo retorna a uma boa qualidade de vida.

- Pelos:
Atualmente a vaidade feminina não se limita a um corte de cabelo do momento. Há preocupação com a remoção dos pelos inconvenientes nas várias  regiões do corpo como da virilha e região perianal. Temos feito a depilação das referidas regiões com o laser. 


- Escurecimento da pele perianal:
Observei na pratica clinica que o escurecimento da pele perianal e entre os glúteos incomoda muitas pacientes que procuram por uma solução, a melhor possível.

Causas:
Existem varias causas para o escurecimento da  pele na região perianal, como as dermatites alérgicas, ferimentos repetitivos consequentes a uma relação passiva sem um relaxamento e lubrificação adequados, uso de brinquedos  inadequados, praticantes do fist, assaduras e principalmente pela disposição da pele em preguinhas radiadas ou dobras na volta do ânus observadas também no escurecimento da pele nas axilas, virilhas e cotovelos.

Tratamento:
- Substancias de uso local:
- Ação: Existem varias substancias, fitoterápicas ou não, que atuam diminuindo a produção da melanina, que é um pigmento que da cor a pele. Essas substancias determinam uma irritação da pele que deverá ser imediatamente tratada com substancias de ação antiinflamatoria e hidratante local, muitas vezes medicadas juntamente com o clareador.
- Tempo de ação: É lento e os resultados costumam  aparecer com dois meses de uso diário do produto.
Alguns pacientes referiram melhora da pela escura com trinta dias e também da textura, espessura e firmeza da pele.
- Importante: Fator de proteção 30:
Como a pele ficará mas sensível a ação da luz, sempre use o fator de proteção 30 no dia a dia.

Contra-indicações:
Doenças proctologicas sintomáticas
Coceira
Irritação
Ferimentos
Arranhões

Protocolo a ser seguido para o tratamento do escurecimento da pele perianal:

1 - Higienização:
A pele é protegida por uma fina camada de gordura que atua como um isolante do meio externo, por isso a higienização ou limpeza deverá ser feita de forma delicada, passando um higienizador com as mãos com movimentos suaves e nunca use esponjas que poderá irritar a pele o que tornará o procedimento inviável;

2- Enxaguar;
3- Aplicação:
Aplicar a substancia na forma de creme dermatológico em concentração adequada para o seu tipo de pele e rigorosamente no horário e quantidade orientados pela equipe. A quantidade aplicada por vez deverá ser pequena e evite usar por períodos de tempo muito longo.
4-  Lavagem: Dia seguinte.   
5- Mascara protetora: Para alguns casos com o objetivo de deixar a pele macia e hidratada.


Estética anal: Causas proctologicas:

- Pelinhas: As pelinhas na volta da abertura anal, geralmente em numero de duas  é seguramente o que mas incomoda as mulheres. Essas pacientes referem uma irritação local da pele ( Dermatites) causada pelos resíduos fecais depositados nas dobrinhas cutânea ou
pelo atrito da pelinha com o papel higiênico. Essas pelinhas incomodam e constrangem as pacientes nos seus relacionamentos pelo aspecto estético que compromete a distribuição regular e uniforme das preguinhas perianais. É importante que as pacientes saibam que essa pele, diagnosticada como plicoma, quando associada a sintomas como dor e sangramento anal poderá indicar a presença de doenças proctologicas como a fissura anal crônica e hemorroida interna ou externa. Essa pelinha também poderá resultar de uma hemorroida externa que trombosou, isto é o sangue coagulou dentro do vaso hemorroidário, ficando aquela bolinha dura que determina a compressão e distensão da pele ocasionando a perda de elasticidade da mesma com
formação da pelinha mole diagnosticado como plicoma. A única forma de tratamento definitivo desta pelinha é a sua retirada cirúrgica que eu tenho feito com o laser e sob anestesia local com alta logo após o procedimento. É muito importante que se tenha a preocupação e o comprometimento com o melhor resultado estético possível obtido pelo procedimento cirúrgico.

- Hemorroidas: As hemorroidas que determinam  uma elevação ou roseta da pele na volta da abertura anal principalmente aos esforços são diagnosticadas como internas de terceiro e quarto graus e geralmente são em numero de três dispostas como um ponteiro de um relógio as 7, 11 e 3 horas. Produzem uma grande alteração na anatomia da abertura anal que fica muito comprometida pela perda das preguinhas características e presença de pele em excesso dispostas como uma cortina na frente da abertura anal. O tratamento das hemorroidas de terceiro grau eu faço pela ligadura elástica na qual eu coloco um pequeno elástico na hemorroida que seca e cai, e para as de quarto grau, que já tem a pele fixa fora da abertura anal, eu tenho em alguns casos combinado a ligadura com a retirada da pele e quando não é possível eu retiro o vaso e pele com o laser sob anestesia local e sedação.
- Verrugas: Algumas pacientes apresentam verrugas planas na pele da região perianal e glútea. Essas verrugas estão localizadas muitas vezes em regiões de atrito podendo determinar ferimento e sangramento local. Essas verrugas deverão ser tratadas pela retirada cirúrgica sob anestesia local.
-  HPV: A verruga causada pelo HPV é uma doença sexualmente transmissível que poderá alterar a estética anal que difere da forma plana acima descrita  pela presença de sintomas como a coceira e perda de secreção anal.  São geralmente esbranquiçadas e de superfície rugosa. Muitas pacientes referem terem feito sexo anal passivo de risco, sem camisinha com aparecimento posterior das verrugas. Para as praticantes do sexo anal passivo com varias verrugas perianais eu não indico pomada pelo risco do comprometimento da pele que em alguns casos pude comprovar ficou mas grossa ou mesmo com cicatriz. Eu prefiro tratar com o laser as lesões fora e dentro do reto.
- Cicatrizes: Cicatrizes resultantes de ferimentos, procedimentos cirúrgicos e do uso de medicamentos na forma de  pomadas para o tratamento do HPV, poderão  determinar o estreitamento e mesmo cicatrizes que acabam comprometendo a estética e algumas vezes a função anal.
- Pólipos: São tumores benignos, usualmente arredondados, macios, superfície lisa e que podem ou não ter um pedículo. São tumores benignos e geralmente estão presentes em outras partes do corpo como virilha e face interna das coxas.




Bioplastia e Botox Facial

Medico: Dr. Paulo Branco

www.medicinaintegrada.ned.br
Consulta com Monica: 011-986663281
- Definição:
A bioplastia tem como definição ser a plástica sem cortes nem cirurgia, que e realizada com o implante de biomateriais em planos anatômicos profundos, por técnica minimamente invasiva. Em linguagem simples e o implante de substancias compatíveis com o organismo com a finalidade de aumentar o volume de algumas áreas do rosto. Essas substancias não causam alergias e nem rejeição. São implantadas profundamente através de cânulas atraumaticas, isto e, de ponta arredondada que preserva a integridade de vasos e nervos.



- Harmonia Facial: Entenda e importante
Todos os pacientes que realizam a bioplastia na minha clinica tem uma explicação sobre a harmonia das partes que formam a face.

A face e formada de três camadas:
Pele: E a camada mais dinâmica, isto e sujeita a mudanças ate mesmo de um dia para o outro ao longo dos anos, sendo a área sobre a qual o medico tem mais influencia, podendo disfarçar as marcas do envelhecimento, como rugas, restaurar o brilho e a cor, e amenizar sinais de cansaço e de perda de elasticidade.
Fatores que influenciao no envelhecimento da pele: Sol, frio, poluição, estresse e o tabagismo.
Tecidos moles: As partes moles alteram-se lentamente com o passar do tempo. Ocorre uma flacidez dos músculos e ha um crescimento das partes moles do nariz, queixo e das orelhas.
Parte óssea ou esqueleto: Esta parte sofre poucas alterações com o tempo. E a parte óssea que determina o formato da cabeça e do rosto no adulto.
O tamanho, formato e o posicionamento do nariz, boca e queixo são determinados tanto pelos músculos e cartilagens quanto pelos ossos.
Rosto:
 Formas: Triangular, quadrado e losango.
Boca:
Fina: E aquela que tem lábios finos, portanto a altura da boca corresponde a menos que dois quintos de sua largura. Ambos os lábios poderão ser finos ou somente o lábio superior. Muitos homens têm bocas finas, sendo normal que os lábios se afinem com a idade tanto nos homens como nas mulheres. A boca fina pode dar um ar de severidade à pessoa.
Cupido: E geralmente pequena e tem lábios grossos. O lábio superior forma um bico muito pronunciado no alto e no centro.
Larga: Pode ter lábios normais, finos ou largos. O que muda e que os cantos da boca ficam num eixo próximo as pupilas do olho.
Pequena:
E menos larga que o padrão. Os lábios podem ser normais, finos ou largos, mas os cantos da boca estarão num eixo vertical entre a Iris e o canto interno da boca.
Queixo:
Pronunciado: Esta presente geralmente em pessoas com o rosto quadrado e esta associado à forca, persistência e a teimosia.
Retraído: Geralmente presente em rostos ovais, redondos, triangulares ou na forma de losango.
Pontudo: E um queixo bem definido, e visto de perfil forma uma ponta, mas não necessariamente pronunciada.
Redondo

Nariz:
Osso saltado: Visto de perfil, o nariz e reto, mas tem uma elevação no meio. Visto de frente, o osso às vezes também aparece nas laterais do nariz.
Caído: E aquele que apresenta a ponta caída. Visto de frente você percebera que a ponta esta abaixo do dorco.
Chato: A ponta esta mais próxima da face, o ângulo e maior que 60 graus e a largura comparada ao comprimento e menor.
Grande: O comprimento e maior do que a largura. Visto de frente ocupa uma área maior que um terço do rosto.
Entenda na pratica a harmonia entre as partes acima:
A harmonia devera ser considerada olhando o paciente de perfil, frente e de lado:
- No perfil:
 Se você olhar o paciente de perfil a harmonia devera ser feita entre a ponta do nariz, cupido ou V da boca e a projeção do queixo. Muitas vezes o paciente tem uma harmonia entre a ponta (elevada), cupido porem o queixo e muito pequeno. As características étnicas têm grande importância e deveram ser sempre consideradas para a obtenção dos bons resultados na bioplastia facial, como no nariz da raça negra por exemplo. Eu quase sempre mantenho as características raciais do nariz, pois alterá-la significa alterar a estrura do rosto que poderá ficar desarmônico com o restante da face do paciente.

- De frente:
Chama atenção a parte central do lábio superior ou cupido e não e atoa que você coloca aquele batom muitas vezes sedutor.  Os lábios têm uma harmonia com o queixo e o medico devera sempre ao fazer o preenchimento respeitar os limites laterais que deveram ser o mesmo entre as duas partes que se não acontecer poderá ser visível na visão frontal. A visão clara dos ângulos das mandíbulas de frente poderá ser uma característica criada pela bioplastia quando se olha de frente para um paciente que aprecia um rosto quadrado.
- De lado:
As mulheres, de uma maneira geral, são apreciadoras do efeito blush que e caracterizada pela maca do rosto de contornos precisos, retificação da mandíbula e uma depressão entre as duas.
- Lipodistrofia no HIV:
Durante o tratamento do HIV as substancias consomem a gordura facial, criando uma depressão abaixo das maçãs. Eu tenho preenchido, refazendo o rosto destes pacientes e recolocando os mesmos ao mundo social e com uma felicidade imensa dos pacientes e a minha também.

- Características do produto usado PMMA (polimetilmetacrilato):
Biocompativel
Não há migração do produto
Não apresenta reação alérgica
Não necessita ser testado antes
Modelado durante a aplicação
Permanece estável
Baixos índices de complicações
A quantidade do produto implantado depende do grau de correção desejado
Tratamento e ambulatorial
O produto e regulamentado

- Indicações:
Nariz: Retificação do dorco e elevação da ponta.
Sulco nasogeniano ou Bigode chinês: Preenchimento para melhorar a definição das asas do nariz.
Queixo: Formação ou preenchimento do mento para que o mesmo tenha uma harmonia com os lábios e mandíbula.
Lábios: Aumento e contornos
Mandíbula e malares: Acentuação dos ângulos e contornos
Cicatrizes deprimidas
Lipodistrofia facial no HIV

Contra-indicações:
Casos de doenças auto-imunes evolutiva
Infecção cutânea
Herpes ativo
Paciente em tratamento com imunossupressores

Associação: Bioplastia x Botox.
Primeiro o medico devera fazer o Botox e posteriormente a Bioplastia, isto e corrigir primeiro as rugas de expressão com o Botox e as que ficarem, são as fixas, que deveram ser preenchidas pela Bioplastia.



Técnica de aplicação do produto:
Tenho realizado o procedimento com cânulas apropriadas e produto autorizado pela ANVISA. E realizada uma limpeza e anti-sepsia da pele facial e a seguir o produto e injetado nos locais programados com fins estéticos. O paciente terá uma participação ativa durante o procedimento e será liberado no final. Nos locais aplicados costuma ter edema e o paciente será orientado a usar gelo e pomadas antiinflamatórias. O paciente retornara com sete dias.
Resultados:
Seu melhor resultado final e observado 30 dias após a aplicação que será o tempo necessário para a síntese de colágeno e para que células conhecidas como fibroblastos sejam estimulados a produzir elastina. A produção do colágeno local determinara uma expansão tecidual ou um lifting volumétrico  e a pele melhora com o passar do tempo.

Complicações:
Mais freqüentes: Hematoma e assimetria
Os hematomas são tratados com medicamentos administrados pela via oral e local e a assimetria com reinjecao do produto com bom resultado.

Comentário: Dr. Paulo Branco.
A Bioplastia e um procedimento estético de resultado imediato e como em nenhum outro procedimento estético exige uma participação ativa do paciente durante toda a sua execução, por isso Jamais devera ser feita com o paciente sedado ou sob qualquer outra forma de anestesia. O medico devera contar com a opinião do paciente em cada etapa da realização do procedimento.

















Dr. Paulo Branco reponde as perguntas mais frequentes feitas pelos internautas no ano de 2011.
          www.medicinaintegrada.med.br
        Blog da saúde Gay   

1- As DST são mas frequentemente transmitidas pelo sexo anal passivo?
Resposta: Na literatura medica as DST realmente tiveram uma maior incidência em homens que praticam sexo com outros homens e de uma forma geral em pessoas promiscuis, isto é, que não praticam o sexo seguro. Trabalhos comprovaram que as DST tiveram uma incidência maior em pessoas que praticaram sexo com mais de uma pessoa sem o uso de preservativos.
Do ponto de vista pratico é importante saber que a hepatite e o HIV são transmitidas pelo contato com sangue, enquanto o HPV é pelo contato com a pele. Na relação passiva poderá ocorrer as duas  formas de contagio. O sangue após a relação geralmente é proveniente de pequenas fissuras resultantes de um lado pela lubrificação inadequada e falta de relaxamento do esfíncter anal e pelo outro um pênis de diâmetro considerável usado por ativo apressadinho.

2- Higiene anal: quanto tempo devo fazer antes da relação?
Resposta: Muitos pacientes usam um volume muito grande de líquidos para a limpeza mecânica intestinal. Quero enfatizar que é importante  fazer a limpeza somente do canal anal ( 5cm) e reto ( 15cm) e para isso são necessários pequenos volumes de uma solução apropriada que deverá ser injetada no reto de forma delicada e com baixa pressão através de uma seringa e geralmente de 30’a 60’antes da relação. Grandes volumes de líquidos ficaram retidos no intestino grosso e você correrá o risco de elimina-lo no momento da relação. O pênis do brasileiro tem um comprimento que varia entre 17/21cm quase compatível com as regiões que deveram está sem fezes, que são o reto e canal anal.

3-Tenho o habito de me masturbar usando objetos, que cuidados devo ter e corro risco de ficar incontinente?
Resposta: Uma grande variedade de objetos é introduzida no reto na pratica do erotismo anal. Na minha experiência clinica os pacientes referiam vibradores na forma de pênis, lâmpadas, frutas, legumes, velas e muito frequentemente suporte de papel higiênico. Também tenho pacientes que frequentemente apresentam recidiva de fissuras decorrente da pratica da introdução da mão e punho fechado no reto. Outra variante sexual chamada de “esporte aquático “ inclui o uso de enemas com propósitos sexuais que na quase totalidade dos casos resultou em lesões retais. O primeiro cuidado que você deverá ter é com a escolha do objeto ou brinquedo, que sempre deverá ser constituído por um material flexível e ter a ponta romba. Brinquedos com extremidade pontuda ou perfuro cortante jamais deveram ser utilizados pelo grave risco de perfuração do reto ou intestinal. Os cuidados de higiene, lubrificação e relaxamento muscular são os mesmos aplicados  ao sexo passivo. Uma informação importante é que se você tiver dor, pare imediatamente a introdução do dildo e tente somente em outro dia e se a mesma persistir deverá ser examinado por um medico proctologista. Na minha experiência de consultório nunca diagnostiquei um caso de incontinência em pacientes que usaram os brinquedos adequados e de forma adequada.


4- Fui diagnosticado com  fissura anal crônica e a dor me impede de fazer o passivo, qual a melhor forma de tratamento?
Resposta: A fissura anal crônica difere da aguda pelo tempo de existência da  doença, acima de três meses e o tecido formador da fissura que é fibrosado, endurecido e infeccionado. A cirurgia é a forma definitiva de tratamento da fissura crônica  e consiste em retirar a fissura juntamente com  o tecido endurecido sobre qual as pomadas não tem ação e diminuir a pressão do musculo esfíncter anal que é a causa da doença. Tenho feito o procedimento com o laser, sob anestesia local com bom resultado.

5- Sexo anal prolongado ou feito com grande frequência  poderá ter consequências?
Resposta: Não há relação entre o tempo e frequência do sexo anal com possíveis complicações.  As consequências observadas com maior frequência  foram:
Dor: Geralmente pela proctite que é uma inflamação da mucosa anorretal que resulta geralmente da associação de uma má lubrificação do canal anal penetrado por   um pênis de maior diâmetro e sem um relaxamento adequado do musculo esfíncter anal.
Sangramento: Geralmente pelas fissuras e         hemorroidas internas. Se você tem hemorroidas faça a lubrificação ( lubrificante a base de água ) aplicando o mesmo na parte interna do canal anal.
Incontinência: Muito rara mas pude constatar em pacientes que faziam passivo diariamente durante anos, principalmente incontinência a gases.

Comentário: O Tempo de duração varia e será estipulado pelos parceiros. O prazer é quem define associado ao bom senso. Deverá ser imediatamente interrompido diante de intimidações, pressões  e dor. O final deverá ser espontâneo e determinada pelos parceiros para que não ocorram as complicações acima referidas.

6- Eu sentia dor e ardência para urinar e observei sangue no esperma apos uma relação, o que poderá ser?
Resposta: O sangramento poderá ocorrer nos pacientes que apresentam:
-     Prostatitis (inflamação da próstata): Geralmente está associada a dor perineal, durante e após a ejaculação e alguns pacientes referem a sensação de bexiga cheia e acordam a noite para urinar.
-      Uretrite infecciosa ou traumática. Referem os pacientes dor ao urinar.
-     O medico deverá solicitar exames específicos para detecção de bactérias, fungos, e outros microrganismos como clamídia, micoplasma e PPLO possíveis responsáveis pela infecção prostática ou uretral e tratar de acordo com o resultado do antibiograma.


7- Sexo anal passivo causa hemorroidas?
Resposta: Essa é uma pergunta muito frequente. O sexo anal passivo não causa hemorroida. Hemorroidas são varizes, vasos dilatados semelhante aos encontrados nas pernas e a sua causa é a mesma da  dilatação dos vasos em outras regiões do corpo humano. Se você foi diagnosticado com hemorroida e apresenta sangramento, primeiro trate as hemorroidas e depois faça o passivo. Eu constatei que muitos pacientes apresentavam uma congestão ou inflamação ( proctite ) das hemorroidas internas e referiam dor durante a relação passiva. Sempre que você sentir dor durante a relação anal passiva, pare porque algo não vai bem. Nestes pacientes eu prefiro fazer uma analise clinica e endoscópica cuidadosa para constatar se há ou não inflamação que se confirmada deverá ser tratada inicialmente para depois praticar o passivo.

8- A pratica do sexo anal causa mas infecção no ativo do que no  passivo?
Resposta: A pratica do sexo sem responsabilidade e respeito com o parceiro, como o não uso da camisinha parece ser o responsável pela maior incidência das infecções anal e peniana. A proctite ( inflamação do canal anal ) infecciosa e a uretrite ( inflamação da uretra ) infecciosa seguramente são as  afecções mas diagnosticadas nos consultórios dos proctologistas e urologistas, principalmente uma antiga conhecida dos médicos e pacientes que é a gonorreia  muito frequentemente diagnosticada e tratada com antibióticos e ainda observada, por incrível que pareça, em pacientes que não tem o habito de usar a camisinha. O ardor ao urinar associado a eliminação de secreção amarelada representa o principal sintoma da uretrite gonocócica e o tratamento com antibióticos modernos é eficaz. Este ardor associado a eliminação de secreção esbranquiçada é característico da uretrite por fungo mas especificamente pela Cândida.

9-Qual a diferença entre a fissura anal clássica e a consequente ao sexo anal?
Resposta: A fissura anal clássica é causada por um musculo anal muito contraído que impede a chegada do sangue com oxigênio até a fissura para que a mesma cicatrize enquanto a fissura decorrente do sexo anal resulta de uma lubrificação inadequada, um relaxamento inadequado do musculo formador do esfíncter anal interno ou uma desproporção entre a abertura anal e o diâmetro peniano. A fissura clássica geralmente é única enquanto a decorrente do passivo são múltiplas. Os pacientes tratados na minha clinica ganham um livro com todos os cuidados para prevenir esta complicação traumática da relação.

10-Tenho um excesso de pele sobre a cabeça do pênis e tenho tido inflamações repetidas na glande e dor  na ereção muito prolongada, o que poderá ser?
Resposta: Se você tem um excesso de pele cobrindo a glande ( cabeça do pênis ), essa é a causa da irritação da glande, conhecida em medicina como balanite. Esta pele impede muitas vezes uma higiene adequada da glande que associada a proliferação de microorganismos, como a cândida ( fungo) por exemplo,  determinam a inflamação e dor local. Casos como o seu eu prefiro retirar a pele com o laser sob anestesia local. A cirurgia com o laser resulta em um bom resultado estético e funcional que geralmente resolvem as inflamações e infecções de repetição.


11-  Tive HPV dentro do reto o que me tornou inseguro em fazer o passivo pela possibilidade de transmissão ao meu parceiro, como devo me conduzir?
Resposta: É importante que os pacientes entendam que o HPV é uma doença crônica, sem cura e que por isso o acompanhamento através de endoscopia do canal anal e reto tem importância fundamental na detecção da recidiva ou retorno da doença.  Se você tem este acompanhamento que não constatou as lesões e os exames são negativos, estará liberado para a realização do passivo com camisinha para as relações sem compromisso. Se a relação decolar ou nos casos de  relacionamentos fixos, seja honesto com o seu parceiro revelando a afecção diagnosticada. Este dialogo na maioria dos casos é delicado, exige muita compreensão e foco na felicidade do casal. Não poderá ocorrer a desconfiança mas sim a vontade de ajudar o parceiro na solução ou tratamento da virose.

12 – A região anal pode ser considerada erógena?
Resposta: Se pode dizer que o erotismo sexual anal representa uma realidade da vida moderna se constituindo na parte principal da relação homossexual masculina e secundaria na relação heterossexual. Todos os médicos  deveriam  esta conscientes do erotismo sexual anal e se  por razões de opinião pessoal não gostam de lidar com esta  situação encaminhe o paciente para outro medico. A região anal, a pele perianal e a área prostática são ricamente vascularizada e inervada de modo que quando manipuladas de forma delicada poderão representar uma importante área de excitabilidade para o ativo e passivo.


13- Quais as consequências do sexo anal forte  consentido?
Resposta: Poderá ter as seguintes consequências:
Ulcera ou fissura anal: Representa uma das consequências mas frequentes deste tipo de relação sendo caracterizada pelas lacerações na forma de ulceras ou fissuras radiadas que atinge geralmente a pele e mesmo a mucosa do canal anal. O sexo mas forte poderá ser prazeroso e não doloroso desde que as regras de uma boa lubrificação anal e peniana e o massageamento dos músculos esfincterianos seja feito de forma adequado.   Esses ferimentos costumam cicatrizar com o uso de pomadas cicatrizantes adequadas. Tenho atendido pacientes que esperaram a cicatrização espontânea destas lesões, conduta que eu não sou partidário pelo risco de infecção local e pela possibilidade que eu tenho de orientar estes pacientes inclusive com livro educativo. As ulceras decorrentes deste traumatismo apresentam características macroscópicas que um medico experiente poderá pelo toque falar da benignidade e se houver alguma duvida recomendo a biópsia imediatamente. Deveram ser feitos os testes para a gonorreia e a sífilis que poderão causar essas ulceras.


14- Tive um abscesso anal que foi drenado e agora estou com uma fistula que esta me impedindo de realizar o sexo anal passivo, tem uma forma de tratamento não cirúrgica?
Resposta: As fistulas anais são constituídas por dois orifícios e um trajeto. O primeiro orifício esta dentro  do reto e da origem, pelas fezes, a um abscesso que drena em um segundo orifício, localizado geralmente na pele perianal. Essas fistulas poderão fechar espontaneamente, porem algumas permanecem abertas e são extremamente dolorosas impedindo alguns pacientes de realizarem o sexo anal passivo. As fístulas abertas deverão ser retiradas pela cirurgia. Tenho retirado a fistula com o laser sob anestesia local. É uma cirurgia para ser realizada por medico especialista para que a retirada da fistula seja total e não parcial e o risco de incontinência decorrente desta cirurgia seja afastado. A maioria dos pacientes com fístula por mim operados poderam realizar o passivo em media de um a dois meses após a cirurgia.

15- Doutor faço uma boa higiene da região perianal, me apareceram varias pequenas bolhas ou pápulas avermelhadas que estou tratando com pomadas sem resultado, o que seria ?
Resposta: Essas bolhas são diagnosticadas em medicina como Molusco  contagioso e fazem parte das doenças eventualmente transmitidas pelo contágio sexual e que poderão esta presentes sobre a pele de qualquer parte do corpo em crianças, adultos e indivíduos imunocomprometidos como os pacientes com HIV. A transmissão sexual é a via mais importante de contagio da doença comprovada pela maior concentração das bolhas nas regiões genitais. O tratamento é cirúrgico e eu tenho realizado com o laser. O paciente deverá  no final de 4 a 6 semanas ser reavaliado. Na maioria dos casos que eu oporei com o laser sob anestesia local as bolinhas estavam situadas na bolça escrotal.

16- Tenho prolapso retal posso praticar o sexo
passivo?
Resposta: O prolapso como a própria palavra define é a saída de toda a parede do reto através da abertura anal consequente a uma frouxidão dos músculos responsáveis pela contenção e fechamento da fenda ou abertura anal. E mais frequente em mulheres, cerca de seis vezes, aumentando com a idade, atingindo sua maior frequência na sétima década de vida. Tem sido associado na sua etiologia ou causa ao intestino preso, diarreia, pólipos, doenças neurológicas como a esclerose múltipla e a tumores retais. Os sintomas mais frequentes para os casos não complicados são dor, incontinência fecal, umidade, sangramento, coceira, sensação de peso retal e perda de secreção e para os casos complicados pelo encarceramento da mucosa retal é a dor, espasmos e febre. O tratamento poderá ser não cirúrgica com bandas e regulação das fezes. O tratamento cirúrgico poderá ser feito pela via abdominal pela colocação de uma tela que fixa o reto ou pelo períneo. Tenho feito uma técnica pela via perineal que consiste no fechamento da abertura anal com uma tela alinhavada por um fio adequado sob anestesia local e sedação com bom resultado. Enquanto não tratar em definitivo o prolapso retal desaconselho a pratica do sexo passivo.

17- Tenho uma pele perianal que me incomoda profundamente, principalmente do ponto de vista estético na relação passiva, o uso de pomadas não resolve, como solucionar?
Resposta: A presença de pele ou pelinhas na região perianal, diagnosticada em medicina como plicoma, é a patologia que eu seguramente atendo e trato com mais frequência no meu consultório com o laser pelos bons resultados estéticos e funcionais.  Os pacientes queixam-se de dor, coceira e sangramento local. A referida pelezinha quando presente poderá indicar duas patologias:
-     Fissura anal crônica: É uma pequena feridinha anal que poderá desencadear na sua volta uma reação do organismo na forma de uma pequena pelinha conhecida e diagnosticada como Plicoma. Aqui a inspeção  medica local será dolorosa pela presença da ferida.
-     Trombose hemorroidária:
O sangue coagula dentro da hemorroida que é um vaso com sangue no seu interior. O detalhe é que este vaso está fora do anus, sendo recoberto por pele, esta por sofrer a compressão do coagulo hemorroidário perde a elasticidade e se torna uma pelinha flácida.

Tratamento:
A cirurgia é a única forma definitiva de tratamento do plicoma e deverá retirar o coagulo e o vaso doente.
   


Comentário:
Para os casos de fissura anal associada o cirurgião deverá retirar a fissura, plicoma e diminuir a pressão no musculo formador do esfíncter anal.

Na relação passiva:
Se você se senti incomodado, pela coceira consequente a irritação da pelinha pelas fezes que ficam retidas sobre a superfície desta dificultando a higiene local e dor pelo traumatismo na relação por uma lubrificação inadequada evite a relação e retire a pele.



      
18- Tenho tido um prurido ( coceira ) anal após a relação anal passiva, o que poderia ser?
Resposta: A coceira após a relação passiva poderá ser:
- Hemorroida: A hemorroida poderá drenar secreção que irritara a pele da região perianal.
- Dermatite ( inflamação da pele ) por cândida.
- Fistula perianal: É uma infecção de origem retal que drena secreções sobre a pele determinando  a coceira local.
- Fissura traumática: São pequenos ferimentos na volta da abertura anal, dispostos de forma radiada. 
19- Sexo anal passivo tem relação com o câncer anal?
Resposta: O  câncer anal é considerado um tumor de muito baixa frequência dentre os tumores do sistema digestório. Não tem nenhuma relação de causa com  o sexo anal passivo feito de forma segura. O câncer anal tem relação com o HPV, Condiloma ou verrugas anais. Em pacientes com diagnostico de câncer anal o hpv tem alta incidência.

20- Doutor tenho prostatite crônica a pratica do sexo ativo poderá piorar?
Resposta: A prostatite crônica caracteriza-se pela presença de pequenas calcificações ou cálculos no interior da glândula que  dificultam a drenagem das secreções através dos pequenos ductos prostáticos para fora da glândula, determinando uma congestão glandular e favorecendo pela estase das secreções o aparecimento de infecções por germes oportunistas. A ejaculação parece favorecer  a drenagem destas secreções com diminuição da congestão prostática, crescimento de bactérias com consequente melhora dos sintomas. Na pratica os pacientes referem melhora dos sintomas da prostatite crônica apos a ejaculação. Antigamente os médicos usavam a massagem prostática para favorecer esta drenagem.


21- Sou inseguro em relação a camisinha que já estourou duas vezes dentro de mim?
Resposta: Felizmente o uso da camizinha é obrigatório na relação casual e no inicio de uma relação duradoura por evitar as DST. Procure usar as camisinhas feitas de material resistente, de tamanho adequado e com uma boa lubrificação.  
22- Tenho uma relação estável há alguns anos e apareceram umas verrugas na região anal, será que eu contrair do meu parceiro?
 Resposta: Como eu atendo e trato  muitos casais gay a sua dúvida ocorre com muita frequência no meu consultório. O tempo de incubação deste vírus poderá ser longo para você e seu parceiro. Neste caso o ideal será examinar o casal. A honestidade das informações e um bom dialogo são de fundamental importância para  o resultado de qualquer forma de tratamento das verrugas. A melhor forma de conduzir esta situação é manter a calma, tratar as verrugas de preferência com o laser associado a medicamentos que melhorem a sua resistência ao vírus e continuar confiante na relação.


23- Tenho hérnia inguinal que já está na bolça escrotal e que piora com a relação ativa e passiva, não queria fazer a cirurgia?
Resposta: A hérnia inguinal como as demais hérnias, tem na cirurgia a sua forma de tratamento definitivo. Toda postura ou esforço que aumente a pressão na cavidade abdominal, como nos exercícios físicos e na relação, produzem um aumento da hérnia e dor. Eu tenho feito a cirurgia sob anestesia local e sedação com alta algumas horas após a cirurgia. A moderna cirurgia da hérnia requer a colocação de uma tela e a possibilidade de recidiva ou retorno da hérnia com esta técnica varia de 2% a 5%.

24- Tenho hemorroida há alguns anos, sou fisiculturista e quando faço qualquer esforço a mesma sai o que tem me incomodado bastante, qual a melhor forma de tratamento?
Resposta: A saída da hemorroida que em medicina se chama de prolapso, ocorre com uma frequência considerável em atletas que praticam esportes com peso. Esses atletas geralmente me procuram desesperados pelo sintoma referido acrescidos em alguns casos com dor e sangramento que mancham a cueca. Eu tenho retirado a hemorroida prolapsada sob anestesia local e laser.  


25- Fui operado de hemorroida há 01 ano atrás e atualmente não consigo ter vida sexual devido a uma fissura anal que me apareceu apos a cirurgia de hemorroida, como aconteceu e qual o tratamento?

-     Resposta: A fissura referida é chamada em medicina de residual e poderá resultar da:
-     Cirurgia para hemorroida: A cirurgia para hemorroida poderá determinar um estreitamento anal que dificultará a cicatrização com aparecimento da fissura. Ocorre que as fezes ao saírem determinam um esgarçamento local  que é a fissura anal residual.
-     Pressão aumentada do musculo formador do esfíncter     anal: Muitos pacientes com hemorroida apresentam hipertonia do esfíncter anal. Essa pressão aumentada poderá dificultar a passagem das fezes com consequente esgarçamento e aparecimento da fissura.
-     Comentário: Nos pacientes jovens que operam as hemorroidas os cirurgiões diminuem a pressão do esfíncter anal com diminuição da dor e menor incidência de fissura residual.


26- Doutor tenho cisto pilonidal e vejo na internet o resultado das cirurgias que deixam a ferida cirúrgica aberta,  fico horrorizado e com medo de realizar a cirurgia. Lendo seus artigos queria optar pela técnica fechada, quais as vantagens?
Resposta: Eu sempre me pergunto porque os cirurgiões em casos possíveis não fecham a ferida cirúrgica apos a retirada do cisto pilonidal. Se a ferida fica aberta o paciente enfrenta o tormento de três meses, em media, para ocorrer a cicatrização. Entenda por tormento a dor, o contato das secreções com a roupa produzindo certo odor e desconforto social e o estresse e ansiedade gerados pela morbidade da técnica cirúrgica aberta. Nos casos que apresentam uma grande infecção ou uma ferida cirúrgica extensa o cirurgião poderá não conseguir fechar com fios cirúrgicos apropriados a ferida e a conduta será deixar aberta. Eu procuro operar sempre fora da fase de infecção e todos os casos por mim operados foram fechados com fios e técnica adequadas para esta cirurgia.

Comentário: O uso de fios com agulhas adequadas para a chamada sutura subtotal de sustentação representou a grande estratégia técnica para a obtenção de melhores resultados da técnica fechada que eu sempre realizo.

27- Tive vários episódios de sangramento retal vermelho vivo , sendo que na maioria das vezes o sangue  veio junto com as fezes, que exame devo fazer?
Resposta: O tipo de sangramento digestivo referido pelo paciente geralmente já me orienta sobre a possível causa do sangramento. Quando o sangue é vermelho vivo e vem misturado com as fezes geralmente tem a sua origem no intestino grosso e eu peço uma Colonoscopia longa que é um exame endoscópico que estuda com detalhes toda a mucosa intestinal.

   28-  Foi diagnosticado um pólipo no reto, o meu pai teve um câncer de reto tenho risco de ter a mesma doença?
Resposta: A informação mais importante do câncer atualmente é a genética. Se você tem um caso paterno é melhor fazer a colonoscopia. Você fez certo porque a colonoscopia já diagnosticou e retirou o pólipo. Espere um ano e repita a colonoscopia.

29- Fui operado de fistula duas vezes e no momento continuo com drenagem de secreção  no mesmo local, será que voltou?
Resposta: A principal causa de retorno das fistulas perianais apos tratamento cirúrgico é a retirada incompleta da fistula. As fistulas são formadas por dois ou mais orifícios e trajetos. Estes trajetos geralmente tem uma relação anatômica de proximidade com os músculos formadores do esfíncter anal e o cirurgião por motivos técnicos não retira esta parte da fistula que permanece dando inicio a uma nova fistula com todos os sintomas já experimentados pelo paciente. Recentemente eu passei a usar um guia que não permite de nenhuma forma a realização de uma cirurgia incompleta das fistulas perianais.

Comentário sobre este guia: Dr. Paulo branco
Eu estava em um borracheiro quando deparei com o guia metálico acima referido. Imediatamente pensei que poderia utiliza-lo para o tratamento das fistulas e de uma outra doença que é o cisto pilonidal. Sempre falo que este instrumento tornou a cirurgia mas segura em relação a retirada total da fistula. Foi fantástico porque exterioriza toda a fistula tornando o procedimento cirúrgico simples de ser realizado.

30- A menos de um mês fui operado para retirar um grande trombo hemorroidário, ontem estava tomando banho e senti outro trombo em local diferente do primeiro, porque voltou?
Resposta: O trombo é um coagulo formado pelo sangue dentro do vaso hemorroidário. Existem outros vasos anorretais que poderão coagular novamente. Estes coágulos se formam dentro de um vaso que esta doente e não consegue mais vencer a pressão do musculo formador do esfíncter anal. Quando eu opero estes pacientes retiro o coagulo com o vaso doente e baixo a pressão do esfíncter anal para evitar que outros vasos coagulem.

31- Tenho fissura anal crônica, já realizei duas aplicações de Botox com o meu medico fora do Brasil, tive melhora dos sintomas porem continuo com a doença,  fico curada com  Botox?
Resposta: A causa da fissura anal é a pressão aumentada do musculo esfíncter anal.  A toxina botulínica bloqueia a acetilcolina que é um neurotransmissor que faz o estimulo passar do nervo para o musculo com consequente contração do mesmo. Na fissura anal crônica o tecido que forma a fissura já esta endurecido, infeccionado e geralmente ha um excesso de pele chamado de plicoma sentinela e uma papila anal aumentada dentro do reto. A toxina melhora o sintoma dor pelo relaxamento muscular que produz porem não tem nenhuma ação sobre a fissura anal crônica e seus constituintes, plicoma sentinela e papila hipertrófica. Portanto embora você não refira dor como sintoma ao toque a fissura continua. 

32- Olá Dr. Estou com um problema, ao fazer a limpeza com o papel higiênico, machuquei meu anus e em volta dele, agora toda vez que vou ao banheiro nem posso abrir as pernas, e as feridinhas não cicatrizam nunca, o que posso fazer? Obrigado.
Resposta: A associação do uso de um papel higiênico de má qualidade com a forca que se faz para a higiene anal representam a principal causa da dermatite e fissuras perianal. Microorganismos oportunistas como a cândida (fungo) que habitam a região podem infectar a pele e determinar uma vermelhidão com coceira intensa que é uma patologia muito frequente no meu consultório. O tratamento é fácil e consiste em evitar o uso do papel higiênico associado a pomadas especificas para este fim.

Comentário: Dr. Paulo Branco
A pele de todo o corpo é revestida por uma fina camada de gordura que a protege de agentes agressores do meio ambiente. Ao limpar a pele o faça de forma delicada para não retirar esta camada de gordura e expor a pele a agentes nocivos.

33- Estou com dor para evacuar, um pequeno sangramento, o que será?
Resposta: Na minha experiência as principais causas proctologicas de dor anal, fissura e proctite, estavam presentes em pacientes que ingerem pouca quantidade de fibras na alimentação e baixos volumes de líquidos durante o dia. A resultante são fezes endurecidas que machucam o anus e o canal anal determinando o aparecimento das doenças acima referidas. Além de ter que mudar os seus hábitos alimentares com uma dieta rica em fibras você terá de usar pomadas que tenham ação antiinflamatoria sobre o canal anal.

34- Olá Dr Paulo gostaria de tirar uma duvida, tenho na parte interna do anus uma pequena bexiguinha, bem molinha  que as vezes sai com qualquer tipo de esforço, estou preocupado o que será?
Resposta: Existe na parte interna do canal anal papilas
que poderão inflamar, aumentando o seu tamanho e podendo sair pela abertura anal. O diagnostico em medicina é de papilite e o tratamento usualmente é feito com pomadas adequadas associada a uma dieta rica em fibras com o objetivo de desinflamar a papila e melhorar o sintoma de dor e ardência local porque esta papilite geralmente está associada a uma inflamação do anus conhecida como proctite. Se não resolver a retirada cirúrgica esta indicada. É uma cirurgia geralmente simples feita sob anestesia  local que faço com o laser.
Comentário: Essa papila inflamada poderá ser o inicio da formação de um abscesso perianal porque as bactérias das fezes poderão penetrar no interior da papila, se multiplicarem no seu interior e formarem um abscesso que crescerá na direção das nadegas e geralmente necessitam de drenagem cirúrgica.

35- Doutor meu namorado tem herpes genital e ultimamente tem tido recidiva ( pequenas bolhas), corro risco de infecção pelo vírus?
Resposta: Se a pessoa teve contato com o vírus, passará a ser portadora, e não há cura. Das pessoa infectadas (cerca de 90% da população mundial ) formam anticorpos que destroem os vírus e não apresentam os sintomas da doença. Os 10% restantes não formam esses anticorpos e terão os sintomas e a recidiva da doença ( bolhas) de tempos em tempos. A única maneira de não ser infectado pelo vírus da herpes é não entrar em contato com as lesões visíveis ( pequenas bolhas agrupadas)existentes na pele de pessoas contaminadas, tanto no herpes labial( tipo 1)quanto no genital ( tipo 2).

Veja as formas de contaminação:
Herpes labial: Pode haver contaminação pelo beijo, copos e talheres e poderá atingir também as bochechas, nariz e olhos.
Herpes genital:
É mais transmitido pelo contato sexual e poderá acometer as nadegas e coxas.

Comentário: O vírus da herpes reside em gânglios profundos e quando você tem uma baixa de resistência por estresse, traumas, cansaço, Exposição ao sol, frio intenso, tensão emocional há uma queda na sua imunologia ou resistência o vírus sai do gânglio e vai até a superfície dando origem as bolhas, principal sintoma da doença mas que poderá também da dor, ardência, febre e desconforto local. Apos o contato com o vírus ocorrerá um período de incubação que dura de três a sete dias. Se a pessoa entrou em contato com o vírus, passará a ser portadora, e não há cura.


36- Tenho uma dor quase incapacitante em queimação na região anal, principalmente quando permaneço por muito tempo sentado, já realizei vários exames que deram normais, doutor me ajude no diagnostico?
Resposta: Pare de realizar tantos exames. A dor por você referida poderá ser por uma inflamação dos tendões dos músculos formadores do períneo, chamados de elevadores do ânus. Casos como o seu eu faço um toque nos tendões referidos e confirmo o diagnostico. Medicamentos, formulas específicas, associados a exercícios para relaxar os músculos perineais e alguns casos ansiolíticos trazem bons resultados no tratamento desta patologia tão ingrata para a qualidade de vida destes pacientes.

37- Tenho hpv perianal com displasia moderada tenho risco de não fazer mas o sexo passivo?
Resposta: É uma situação difícil de definir para as pessoas que sentem prazer em realizar o passivo. Diante da relação epidemiológica e causal bem documentada entre o HPV e o câncer de ânus e por ser a sua displasia moderada restringiria mais o numero de relações passivas e teria um bom acompanhamento medico.



38-  Doutor tenho a Síndrome do Intestino Irritável com predomínio da obstipação intestinal associada a uma dificuldade para evacuação que as vezes é extremamente dolorida chegando a ferir, qual a relação?
Resposta: Uma porcentagem importante dos pacientes com a referida síndrome apresentam a pressão  elevada do musculo esfíncter anal. Já tive pacientes com fissura anal, uma pequena feridinha que da dor e sangramento anal associada a referida síndrome. Um exame clinico associado ao toque comprovam a fissura anal e a hipertonia do esfíncter anal. Se eu tiver alguma duvida solicito um exame que me revelará a pressão dos músculos anais.
Comentário: Na minha experiência clinica os pacientes que eu tratei da Síndrome do Intestino Irritável referiram melhora na dor anal nas evacuações.


39-  Doutor existe o ponto G masculino na relação passiva?
Resposta: O ponto G anatomicamente bem definido nunca foi referido. Referem os homens que praticam o sexo passivo que a manipulação de determinadas regiões, como a perineal e prostática determina uma maior excitabilidade e prazer. As referidas regiões são ricamente inervada e vascularizada o que pode determinar o conceito de ponto G.

40- Doutor  usei pomadas dentro do reto para tratamento de hpv retal e no momento tenho dificuldade e dor  para evacuar, o que devo fazer para ter uma vida saudável?
Resposta: Eu sempre fui frontalmente contra o uso deste tipo de pomada dentro do reto que poderá determinar complicações desde o estreitamento anal leve, moderado ou severo até processos inflamatórios importantes que poderão comprometer a saúde de quem faz o passivo. As lesões dentro do reto deveram ser retiradas cirurgicamente com o auxilio de um endoscópio. O que aconteceu com você é que a pomada determinou um estreitamento do canal anal que dependendo do seu grau poderá ser tratado desde dilatação até a cirurgia. Os médicos precisam considerar  nas suas historias clinicas colidas para um diagnostico correto e um tratamento eficaz que estão diante de um paciente gay que realiza o  sexo passivo e deixarem de indicar o uso dessas pomadas que poderão determinar estreitamentos com consequências orgânicas e emocionais irreparáveis para o passivo.
          
         41- Doutor minha mãe teve 08 filhos e toda vez que fica de pé ou faz um pequeno esforço o seu reto sai o que foi diagnosticado pelos médicos como prolapso de reto. Li em um artigo seu sobre a cirurgia que poderá ser feita sob anestesia local com alta no mesmo dia, é possível fazer na minha mãe?
          Resposta: Essa cirurgia esta indicada para pacientes com risco cirúrgico muito alto devido a idade ou pela existência de doenças clinicas associadas como a hipertensão arterial, diabetes, cardíacas e outras que tem na cirurgia feita por uma incisão no abdômen uma morbidade e mortalidade proibitiva. A cirurgia é relativamente simples, feita sob anestesia local e sedação e consiste em colocar uma tela na volta da abertura anal e amarra-la até passar somente um dedo. Nos pacientes que se encontravam dentro dos critérios de indicação acima descritos para esta cirurgia os resultados foram satisfatórios , principalmente na qualidade de vida destes pacientes que apresentavam o prolapso somente ao tossir.


          42- Fui operado há dois anos atrás de fistula perianal e fiquei  com uma incontinência anal, já tratei com medicamentos, reeducação alimentar mas o sintoma persiste, queria a sua opinião sobre a cirurgia para a incontinência anal?
         Resposta:  A ultrassonografia e a ressonância magnética são os  exame que nos dão toda a anatomia dos músculos envolvidos na incontinência anal. Geralmente nos casos como o seu a incontinência resultou da lesão do musculo pelo cirurgião.  Ocorre que muitas fistulas passam através do musculo anal e para ser totalmente retirada o musculo necessita ser seccionado. Quando o cirurgião tem a consciência da secção muscular durante a cirurgia, poderá reparar os dois cabinhos do musculo seccionado com um fio apropriado que deverá ser retirado posteriormente. Se isso não ocorrer e a incontinência se manifestar posteriormente, primeiro se tentará o  tratamento conservador com uma dieta rica em fibras, associada a medicamentos que diminuam a produção das secreções e aumentem a pressão do esfíncter anal,  fisioterapia especifica para o aumento da contração do esfíncter anal e treinamento de coordenação, sensorial e de forca para corrigir essa incontinência. A cirurgia estará indicada se o tratamento clinico não resolver e a esfincteroplastia que consta na aproximação dos cabinhos musculares acima referidos é a técnica cirúrgica realizada mais frequentemente.

43- Doutor ha três meses atrás tratei de uma fistula perianal com a prótese em forma de cone, porem continuo com a drenagem de secreção e dor local, O senhor tem experiência com essa cola no tratamento das fistulas?
          Resposta: A minha experiência foi de retirar a cola e tratar a fistula com o laser. Os pacientes continuavam com as mesmas queixas e tinham de esperar um ano para decidir sobre o resultado do tratamento com a prótese.  A cirurgia é um procedimento que eu faço com laser sob anestesia local e o resultado se da com uma a duas semanas.

44-  Realizei uma cirurgia para retirada de uma fistula perianal. O trajeto fistuloso tinha um tamanho considerável e a ferida cirúrgica está demorando a cicatrizar o que tem sido muito penoso para mim,  como faço para acelerar esta cicatrização?
          Resposta: As feridas cirúrgicas são classificadas em limpas,  exemplo uma hérnia na virilha, potencialmente contaminadas, exemplo a retirada da vesícula biliar, contaminadas,  exemplo as cirurgias proctologicas e sujas, exemplo uma apendicite supurada. A cicatrização das cirurgias proctologicas  geralmente é mais difícil por dois motivos:
           - Primeiro: As fezes contaminam a cirurgia.
           - Segundo: Pela distensão mecânica que o bolo fecal exerce sobre a ferida cirúrgica, afastando as suas bordas e retardando o seu fechamento. Os cirurgiões de um modo geral investem muito pouco em termos de medicamentos de uso local como as  pomadas especificas para acelerar essa cicatrização. Eu tenho procurado usar medicamentos de uso local na forma de pomada com alto poder cicatrizante  associada a medicamentos por via oral. Os meus pacientes recebem um guia com orientações sobre os cuidados com a região anal desde nutricionais até comportamentais.


45- Doutor sou portador do vírus HIV e pratico o passivo com frequência, tenho maior risco de ter o Câncer anal?
            Resposta: O câncer anal historicamente era relativamente raro ( 1,5 a 2% de todos os tumores do sistema digestório ) que afetava pessoas de meia-idade a idade avançada, predominantemente mulheres. A epidemia de HIV e a sobrevivência prolongada devido a terapia antirretroviral altamente ativa resultaram em um aumento dramático da incidência de câncer anal entre pacientes HIV positivos, predominantemente homens que fazem sexo com outros homens e em pessoas mais jovens.

46- Meu amigo falou que tem a Síndrome do Intestino Gay, existe?
            Resposta: Antes da era do HIV, homens homossexuais apresentavam um conjunto de sintomas específicos anorretais e gastrointestinais como dor em cólica, gases, diarreia, náuseas, vômitos e infecções intestinais. A melhor compreensão destes sintomas desatualizou este termo que não existe na medicina atual. O conjunto destes sintomas geralmente faz o medico pensar em Síndrome do Intestino Irritável.

47- Moro em Eldorado, cidade próximo de São Paulo e fui diagnosticado com hpv queria tomar a vacina na sua clinica é possível?
Resposta: Entenda que a vacina não trata as verrugas e sim diminui a replicação dos vírus o que contribuirá para uma menor recidiva ou retorno das  verrugas. No meu protocolo de tratamento eu retiro as verrugas dentro e fora do reto com o laser e associo medicamentos por via oral para aumentar a sua resistência ao vírus.

48- Doutor quais são os fatores de risco para o câncer de     anus?
Imunossupressão: HIV e induzida por drogas
Fumo
Trauma e feridas anais crônicas
49- Fui diagnosticado com fistula anal por doença de CROHN, devo operar?
A demora na cicatrização das feridas cirúrgicas observada na doença de CROHN  é descrita na literatura medica ao longo dos anos e observada na pratica clinica diária.  Eu já operei alguns pacientes de fistula e outras doenças anais com a doença de CROHN. A cicatrização realmente foi mais demorada, não tive problemas e os pacientes tiveram uma boa evolução. 
Comentário: Tenho sempre o cuidado de retirar menos tecido possível e uso uma pomada de manipulação, idealizada por mim, que acelera a recuperação dos tecidos.

50- Tive duas crises de diverticulite e o meu medico indicou o tratamento cirúrgico, porem já faz um ano da ultima crise, devo operar?
Acho que você não deverá operar. A cirurgia estará indicada se você tiver a crise e não responder ao tratamento com antibióticos ou se houver um estreitamento na parte do intestino com os divertículos. Se você tem o estreitamento e esta na crise aguda da doença, se possível saia da crise com antibióticos para posteriormente realizar a retirada cirúrgica do estreitamento.


51- Doutor me masturbo frequentemente e tenho inflações repetidas na cabeça do pênis  que apresenta um excesso de pele, tem alguma relação?
Existe na glande duas pequenas glândulas produtoras de uma serosidade conhecida como esmegma que fermenta e putrefaz facilmente pelos microrganismos existentes principalmente na presença de fimose ou excesso de pele cobrindo a glande. Os pacientes referem uma irritação persistente que em alguns casos determina uma ereção e estimulo masturbatório que poderá representar a fixação de muitos rapazes no habito da masturbação.

Comentário: Pelo fato da fimose aumenta em três vezes a contaminação do esmegma e estímulos masturbatórios, eu sempre indico o tratamento cirúrgico da fimose ou excesso de pele com o laser sob anestesia local e observei melhora na higiene em todos os casos e discreta no habito da masturbação, principalmente nos adolescentes. Como realizo este procedimento alguns anos, pude comprovar uma melhora considerável da masturbação na fase adulta, principalmente nos pacientes com união estável.


            52- Realizei uma Colonoscopia que diagnosticou doença diverticular no colón sigmoide, quais as possíveis complicações e tenho risco de ter câncer?
           O divertículo é sempre uma afecção benigna do principio ao fim, portanto não há risco do desenvolvimento de tumor. As complicações são:
-     Inflamação ou diverticulite: Geralmente causada por um fecalito ou pedacinho de fezes que entra no divertículo causando a sua obstrução, inflamação e infecção, tendo na dor e febre  os sintomas principais. A diverticulite é observada com mais frequente nos pacientes com idade inferior a 50 aos.
-     Sangramento:  O sangramento é vermelho vivo geralmente em grande quantidade e para espontaneamente. O sangramento é mais frequente nos pacientes acima de 50 anos.

Comentário: Nos pacientes com idade abaixo de 50 anos os divertículos tem um ostio ou orifício de drenagem mais estreito, razão pela qual as fezes entram e tem dificuldade de sair determinando a inflamação e infecção enquanto nos pacientes acima de 50 anos o orifício do divertículo é mais larga o que favorece a irritação da mucosa do divertículo e sangramento.

53- Doutor fui diagnosticado com HPV ( Verrugas ) somente no freio da glande, o meu medico propôs retirar todo o excesso de pele o que eu não gostaria, é possível retirar somente o freio?
É possível sim retirar somente o freio do prepúcio e esta é uma situação que eu já presenciei algumas vezes no meu consultório. A indicação de retirar toda a pele se deve ao fato de que a permanência da mesma está relacionada a uma maior recidiva ou retorno da doença. Os pacientes não gostam de retira-la pelo resultado estético que não os agrada.
Comentário: Eu sempre deixo que o paciente decida sobre a conduta a ser tomada, desde que eu entenda que a mesma não seja prejudicial a saúde dele.

54- Doutor fui operado de hemorroida há 2 anos e tive um estreitamento anal que foi tratado com dieta rica em fibras e dilatação. Quatro semanas atrás  fui submetida a drenagem de dois abscessos perianais e realizei uma ressonância magnética que indicou duas fistulas. A minha qualidade de vida esta ruim, principalmente a sexual e gostaria de saber qual a sua opinião e conduta no meu caso?
Resposta: A cirurgia para hemorroida causou um estreitamento anal e uma fissura chamada residual que evoluiu para um abscesso anal que posteriormente drenou se transformando em uma fistula. O tratamento definitivo é a retirada das fistulas que eu faço com o laser sob anestesia local e sedação.

55- Queria parabenizalo  pelo trabalho esclarecedor, principalmente com o publico GLBT. Tenho muitas pequenas verruguinhas ou bolinhas na glande, que me incomodam esteticamente, gostaria de saber se posso tira-las?
Resposta: Essas bolinhas infelizmente não podem ser retiradas por desempenhar uma função importante na lubrificação  da glande.



56- Dr. Eu fiz um tratamento por cause da Fissura, no inicio sentia muita dor, foi quando descobri. Só que com medicamentos a dor sumiu, mas passando Pomada de manipulacao  3x ao dia não cicatrizou somente a dor sumiu. Passei por um tempo essa pomada e nada adiantou. Hoje não passo mais nada e já tem um pouco mais de 1 ano. Não sei mas o que fazer ja fui no médico ele disse que a Fissura esta em processo de cicatrização, mas não cicatriza, me indicou a cirurgia. Mas a cirurgia eu não faço não tenho coragem por medo, pois ele disse que uma porcentagem de pacientes que opera pode ocorrer uns desconforto após. Então prefiro não fazer. Mas tb não quero ficar o resto da vida com essa Fissura. Até pq depois que tive comecei a ter sério problemas de saúde, prisão de ventre, muita flatulencia dor abdominal. O meu médico disse que não tem haver com a fissura. Mas só apareceu esses sintomas depois que tive. È estranho. A minha fissura esta pequena, as vezes ocorre sangramento não nas fezes, mas no papel higienico.. Não tenho nenhuma dor. Tenho uma alimentação rica em fibras. Tenho 25 anos. Gostaria de saber
se o Sr. tem alguma outra pomada que eu possa    estar manipulando ou outro método que possa estar indicando. Seria possível?
Resposta: Muitos pacientes com fissura anal melhoram da dor com medicamentos de manipulação especificos para o tratamento da fissure anal. Estes pacientes quando eu examino referem geralmente dor intense ao toque rectal. Na minha experiencia pacientes jovens com fissura anal eu dou preferencia ao tratamento cirurgico com o laser que representa a forma mais definitiva de tratamento.  Muitos pacientes tem medo de evacuar pela dor que terá na fisssura e acabam acumulando gases e fezes.

57- Bom dia, Dr. Paulo Estou com uma dúvida terrível. Sou homem, homossexual e tenho 27 anos. Há alguns dias apareceram umas bolinhas da cor da própria pele, bem pequenas, com aspecto semelhantes aos de espinhas - só que, entretanto, parecem umas 'pelinhas' que saltam bem em volta do ânus. Deve ter umas 8 ou 10. De uns dias pra cá, tenho a impressão de que ficaram um pouquinho maiores, mas não sei ao certo. Faz uns 10-15 (no máximo) dias que eu reparei a existência delas. Fiquei preocupado pois comentei com um amigo e ele me disse que pode ser alguma DST, como HPV. Não fui ainda ao médico pois tenho vergonha. Como é feito esse exame? O sr. saberia me dizer o que pode ser isso que tenho. Obs.: eu costumo sempre assumir o papel de ativo nas relações sexuais: só fui passivo uma única vez na vida, há uns 7 meses, e depois nunca mais. Me disseram que, se for HPV, tem uma pomada que funciona. Muito obrigado, Rodrigo - São Paulo/SP
Resposta: Rodrigo evite o uso de pomadas que podem ter resultados esteticos desastrosos. As bolinhas poderam ser:
- Molusco contagioso: Virus
- HPV


 58- Olá Dr. Paulo. Apesento ha algum tempo uma fissura anal, aproximadamente 2 meses. Estava indo à um medico que não me indicou nenhum tratamento para a fissura, pois com ele eu tratava de lesoes internas no anus causadas por HPV, lesões que não foram completamente cauterizadas e terei que realizar o procedimento novamente em breve. Fui em um medico que me indicou Proctyl, Alginac e Proflox. O antibiotico ele prescreveu por eu apresentar uma secreção no anus, segundo ele pus. Porem essa secreção não parou e ja faz 9 dias que estou tomando o antibiotico. Sera que o antibiotico não será suficiente para combater essa infecção? E caso essa fissura não cicatrizar por ja estar muito cronica, a cirurgia deixa sequelas que vao dificultar ou impossibilitar a relação anal? Sou homossexual passivo. Obrigado
Resposta: Voce refere uma fissura cronica infectada que é uma doenca de tratamento cirurgico. Geralmente a cirurgia melhora a sua vida sexual por retirar o tecido infectado e diminuir a pressao do canal anal.

59- Parabens pela attitude de escrever para o publico G. Doutor tenho o diagnostico de hidrocele a qual no momento  tem me dado uma vergonha na hora da relacao pela aparencia estetica. Tenho medo de fazer a cirurgia, existe outra solucao como a puncao do liquido por exemplo?
            Resposta: Obrigado pelo seu e-mail. Nunca realize a puncao da hidroce, por nao resolver e pelo risco de infeccao. A hidrocele resulta de uma inflamacao na parte interna da membrane de revestimento da bolca scrotal. Esta membrane inflamada produz um liquido que fica aprisionado na bolca scrotal diagnosticado como hidrocele. É uma afeccao de tratamento cirurgico que consiste na retirada desta membrane e evercao da mesma. A cirurgia determinara a cura da Hidrocele.




60- Doutor tenho dor no freio quando pratico a relação ativa, é possível retirar somente o freio?
Muitos pacientes me pedem para retirar somente o freio e manter a pele porque não gostam da estética peniana sem o freio, principalmente os gay’s ativos e heterossexuais.  É possível e você terá que fazer a higiene da glande ( cabeça do pênis ) regularmente para evitar a balanite ( inflamação da glande). Tenho feito esta cirurgia com o laser sob anestesia local com bom resultado estético.

70- O que devo fazer quando romper a camisinha dentro do parceiro?

Vice deverá manter a calma e parar imediatamente a relação e retirar o pênis. Não tenha nenhuma atitude intempestiva para retirar a camisinha ou restos dela com o primeiro instrumento que aparecer na sua frente, que poderá ser inadequado e ferir o seu paciente. A evacuação espontânea ou o uso de laxantes adequados que lubrifiquem as paredes do canal anal e reto, fazendo com que a camisinha deslize a sai naturalmente com a evacuação.
Comentário:
Antes de comprar a camisinha verifique se:
Na embalagem aparece a marca de certificação INMETRO
Se esta violada, furada
Não apresenta sinais de umidade
Se esta no prazo de validade

71- Doutor gosto muito de praticar o erotismo anal sem a penetração, corro risco de adquirir uma DST?
Nas práticas ( Anilingue, masturbação, massagens) sem penetração o contato com secreções poderão ser vias de contaminação de DST o que torna o uso do preservativo obrigatório. Nas brincadeiras eróticas lembrar que algumas doenças são transmitidas pelo contato com a pele e que a presença das verrugas ( HPV ), pequenas e numerosas bolhas avermelhadas ( Molusco contagioso ) ou bolhas agrupadas incolor ( Herpes ) representam a fase de transmissibilidade dessas afecções e você as notar evite o contato.

Comentário: Muitos pacientes me procuraram no consultório referindo DST sem ter havido penetração. Alguns casos em frequentadores de casas de swing onde esta pratica de erotismo rola souto. Não tenho nada contra porem coloque a camisinha diante de parceiro ou parceiros desconhecidos se você for ativo ou passivo principalmente.


72- Tenho muita vontade da iniciação anal, porem o tabu me incomoda bastante?
A Pratica do sexo anal ainda é cercada por muitos tabus, pois para muitas pessoas é visto como algo animal, perigoso, pecaminoso e errado. Estes são alguns dos preconceitos que distorcem esta alternativa de prazer. Esta pratica pode ser vivenciada como uma possibilidade enorme de prazer sexual por casais homossexuais ou como uma possibilidade a mais de satisfação física e emocional para casais heterossexuais.

73- Tenho um namorado e tínhamos uma vida sexual normal e atualmente  ele só pensa em fazer o ativo, pode ser uma doença sexual?
A expressão doença sexual deverá ser evitada.  A procura de formas diferentes de prazer por variações de posições sexuais, inclusive pelo sexo anal, é considerada normal. Entretanto, se a procura for somente pelo sexo anal e isso tiver gerando alguma ansiedade, pode ser considerada uma parafilia, isto é uma fixação em um só tipo de excitação sexual, e um terapeuta sexual deverá ser consultado.
Comentário: Só pensar em uma forma de sexo não é doença, sugiro fantasiar também com outras variações sexuais.

74- Porque é mais fácil adquirir HIV pela relação anal?
É mais fácil de contrair e não se esqueça de transmitir a doença. Ocorre que durante a relação anal ativa e passiva poderão ocorrer micro lesões no pênis, anus e canal anal que representam portais de abertura para a penetração  do vírus do HIV. Tem também a alta capacidade de absorção na mucosa intestinal que é muito maior que a da mucosa vaginal por exemplo.  E não esquecer que outras formas de prazer anal sem barreiras de segurança podem também aumentar os riscos de contaminação pelo vírus.
Comentário: São de risco o contato oral-anal, a penetração manual, ou o compartilhar de acessórios sexuais nos quais você deverá colocar o preservativo.

75- Coloquei a camisinha na hora de ejaculação, e seguro em relação as DST?
É inseguro e errado e em nada protege contra as DST. O preservativo deverá ser usado durante toda a relação. O contato com secreções já será suficiente para uma contaminação.

76- Doutor faço o passivo porem não gosto muito da lubrificação e normalmente sinto dor apos a relação, o que fazer?

A própria anatomia anorretal já é complexa para a relação passiva. Apresenta músculos que ao menor toque já se fecham e que se não forem  bem relaxados poderão determinar a dor. A direção com que o canal anal se continua com o reto forma um angulo obliquo e não é uma reta, o que poderá determinar traumatismos se não houver uma boa lubrificação da abertura e canal anal e da glande ( cabeça do pênis). Para que a penetração ocorra sem traumatismos para a mucosa retal será necessária uma lubrificação com um gel a base de agua comercializado nas farmácias e que devera ser colocado nas regiões envolvidas
Evite o uso de:
                    Cremes hidratantes: Poderão ser absorvidos pela pele e não desempenhar o seu papel e ocasionando a perfuração da camisinha.
                     Cremes e óleos vegetais ou minerais: Aqui esta a vaselina, creme de barbear que determinam o aquecimento do látex  da camisinha, provocando o seu rompimento. Estes podem dilatar os poros do látex da camisinha permitindo a passagem do HIV para a mucosa retal.
                     Lubrificantes oleosos: Por alterar a estrutura da camisinha poderá determinar a sua perfuração.
                     Saliva: Poderá ser utilizada, porem geralmente é insuficiente.

                    77- A masturbação anal faz mal?
                            Se feita com brinquedos adequados, os mais usados são o consolo e o plug associado com um bom relaxamento dos músculos anais não faz mal.

                    78- A abertura anal que se observa durante a relação poderá se tornar permanente:
                       Os músculos envolvidos na abertura e fechamento da rima ou abertura anal geralmente se mostram íntegros apos a relação para determinar um fechamento competente da abertura anal.
                      
                      79- Só de olhar o medico ou outra pessoa poderá perceber se a pessoa faz sexo anal passivo?
                       Não acontece  porque a abertura anal ficara fechada e com a sua anatomia normal.
                       Comentário: Muitas pessoas me fazem esta pergunta por acharem que o anus fica aberto. Se ficasse aberto como você pensa, a incontinência teria uma incidência considerável. Por favor não tenha esta preocupação que se torna muito estressante principalmente para o seu emocional.


                    80- Por que se gosta tanto de sexo anal?
                     O brasileiro valoriza muito esta parte do corpo: A nadega de uma forma geral e os glúteos pelos gay’s que se tornaram na mídia uma preferencia nacional. A exposição dos bumbuns de homens e mulheres na mídia e principalmente na mídia erótica tem unanimidade nas bancas de revistas de todo o pais. Associado a forma da nadega existe o aspecto do anus que por ser mas apertado poderá proporcionar uma sensação mais prazerosa.

                    81- O que acontece com o semem ejaculado dentro do reto?
                      Ocorre a destruição do semem que será eliminado na próxima evacuação. O sêmen não faz mal, salvo se o ativo tiver alguma DST.
                      Se  tiver o HIV a mucosa retal absorve o esperma e junto poderá ser contaminado pelo vírus.

                     82- Costumo usar o vibrador com grande frequência, posso ter a minha sensibilidade anal alterada?
                      Se usado de forma adequada e com boa lubrificação não trará nenhuma consequência para a sensibilidade e continência anal.

                     83- Qual a melhor forma de alargar o anus sem sentir dor?
                       Não há uma forma ou técnica com padrão definido. Geralmente a dilatação é realizada com dildos ou brinquedos não metálicos, rombos, nunca pontudos e de calibre progressivo. Não tenha pressa e ao sentir dor pare e tente outra hora.
                     Comentário: Lembre de que a dilatação esta sendo feito por você e que ao realizar o passivo procure também no inicio comandar a penetração porque a maioria das complicações da relação passiva é determinada pelo ativo apressadinho.

                      84- Porque dói tanto?
                       Na volta do anus existe um grupo de músculos muito fortes que são responsáveis pela continência e sustentação do períneo. Estes músculos potentes apresentam pouca elasticidade e por serem ricamente inervados ao serem pressionados durante a penetração determinam a dor, fazendo com que muitos desistem da relação passiva ou as pratiquem somente algumas vezes para satisfazerem os seus parceiros.
                   Comentário: Agora você pode entender e valorizar o massageamento dos músculos perianais, por 60 seg. antes da penetração.

                      85- Posso ter a gonorreia se o parceiro ejacular nas coxas ou períneo?
                       Poderá por ser o ejaculado liquido e escorrer para a região anal, assim como a manipulação com os dedos poderá também determinar a contaminação pelo gonococos.


                86- o vírus da AIDS poderá ficar na uretra peniana?
                     Poderá ficar junto com as secreções de modo que qualquer secreção      que sai do pênis, mesmo antes da ejaculação, somente com a  excitação poderá ter o vírus HIV.
                   Comentário: Moral da historia, sempre use a camisinha.

                  87- Sou ciclista e fui operado duas vezes de trombose hemorroidária, estou inseguro pela possibilidade de voltar?
                    A trombose é o sangue da hemorroida que coagulou dentro do vaso. O trombo poderá esta associado a uma pressão aumentada do esfíncter anal e a cirurgia completa irá retirar o trombo, o vaso doente e diminuir a pressão do esfíncter e se assim não for feita a cirurgia a possibilidade de retrombosar é maior. Procure ter uma alimentação com fibras associada a ingestão de agua para que as fezes sejam macias o que dificultará a formação de um novo trombo.

                  88- Identificar o tipo de HPV anal é importante?
                     E importante porem no homem não é realizado de rotina como nas mulheres, talvez por não interferir nas formas de tratamento e pela baixa incidência de câncer de anus.

                   89-  Como faço a higiene apos a relação anal?
                    A higiene anal logo apos a relação poderá ser realizada com agua e sabonete e será de grande importância para evitar infecções. Geralmente o sexo anal poderá causar escoriações, muitas vezes imperceptíveis que podem representar sítios ou portais de entrada para microrganismos fecais como bactérias e vírus.

90- Eu sou homossexual e acho que exagerei um pouco no       sexo, meu anus esta ferido e vermelho, no comeco quando isso apareceu doia muito, a ponto de eu chorar de tanta dor, mais com o decorrer do tempo passou mais ainda continua ferido, acho que é fissura anal, mais nao sei se cronica ou aguda, me ajuda?
As fissuras que aparecem após a relacao geralmente sao decorrentes de traumatismos da pele e canal anal e sao classifificadas como agudas. Se voce permanece com a ferida que piora tambem com as evacuacoes seria melhor estudar a pressao do musculo formador do esfincter anal que poderá esta com a pressao elevada o que determiará a fissure anal. Um simples exame fisico local ja difere a forma aguda da cronica da fissure anal.

91-Na quarta feira passada (08-02-2012) passei por uma cirurgia para extração de uma verruga anal (hpv), a extração foi feita por corte e cauterização, meu medico disse que seria um pouco dolorido e que poderia sangrar nas evacuações, bom acho que ele estava sendo modesto, pois na primeira evacuação quase desmaiei de dor e saio muito sangue, mas mesmo assim ele não me receitou nenhum medicamento para um pós operatório, disse apenas que eu teria que tomar Tylenol para aliviar a dor e caso fosse necessário tomar Tramadol, confesso que nos dois primeiros dias eu apenas tomei Tramadol pois as dores estavam insuportáveis mas me dava muita tontura, com alguma insistência eu consegui falar com ele e que me receito passar uma pomada Lidial (a base de Xilocaína), melhoro muito as dores, mas mesmo assim ainda não me receitou nenhum medicamento especifico ou que ajudasse na recuperação. Confesso que quase chorei quando li no seu post que o tempo de recuperação em uma cirurgia de cauterização seria entre 60 a 90 dias, me imagino passando por essas dores diariamente, são muito dolorosas.
               Lendo seu post percebi que tem outras maneiras para extração dessas
               verrugas e aparentemente menos dolorosas também.
               Em quanto tempo eu devo fica sangrando e sentindo dores na evacuação? 
             Existe hoje no brasil algum medicamento eficaz ou vacina que após uma         cirurgia dessa eu possa prevenir novos sintomas ?, isso sem comentar que claro o uso essencial de camisinha. Novamente parabéns pela explicação no site, eu pesquisei muito na internet e vi que esse assunto e muito menos abrangido para homens do que para mulheres.
             
             Resposta: A literature sobre  sexualidade e erotismo é vasta para os heterossexuais e limitada para os homossexuais. A cirurgia proctologica usualmente é dolorida e tem uma relacao direta com o numero de verrugas retiradas. A vacina poderá ser indicada para diminuir a replicacao viral e não para tratamento das verrugas. Pomadas com alto poder cicatrizante poderão ser utizadas o que faz uma grande diferenca.

               

                92- Boa tarde. Antes de engravidar acho q já tinha hemorroidas  mas depois que ganhei meu filho piorou muito as dores e aquelas bolinhas que saem começaram a doer muito. Mas depois de meses parei de sentir dores e aquels bolinhas so ficaram murchas. Há uma semana atrás fiz sexo anal com meu marido e sentir muitas dores, e não demos continuidade, quando fui ao banheiro sentir uma dor muito intensa. Tem exatamente uma semana, e estou relutando para ir ao banheiro porque a dor esta intensa, não estou conseguindo nem sentar direito, para dormir também é desconfortavel, a dor não para hora nenhuma. Por favor doutor peço sua ajuda, porque não tenho plano de saude e os postos perto de minha casa todos só tem ginecologista e pela minha pesquisa os medicos que cuidam dessa doença são proctologistas, e não tenho condições de pagar uma consulta. Queria saber se tem algo caseiro que eu possa fazer, vi que posso introduzir sumo de limão, é verdade? Porfavor me ajude.
            Resposta: Geralmente a dor referida por voce poderá ser uma inflamacao na parte interna do canal anal diagnosticada em medicina como proctite. Use pomadas antiinflamatorias com aplicador dentro do canal anal que obterá melhora. Evite o uso de papel higienico e sim lencinho umedecido neutron.
          

            93- Gostaria de saber, depois de ter feito sexo anal, apareceu no meu anus      uma bolha, esta ardendo um pouco, isso pode ser fistula, e bem no anus mesmo,o que devo fazer.obrigada.
            Resposta: As fistulas  apresentam um orificio externo atraves do qual  drena uma secrecao amarelada. A fistula ao exame clinico é extremamente dolorosa ao toque. A bolha por voce refrida poderá ser uma hemorroida externa.

            
            94- Boa noite DR. Paulo
             Gostaria de perguntar-lhe sobre meu caso. Ha uns meses descobri o
              nascimento de verruginhas ( 2 ) na parte externa do meu anus
              juntamente com uma fissura. Com os meses elas cresceram mas de repente
              perderam a densidade, ficaram bem pequenas mas continuam lá. Sei que
              tenho que consultar um proctologista para remover, mas sinto
              também algo meio que muito parecido com crises de hemorroida, uma leve
              dor e incomodo interno e aquela vontade de evacuar que não passa,
              está tudo interligado?
              Por favor me elucide
              Obrigado
Resposta: Geralmente as verruguinhas quando sao HPV, crescem o que torna necessario a sua retirada. A dor referida na parte interna do canal anal poderá ser uma proctite ou mesmo hemorroidas internas de primeiro grau que poderá ser diagnosticada por uma endoscopia do canal anal e reto.


           95- DR PAULO TUDO BEM?
A MAIS OU MENOS 2 SEMANAS APARECERAM UMAS VERRUGAS NO MEU      ANUS, EXTERNAS E PARECE QUE INTERNAS TAMBÉM
           FUI EM 2 PROCTOLOGISTAS QUE ME FALARAM EM CIRURGIA PARA     RETIRADA DAS VERRUGAS POIS EU ESTOU COM HPV SEGUNDO ELES
O SEGUNDO MÉDICO QUE EU FUI ME ATENDEU NA QUINTA FEIRA E JÁ    QUERIA MARCAR UMA CIRURGIA PARA SEMANA QUE VEM
ELE DISSE QUE EU TERIA QUE FICAR INTERNADO NO HOSPITAL ATÉ O DIA SEGUINTE APÓS A CIRURGIA
           É ESSE PROCEDIMENTO MESMO?
           NÃO SENTI MUITA CONFIANÇA NELE
           PRECISO REALMENTE FICAR NO HOSPITAL?
SOU HOMOSSEXUAL E TIVE UM RELACIONAMEMTO DE 8 ANOS COM UMA PESSOA  NESSES 8 ANOS SÓ FIZ SEXO COM ELE E AS VEZES SEM CAMISINHA
DEPOIS QUE EU SOUBE QUE ELE TINHA HERPES ZOSTER SÓ FIZ COM    CAMISINHA DOUTOR O PÓS CIRURGICO DO HPV NO ANUS É MUITO    DOLORIDO?
QUANTO TEMPO DEPOIS DE FAZER A CIRURGIA PODEREI FAZER SEXO  ANAL?
           PARA MINHA FAMILIA FALEI QUE ESTOU COM HEMORRÓIDA
           NÃO TENHO CORAGEM DE FALAR QUE ESTOU COM HPV
           ISSO ME DEIXOU TÃO DEPRIMIDO
           AGRADEÇO SUA ATENÇÃO
Resposta: A sua relacao com o seu medico deverá ser clara, honesta e etica porque se nao acontecer sera melhor trocar de medico. A falta de um dialogo amigo  representa a grande dificuldade dos gay’s principalmente no erotismo anal passive. A cirurgia anal para o tratamento do HPV na maioria dos casos eu faco sob anesthesia local e no maximo sedacao, porem tem medicos que preferem fazer com bloqueio, raquianestesia e neste caso voce podrá ter alta no dia seguinte. A relacao passive dependerá da cicatrizacao cirurgica e da avaliacao e liberacao pelo seu medico.





96- Prezado Dr. Paulo tenho uma dúvida, fazem alguns meses que percebi uns         carocinhos no anus, pensei ser hemorróida, procurei um proctologista e fiz uma retossigmoidoscopia, ele me disse que era HPV, e estou fazendo o tratamento de Ligadura Elástica. Esse tipo de tratamento cura as verrugas causadas pelo HPV ou só é indicado para hemorróidas? E é verdade que o HPV não tem cura? Corro o risco de me contaminar em outras partes do corpo? Que cuidados devo tomar?
          Desde já agradeço a sua atenção e aguardo seu retorno.
         
          Resposta: A ligadura elastica representa uma forma de tratamento das     hemorroidas internas que ja tenham sangrado e nao para tratamento do HPV. O HPV nao tem cura, uma vez que entrou em contato com o virus se tornará portador. A contaminacao poderá ocorrer em outras partes do corpo e a medida preventive como o uso regular da camisinha representa  o principal cuidado que voce terá de ter.
        


          97- Dr., desde já agradeço sua ajuda. Há alguns anos tive uma crise de            hemorroidas muito intensa, inchou muito e muito dolorido. Fiz tratamento com pomadas e sarou, só que no lugar ficou uma pele solta que me incomoda muito, principalmente no nível estético pois sou homossexual e pratico o sexo anal passivo. Gostaria de saber se a cirurgia reparadora para este mal existe e se o pós operatório é muito delicado. Gostaria de saber se o sexo anal contribui para o aparecimento de novas lesões como estas, e como diminuímos as chances dela aparecer. Se eu fizer a cirurgia, terei problemas no futuro? e a cirurgia devolverá uma aparência sadia à região? Muito obrigado.

           Resposta: A pele por voce referida chama-se PLICOMA que em medicina é diagnosticada como uma hemorroida externa cronica, porque sob esta pele tem um vaso que frequentemente dilata e estufa a pelinha. A retirada eu faco sob anesthesia local com bom resultado estético e functional.



98- Dr.Paulo sou SP, após exames de rotina em dezembro , a              medica detectou que estou com hpv, fiz exames mais rigorosos, deu negativo. mas estou fazendo tratamento com acido. Ja fiz 3 sessões é muito lento e desconfortante. O laser seria mais rapido o tratamento. Obrigada
Resposta: Para os meus pacientes que praticam o passivo eu geralmente nao trato o HPV com pomadas e sim prefiro retira-las sob anestesia local com o resultado do tratamento mais imediato

           99- Olá dr. A minha duvida e a seguinte: há uma semana notei    uma coceira no anus bem proximo da parte interna do canal, e agora notei tambem sangue vivo nas fezes e no papel higienico, não pratico sexo anal. Desde de já agradeço a oportunidade.
         
          Resposta: Possivelmente voce tem uma hemorroida interna inflamada, responsavel pelo sangramento e coceira local. O tratamento com pomadas adequadas, antiinflamatorios orais e venotonicos melhoram os sintoma.
    100- Doutor na sua experiencia clinica quais foram as principais complicacoes do sexo anal passivo? 
         Resposta:
         -  Sangramento por hemorroida pre-existente
 -   Fissura por traumatismo local
            -   DST
            - Incontinencia a gases.